Português | English

Cartas

Uma Carta da Língua Maldosa: cuidado!

Uma Carta da Língua Maldosa: cuidado!

Retirei os nomes por razões óbvias. Se for fato, não mencionarei nomes. Se não, então mais uma razão. Seja como for, tragédias só tem dor, não têm nomes! E-mails como este recebo aos montes. Nem me dou ao trabalho de responder. Só respondo aquilo que as próprias pessoas--com seriedade e dor--escrevem sobre si mesmas, e pedindo ajuda. Esses tem toda minha atenção! ************************************************** -----Original Message----- From: D. F. Sent: segunda-feira, 6 de outubro de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Pastora e pastora deixaram seus ministérios e foram viver juntas Mensagem: Pastor gostaria de saber se o senhor conhece ou se já ouviu falar da pastora L H ? Ela era ex-sapatão, ex-viciada em drogas. Eu assisti três ou mais pregações dela: uma mulher que conhece muito bem a Bíblia; seu testemunho e bastante forte. Ela me parece que foi a primeira mulher a pregar nos Gideões em Camburiú, e também a pregar na Assembléia de Deus. Ela esta morando atualmente se eu não me engano nos USA. Só que aconteceu algo: ela voltou a praticar o lebianismo justamente com a mulher de um pastor; e esta mulher era cantora de uma voz maravilhosa. E houve de tudo: separação de ambas as partes; da pastora L e da outra mulher. Segundo informações elas estão vivendo juntas em New York, e se afastaram do evangelho. Pastor o que você acha de tudo isso? É uma pena! Que Deus tenha misericórdia disto tudo. Paz em seu coração. ************************ Meu amado: Paz! Não! Não ouvi falar dela e nem de nada. Não ouço o que dizem. Apenas sei o que as pessoas me contam sobre elas mesmas. O maior pecado nisso tudo é o da língua de quem vive de falar acerca de coisas assim. A maior Misericórdia quem precisa é que divulga. Sobre esses testemunhos de “ex” isso e “ex” aquilo, todo mundo sabe o que penso. Já disse aqui no site que esse negócio de gay, lésbicas, drogados, e etc...ficarem dando testemunho nunca é bom. Vira uma industria, seca a alma da pessoa e acaba virando um negócio. Não creio que a orientação sexual das pessoas mude com mágica. Conheço muitos que ficam sofrendo, outros que dão o testemunho e depois passam a viver do “testemunho”—enquanto adoecem ainda mais—, e conheço aqueles que se “castram” e contam a castração como cura. Creio que o único testemunho a ser dado é do amor de Deus por todos nós. Pode-se contar uma cura, um livramento, etc... Mas viver de contar mudanças de vícios acaba viciando a alma na fantasia, e depois devolvendo a pessoa à cruenta realidade de não estar sarada. As coisas da alma demandam “processo”. Não são instantâneas. Quem diz outra coisa está vendendo facilidades que não existem. Sobre o que aconteceu com elas tenho apenas uma coisa a dizer: QUE NINGUÉM JULGUE! Se isto aconteceu, e não e mais uma dessa fantásticas invenções ou aumentações “evangélicas”, elas devem estar sofrendo as agonias do inferno na alma. Portanto, reverencia e silêncio! Além disso, ninguém pode dizer que elas deixaram o Evangelho. Pode até ser que somente agora elas estejam começando a conhecer o Evangelho. O Evangelho não é uma "informação". É uma experiência de Graça no amor de Deus. E, geralmente, só acontece em profundidade quando as pessoas perdem todas as suas presunções de justiça própria. E que todos saibam: Se isto aconteceu as famílias delas devem estar vivendo no inferno da agonia. E elas também. Por isso, vamos deixar de ser crianças escandalizáveis, orar por todos eles, e saber que aquele que julga estar em pé, esse sim, cuide para que não caia. De minha parte gostaria que elas soubessem que, se tudo isto é fato, eles todos podem me procurar, incluindo as famílias delas. Tragédias demandam silêncio e quebrantamento. Escândalo é coisa de fariseu. Nele, Caio