Português | English

Cartas

UM SEGUIDOR DO CAMINHO EM LONDRES

UM SEGUIDOR DO CAMINHO EM LONDRES



----- Original Message ----- From: UM SEGUIDOR DO CAMINHO EM LONDRES To: contato@caiofabio.com Sent: Saturday, June 11, 2005 11:09 AM Subject: De um seguidor do Caminho aqui em Londres, UK Prezado Caio, Com alegria tenho lido o seu site a pouco mais de um ano. Acesso quase todos os dias e tenho aprendido muito. Foram as leituras que me levaram a encontrar a Graça de Deus que você tanto vive e proclama; e que agora traz vida, paz e alegria também a mim. O procurei por muito tempo, até que um amigo me disse que você tinha o site. Foi uma grande alegria encontrá-lo novamente. Estudei e me formei na Faculdade Teológica Batista de Brasília em 1988. A primeira vez que ouvi você “ao vivo e a cores” foi lá na capela da FTBB, num sermão sobre Rom 16. Queria dar um abraço e perguntar alguma coisa, mas você vivia "naquela correria" e já estava de saída pra um Congresso, e não tinha tempo. Quando pastoreava, preguei os teus sermões. Seu conhecimento do contexto sócio-cultural sempre me fascinou; claro, além da exposição da Palavra. Bom, há muitas coisas que gostaria de dizer sobre o que tenho vivido e aprendido com você. Mas, por enquanto, queria apenas dizer que me junto a fileira daqueles que oram por ti e torcem para que todos estes sonhos e anseios que pulsam no teu coração se tornem realidade a cada dia. Também, quero dizer que há muito tenho sido "incomodado" a participar financeiramente deste projeto. Quero ser parte do milagre, porque tenho sido milagrosamente transformado. Mas não encontrei numero de conta, agencia, etc... para fazer os depósitos. Vi que a conta é do Banco do Brasil, mas não consegui acessar nenhuma informação. Seria possível enviar-me os detalhes? Nome, conta correta, e agencia bancaria? Fico na espera. Um grande abraço, Nele, Adão Duarte ________________________________________________________ Amado Adão: Paz e crescente conhecimento da Graça do 2o Adão! Tenho clara lembrança daquela noite, na qual eu estava acompanhado pelo Ricardo Barbosa. Lamento não termos tido a chance do encontro. E, agora que moro aqui em Brasília, você está em Londres. Mas estou certo de logo nos veremos, seja aqui, seja aí. Tomo a liberdade de comentar algo importante. Você disse que se formou em teologia, mas que só mais recentemente vem se apropriando da Graça, não como doutrina, mas como ambiente da própria vida em Deus. A constatação angustiada de muitos seminários no mundo, nos dias de hoje, é que a maioria esmagadora dos estudantes saem da escola cheios de doutrinas e sistemas teológicos, porém, sem quase nenhuma experiência de Deus, embora tenham o “esquema da salvação” bem doutrinado na cabeça. Outro dia eu vi na televisão aqui em Brasília um programa na televisão, no qual um pastor, que foi meu filho na fé, estava pregando. O conheci apaixonado por Jesus. Ele esteve perto de mim mais de 15 anos. Eu procurava abrir todas as portas possíveis para ele. Mas durante os dias de minhas dores, vi que ele tomou posição ambígua e dissimulada em relação ao mim. Por essa atitude dele, três anos depois de eu observar a consistência delas, chamei-o e confrontei-o, o que fez com que em razão disso ele assumisse uma posição não de reconciliação no amor e na verdade — conforme eu lhe propunha —, optando pelo oposto, embora tenha me confessado que eu não estava enganado no que discernia e ouvia acerca dele. Ora, eu o vi na televisão dizendo que Jesus precisa do auxilio das doutrinas da Reforma Protestante para ser bem compreendido, e também afirmando que sem doutrinação ninguém chega a conhecer a Deus, e que é de lastimar que haja pessoas analfabetas pregando o Evangelho. Chorei de pena da alma dele. E vi que ele está todo tenso, angustiado, perturbado, com tiques nervosos, sem naturalidade, e com um ar surtado de ira. E por quê lhe digo isso? É que ele, para mim, é um exemplo típico de alguém que “aprendeu” as doutrinas, mas, não experimentou a verdade da Graça como romance com Deus, fruto de uma relação pessoal com Jesus, e não com a escultura Dele feita pelas doutrinas da religião. Graças a Deus sua alma não se fixou na letra e andou firma na direção de abraçar a Graça de Deus, pois entendeu que tudo é Graça, até o juízo. Todas as ações do Deus que é amor são ações do bem, mesmo quando doem e ferem. Fiquei muito feliz e estimulado com sua decisão de ajudar. De fatos, sonhos há muitos, mas os recursos são poucos. Peço que você contate a Ana, minha irmã, no ana@caiofabio.com Ela vai dizer a você como proceder. Que o Senhor o enriqueça em todo bem, e faça prospera a sua vida: corpo, alma e espírito! Nele, em Quem somos feitos irmãos, mesmo sem que tenhamos nos abraçado, Caio