Português | English

Cartas

VOU VOLTAR PARA A CASA DOS ESPÍRITOS!

VOU VOLTAR PARA A CASA DOS ESPÍRITOS!



Mensagem: Devido a grande dificuldade em que me encontro, sou tentado a voltar ao Candomblé, pois, do invisível foram criados efeitos visíveis. Ter que lidar com essas forças difíceis e rebeldes, o único modo correto é abordá-las de modo correto e sem preconceito. Isto requer muito tato! Terei que deixar a psiquê atuar, influenciando-me, sem com isso criar um antagonismo, pois só assim poderei estabelecer um diálogo com as forças, compreendê-las, e assim poder adquirir poder sobre elas. Já não agüento mais resisti-las! Desse modo, não havendo mais obstáculos intransponíveis, posso empreender alguma coisa para reverter esse quadro de penúria econômica e financeira que eu estou passando. Acredito que não tenhas recebido o meu e-mail anterior, onde tentei explicar-me sobre essa decisão. A comunidade evangélica não ajuda a resolver, e, em alguns momentos, até piora. Fora, alguns bons cristãos que encontrei no caminho, pouco foi aproveitável. Devo a você a minha verdade interior neste momento e nesta qualidade-caminho. Lamento desde já não ser àquilo que se quer e sim aquilo que é possível. Um afetuoso abraço. _____________________________________________________________________________ Resposta: Meu amigo: Graça e Paz! A mim parece que você até hoje não discerniu qual é o Espírito de Cristo, pois, sua carta evidencia que tudo que você teve no coração foi opção religiosa. Minha convicção a esse respeito se baseia no fato que você acredita que é possível brincar com as “forças”, com os espíritos, negociar com eles, domina-los, pô-los ao seu serviço... Todavia, quem conhece a Cristo sabe que não há comunhão entre o Espírito de Jesus e as “forças” que escravizam o homem. Ora, Jesus as expulsava, e você tem a pretensão de “domesticá-las”? Pobre de você! Você diz que não agüenta mais, e faz esse desespero se justificar pela sua falta de dinheiro, o que equivale a dizer que você está ‘voltando’ para algum ‘lugar’ onde você possa, com seus préstimos aos espíritos, ‘ganhar’ algum dinheiro; ou, no mínimo, ser deixado em paz por ‘eles’ para ganhar algum dinheiro. Ora, isso revela que sua motivação é da pior qualidade, e, além disso, mostra que você nunca se desligou de tais “forças”, pois, caso tivesse feito, saberia que ninguém as vence sozinho. Mas ‘sozinho’ você estava. Não por falta de cristãos ao seu lado, mas pela sua total incapacidade de se submeter à Palavra da Vida; a qual você ouviu; na qual disse crer; e, certamente, a qual pretendeu receber pelo batismo na fé; porém, a ela você jamais quis se submeter sem fazer reparos ou conciliações. Ninguém pode servir a dois senhores. Não se pode servir à mesa do Senhor e aos demônios! Sim, você estava ‘só’ não porque não tenha sido ajudado e nem amado, ou porque não houvesse poder para proteger a sua alma. Estava só exclusivamente pela sua renitência contra a Palavra. Afinal, você sabe que não nasceu para ser mais um escravo de espíritos. Então, diz crer, mas não se entrega; se batiza, mas não morre e ressuscita simplesmente em Cristo; confessa a Jesus como Senhor, mas não se afasta da mesa dos demônios. “Ninguém pode...”—disse Jesus. Entendimento da Verdade você teve, mas o trocou pelos seus próprios interesses; e, assim, buscou o premio da injustiça, andando pelo caminho de Balaão, que deixou a verdade pelas recompensas prometidas por Balaque. “Ninguém pode...”—disse Jesus. Portanto, não há barganhas a fazer com tais espíritos. Se você tentar, sem dúvida eles o comerão vivo; posto que você conheceu o Reino de Deus, pegou do arado...; e, depois, pela falta de dinheiro..., olhou para trás; e, ao contemplar Sodoma, sentiu saudades; e, enganadamente pensa que tem a formula para fugir do destino deles. “Ninguém pode...”—disse Jesus. É uma pena que a semente do Evangelho esteja sendo sufocada em seu coração, posto que muitos são os deuses que nele a sufocam. “Ninguém pode...”—disse Jesus. A Palavra diz que é como vomitar e depois voltar para comer o vomito! Estou lhe dizendo isto tudo a fim de prevenir você. Todavia, sei que é quase certo que você só dê atenção ao que lhe digo daqui a muito tempo. Os que de lá nunca saíram, esses têm desculpa. Mas quem se batizou em Cristo, e foi iluminado pela eternidade e provou da Graça inefável, e retornou ao lugar escuro de onde saiu, e com toda deliberação de consciência, esse terá que sentir o significado de ‘não estar em Cristo’; isto a fim de saber que não se é de Cristo contra a Cruz. “Ninguém pode...”—disse Jesus. Ou está feito, ou não está feito! Quem duvida, esse perdeu! Sempre a espera do Dia da Luz em sua vida, Caio Para pensar: A incredulidade é a certeza que se estriba apenas nas coisas que se vêem, e só tem firme convicção acerca daquilo que ela apalpa.