Português | English

Cartas

UM CRISTÃO NO EXÍLIO...

UM CRISTÃO NO EXÍLIO...

-----Original Message----- From: UM CRISTÃO NO EXÍLIO... Sent: terça-feira, 13 de janeiro de 2004 18:16 To: Caio Fabio Subject: Falando do coração Meu querido amigo, Estive um pouco silencioso, pois meu pai continua passando por um calvário particular. Isto me deixa bastante deprimido, pois além de ver o sofrimento dele, tem ainda o fato de que perdi minha mãe há apenas 6 meses atrás e, de repente, estou com um sentimento grande de solidão. Algum tempo atrás, um amigo meu me disse que, nessa vida, a gente vai vivendo e deixando os "pedaços" pelo caminho. Talvez seja uma forma meio pessimista de ver as coisas, mas é assim que estou me sentindo nesses dias. Mudando de assunto, tem algo que eu queria escrever para você há algum tempo. Outro dia, lendo um livro, vi uma expresão que me pareceu resumir como eu tenho me sentido nesses últimos anos, em minha trajetória dentro da igreja: UM CRISTÃO NO EXÍLIO. Talvez você também encontre alguns pontos de identificação nessa expressão. Sinto-me no exílio por que reconheço a fome por Deus, em mim e nos que vejo em meu entorno, mas, na maioria das vezes, não a vejo ser saciada pelas respostas que a igreja tem tradicionalmente fornecido. De fato, a igreja, frequentemente acaba sendo um lugar onde pouco se procura verdadeiramente a Deus, tão grandes e distorcidas são as preocupações reais de sua super-estrutura. Muito da linguagem que vejo hoje ser usada, mesmo por importantes líderes religiosos, parece-me infantil e procura nos colocar como crianças dependendentes de favores divinos, que precisamos fazer por bem ganhar, certamente com nosso dízimos e ofertas, mas também com nosso "bom" comportamento. O deus, que eles pregam, aje e fala muito parecido com um ser humano e assim deixa de ser relevante, pelo menos para mim e uns tantos outros. Assim, o cristianismo, conforme Freud já disse, acaba virando apenas um mecanismo para permitir que o ser humano possa lidar com o trauma da tomada de consciência de suas limitações e inadequações, mantendo a histeria sob controle. Mas, Deus e o cristianismo verdadeiro tem que ser e certamente são muito mais do que somente isto. Mas não é fácil achar uma "patria" onde se possa viver como cristão pleno e maduro e ali, como Jesus nos prometeu, beber rios de água viva. Vem dai a angústia. Dai nasce o exílio. Beijo grande de um exilado! Nele, *************************************************** Meu amigo: Os "pedaços" dos nossos amores na Terra estão todos juntinhos nas mãos do Pai! Nós já passamos do Salmo 137, e de sua melancolia de exílio. Nosso salmo hoje já é pós-exílico, é o 126. Nele a gente se alegra como que encontrou, pede a Deus que restaure as coisas, e sai andando e chorando enquanto semeia, com a certeza de que voltará com júbilo trazendo os seus feixes. No 126 a gente espera a chuva cair do céu para acelerar a colheita...mas usa o que tem enquanto a chuva não vem...até lágrimas servem. No fim...o fruto é certo! Quanto ao cristianismo ser uma religião freudiana ao contrário, não há dúvida. O cristianismo acabou virando religião de almas infantis! Tristeza! Você não está no exílio. No exílio estão os que estão em cativeiro. Você já voltou para casa. Agora é reconstruir. E mais: você não está só nesse caminho...há muitos irmãos nele...e logo todos nos encontraremos...e nos abraçaremos...e saberemos que o Senhor fez isto! Um beijão! Caio