Português | English

Cartas

VICIEI MINHA NAMORADA EM FANTASIA E FETICHE...

VICIEI MINHA NAMORADA EM FANTASIA E FETICHE...

-----Original Message----- From: VICIEI MINHA NAMORADA EM FANTASIA E FETICHE... Sent: sábado, 15 de novembro de 2003 To: Caio Fábio Subject: AGORA ELA NÃO ME QUER MAIS... ************************** Mensagem: Pastor Caio: É difícil até de começar. Mas vou tentar ser resumido. Minha história é muito longa. Bem, hoje tenho 33 anos e sou cristão desde muito cedo na vida. Tive algumas relações sexuais na adolescência. A primeira foi com uma senhora mais velha. Com os amigos as conversas às vezes eram sobre transar com uma ou duas mulheres de uma vez. Também conversávamos sobre o contrário: dois ou três amigos com uma mulher. Um dia dois amigos “pegaram” juntos uma menina e não me chamaram. Fiquei zangado por não ter participado da orgia. Me afastei da igreja um tempo, e depois voltei. Minha igreja é do tipo fervorosa. Então comecei a namorar uma menina de 18 anos (eu sou mais velho que ela). Levei-a pra igreja. Ela ficou comigo e com a igreja. Depois de um tempo começamos a transar. Passou mais um tempo e comecei a pedir pra ela imaginar “cenas de fantasias”: eu, ela e outra menina; depois: ...eu, ela, e um cara...e assim foi... Ela não gostava, mas acabou aceitando pra me agradar. Nosso amor foi virando só sexo, embora eu a amasse mesmo, e morresse de ciúmes dela. Depois eu comecei a pedir para ela imaginar a gente transando com gente que nós dois conhecíamos. Até que ela, pela primeira vez, sugeriu um nome: um cara que trabalha no mesmo prédio dela—ela disse que ele não fazia o tipo dela, mas era “fortinho”. Topei...fizemos aquela fantasia... Logo depois, por nada, tivemos uma briga, e eu fiquei fora de mim, com ódio dela. Ela ameaçou sair do carro e sumir...eu disse pra ela ir. Ela foi. Logo depois me arrependi e fui atrás dela, mas ela nunca mais foi a mesma... Nosso relacionamento já tem dez anos. Agora ela me confessou que ficou com raiva e “foi” com o cara fortinho algumas vezes, só de vingança. Me arrependi de todo o coração. Diante de Deus e dela. Mas ela não quer mais voltar e diz que morre de culpa de ter feito tudo o que fez... Diz que nosso amor adoeceu, e que ela não me quer mais. Eu reconheço todo o meu erro, mas não posso perdê-la, embora eu saiba que fui eu quem fez “tudo”. Me ajude! ************************* Resposta: Meu amigo: Graça, Paz e Saúde sobre sua alma! Quando você começou eu já sabia onde iria terminar. Seria impossível um outro desfecho. A gente semeia ventos; a gente colhe tempestades! Já vi o mesmo filme muitas vezes. O resultado pode ainda ser pior. Já vi muitas coisas. Tudo o que você possa imaginar. Coisas que ninguém acredita, mas que estão aí; e crescendo como câncer, e matando as almas humanas. Uma dessa situações foi a de uma mulher que foi usada pelo marido do mesmo modo. Com o agravante de que foram para as vias de fato, com a participação física dele em tudo, chegando ao ponto de saírem juntos, pegarem o primeiro táxi que passasse, e pagarem o motorista para fazer o “papel”. Foram anos nessa doença! Um dia o marido disse que não tinha mais nenhuma novidade em fazer aquilo com ela; e deixou-a por uma jovem médica, com quem ele reiniciou a loucura dele. A mulher me procurou morrendo de Culpa. Ajudei-a uns meses...mas tinha que atendê-la todos os dias... se não ela morria...desvanecia de dor. Devagar me pareceu que ela estava abraçando a confiança na Graça e no perdão de Cristo. Mas as lutas psicológicas e o sentimento de desvalor eram muito fortes. Muitas vezes ela me procurava com ímpetos suicidas! Uma ocasião eu viajei um mês. Deixei uma pessoa tentando cuidar dela. Quando retornei fiquei sabendo que ela havia ateado fogo ao corpo e pulado do décimo andar. O que eu tenho a dizer a você? 1. Você pode estar arrependido, mas isso não é tudo. Há uma disfunção na sua perspectiva sexual que é muito grave. Nenhum homem normal aceita a idéia de que a mulher sequer “pense” em outro. Você a incitou a se imaginar transando com você e outro. Esse seu fetiche fantasioso é mórbido e adoecedor para a alma de qualquer um. Portanto, não basta se arrepender, e esquecer. Essa coisa é do tipo que precisa ser entendida, na luz da verdade. Do contrário, o arrependimento será a “repressão da pulsão” para um nível mais baixo; e um dia ela voltará para fazer novas cobranças. Sugiro que você procure um psico-terapeuta sério e abra o coração o quanto antes. 2. Sua namorada—praticamente esposa—, precisa de ajuda. Talvez nem mais para ficar COM VOCÊ, mas para ela poder ficar COM ELA MESMA. Essa menina precisa ser ajudada urgentemente. Ela deve estar experimentando uma profunda dissolvência de seu valor pessoal, e corre o risco de mergulhar de cabeça na doença. Aliás, ela já sofre desse mal—baixa auto-estima—, pois somente isto explica uma menina se deixar levar pelo namorado para um terreno tão adoecido. Diga a ela que já não tem nada a ver com você, mas que você gostaria que ela me escrevesse; e que ela mesma me contasse a história; e falasse de como está o coraçãozinho dela. 3. Portanto, estamos falando de coisa muito séria, e que precisa de urgente tratamento. Vi pelo seu código de área que você mora nas imediações do Rio. Portanto, se for o caso, apareça no Café e a gente conversa e ora. Vocês dois precisam ser lavados com água pura pela Palavra! Mas lembre: se você a ama, não tente reatar com ela. Tente apenas ajudá-la a buscar ajuda longe de você. Não sei se será assim para sempre. Mas, pelo menos, terá que ser assim por algum tempo. Amores podem cair doentes quando os amantes estão doentes de alma. Leia aqui no site uma enorme quantidade de textos sobre a Graça e o amor de Deus, e veja como somente na Graça de Deus a gente pode encontrar remédio e cura para o Mal da Culpa. Receba meu abraço e minhas orações! Nele, Caio