Português | English

Cartas

TROCO A MULHER DE RIXAS POR UM MOSTEIRO

TROCO A MULHER DE RIXAS POR UM MOSTEIRO

----- Original Message ----- From: Casado com a mulher de Rixas To: contato Sent: Saturday, December 04, 2004 11:30 AM Subject: mosteiro evangélico Em Cristo, Graça e Paz! Querido Pr.Caio, Sempre agradeço a Deus pela sua vida, e por como Ele tem tornado este ministério numa força alcançadora de vidas. Em tudo isso dou graças ao Pai Celestial. Sou obreiro da Ass.de Deus, já dirigi igrejas, já evangelizei muito, e ainda prego muito a Palavra. Tenho enxergado o meu modo de agir e tenho me esforçado para não ter uma visão limitada ou atrofiada, porem anseio por uma comunhão profunda com o Pai e por isto O busco. Quero lhe contar algo. Casei, e fui ao cargo de obreiro; e tenho passado situação dificil com minha esposa. Faz 6 anos que estamos casados. Temos filhos. Porém mesmo tendo conversado tudo “de religiosidade e missão”, antes de casarmos, me vi rodeado e casado com quase "o inimigo" em pessoa, ao ponto de me envergonhar. É aquele caso da mulher tola expressado na Palavra. E como eu não posso e não poderei mover um dedo contra meu cônjuge, ela se aproveitou disso para me desafiar, e até mesmo me agredir fisicamente, pois "o obreiro não seja espancador". Sou um sonhador e creio neste sonho: de fazer grandes coisas para Deus! Hoje tenho 28 anos, e quero ser gasto por Deus. Mas eu não tenho recebido, durante esses 6 anos de casório, a reciprocidade ou carinho esperado. Além disso, também conheci a ignorância do homem no ministério assembleiano, e isso me esgotou, me fadigou, me estressou, e deixei todas as minhas funções na igreja para cuidar de minha saúde, de mim, me amar mais; já fui até mesmo idolatrado no meio evangélico, mas a Glória é de Cristo e não do homem. Há dois meses conheci uma pessoa na net, uma irmã, também casada, e que passa por situações parecidas com seu cônjuge; e aos poucos nós fomos nos abrindo um com o outro... Uma amizade, um elo de reciprocidade, intenção de compartilhar e fortalecer um ao outro... Depois de quase um mês nos víamos lutando entre a razão e a emoção. Nos apaixonamos um pelo outro, tecemos palavras, carinho, existe carência, e, sinceramente, a cada dia esse amor aumenta mais... Ah! uma observação: essa irmã mora bem longe de mim, nunca nos encontramos, mas de vez enquando nos falamos por telefone. Caio, sei que isso, para os conservadores, é pura loucura; e também sei que não podemos tomar decisões sem antes analizarmos os lados negativos e positivos. Tenho meus pés no chão, mas amo essa irmã, somos novos e temos carências de carinho e afeto. Pastor Caio, já fiz de tudo para tirar essa irmã de minha cabeça, mas nada; e ela também já fez de tudo para termos somente amizade, mas nada. Eu dei um ultimato a minha esposa, e lhe disse para tentar mudar seu modo de ser e o tratamento, mas ainda não fui atendido. Penso em me separar. Não para ir de encontro a irmã que tanto amo, mas para cuidar de mim, para preservar minha pessoa de ser tão “martelado” na cabeça; e sem ação minha contra ela... Não agüento mais tal injustiça. Provavelmente serei crucificado pela assembleianidade, pois o obreiro, me parece, só tem valor quando está fazendo alguma obra, ou se gastando emocionalmente e psicologicamente em um campo de trabalho... Se não for assim, nem amizade existe; é como um lixo e escória no mundo. Acredito que falo de algo que o irmão já conhece. Gostaria de saber sua opinião e conselho, querido Pastor. Ah! se o irmão conhecer algum “mosteiro evangélico”, então me diga, depois de anos de pressões de todos os lados, gostaria de um sossego nos braços do Pai. Em Cristo Graça e Paz ______________________ Resposta: Meu amigo querido: Graça e Paz! O Mosteiro é o lugar do "mosto" e o Monastério é o lugar do "solitário", do "mono". Mas somente na Graça o homem encontra vinho novo e descanso! Primeiro, quero lhe pedir, em nome de Jesus, para não buscar fazer nada para Deus. É assim que as pessoas começam a adoecer na alma. Vida com Deus não é agenda cheia, nem muitos compromissos feitos em "nome de Deus". Isso é apenas agito da religião, e serve apenas para dar aos demais homens a impressão de que você é "usado e gasto por Deus". Entregar-se a tais causas de fato faz apenas o sujeito ficar "usado e gasto", não por Deus, mas pelos homens... e, no fim, você sabe o resultado: cansaço sem direito a descanso! Não busque nada. Apenas seja você mesmo em Deus. Sim, entregue mesmo o seu caminho ao Senhor, confie Nele de fato, descanse, e, saiba: o mais Ele fará! Se você começar a ler este site de cabo à rabo—e há material aqui para ocupar você com leituras muito tempo—, você descobrirá que o descanso só existe dentro da gente, e em nenhum outro lugar fora de nós. Sobre a situação que você descreveu, eis o que penso: 1. A mulher rixosa de provérbios é pior do que a adúltera. A adúltera dá margem a que o traído decida se fica ou vai... Mas a rixosa é como um anzol na alma: não entra e nem sai... porém torna a vida um inferno, e a pessoa não tem o que dizer, senão que ela tem um "temperamento horrível". Ora, para mim, tais espíritos, em si mesmos, já estão declarando sua total incapacidade de vida conjugal, e, ficar ao lado de tais pessoas, é como você mesmo disse: é dormir com o inimigo. 2. Sugiro que você converse com ela claramente e diga que não agüenta mais, e que se as coisas continuarem assim, você vai se divorciar no "papel"; visto que, de fato, se as coisas são como você me contou, vocês nunca foram casados em nada. 3. De fato, estou sugerindo isto "de início" apenas porque não acho que se deva tomar uma decisão que envolva os filhos sem que todas as tentativas possíveis de acerto e harmonia sejam feitas. No entanto, sei que há 99% de chance de que ela não mude, posto que, tais mudanças, quando acontecem, não ocorrem de fora para dentro, mas apenas de dentro para fora. Ora, seu "ultimato" é ainda algo "de fora"; e, sem que haja muita disposição interior dela de buscar a paz em seu próprio coração, nada mudará. 4. Se não houver mudanças, e se as agressões e hostilidades gratuitas continuarem, divorcie-se; mas faça isto sem brigas de sua parte, e dando toda segurança aos seus filhos, sobretudo, muita atenção; e isto para o resto de sua existência na Terra. 5. Quanto à outra pessoa, a moça a qual você fez referência, sugiro que você não a inclua na motivação de seu divorcio em tempo algum; e também que não deixe que ela condicione a sua eventual separação à dela, se esta vier também a ser uma decisão dela. 6. Apanhando da mulher, humilhado, maltratado, mal-amado e tudo o mais...não é nem mesmo possível saber se vocês de fato se amam. Neste estado de carência "até urubu vira colibri", como diz a moçada. Portanto, não saia de uma coisa para entrar em outra. Dê um tempo, e caminhe com segurança e calma. Se algo vier a acontecer, que não seja em razão do estado de desespero no qual vocês dois se encontram neste momento da vida, então terá chance de ser mais sadio. 7. Quanto ao que você encontrará em sua igreja, saiba, é daí para pior... No entanto, há muitas outras igrejas onde você pode estar sem ser molestado por ter sido infeliz no casamento. Mas saiba: vai doer... e você terá muita tristeza com muitos "irmão e amigos". Todavia, você encontrará outros irmãos e outros amigos, e seu coração descobrirá o significado dos vínculos verdadeiros. No meio cristão, em geral, existe a mais pagã forma de amizade. E que forma de amizade é esta? É aquela que ama moralmente. Amar moralmente significa amar enquanto a pessoa se comporta como a gente. Se ela for diferente ou se tornar diferente, o mesmo tiver um comportamento diferente, mesmo que tal coisa seja apenas na área particular e privada, ou envolva apenas uma decisão de foro intimo, nesse dia, tal pessoa perderá todos os seus “amados”, pois era amada apenas moralmente. Para esses o irmão é o igual, e o próximo é apenas aquele que lhe é semelhante. Ora, Jesus mandou amar até o inimigo, quanto mais o diferente! Além disso, Ele disse que amar os que nos amam, e tratar bem os que nos tratam bem, é apenas um comportamento pagão, posto que é assim que qualquer pagão, minimamente, trata um ao outro. Jesus disse que deveríamos buscar amar e ser amigos do jeito do Pai Celeste, que é bom para com maus e bons, e derrama Graça sobre todos. Acontece que entre os cristãos, em geral, não se alcança nem mesmo o nível pagão. A sociedade pagã é capaz de aceitar e defender o diferente, mas a igreja não é. Desse modo, enquanto este “pequeno detalhe” for assim, os cristãos não terão o respeito da humanidade, posto que até os bárbaros os superam no trato de uns para com os outros. O cristão, como é, não passa de ser o bebê da humanidade! No dia que o cristão amar a todos os homens e for misericordioso para com todos os homens, e não se separar de outros cristãos apenas porque eles se expressam de modo diferente, nesse dia a sociedade que nos cerca verá a nossa luz, e glorificará o nosso Pai Celestial. Mas jamais antes desse dia... e, nisto, posso dizer que profetizo sobre a certeza das certezas, pois é conforme a Palavra de Jesus. Digo tudo isto apenas para você não surpresas! Fique firme no Senhor, e não se escandalize com o escândalo dos crentes. Ande, porém, conforme a verdade em seu coração! Nele, para quem a Lei nunca deveria ser mais importante do que a dor do homem, Caio Caio