Português | English

Cartas

TÕE: e você? E seu pai?

TÕE: e você? E seu pai?

 

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: TÕE: e você? E seu pai?

To: contato@caiofabio.com

Sent: Tuesday, August 21, 2007 11:50

Subject: GOIÂNIA

 

 

Caio, meu querido amigo, "mano" e irmão.

Estou acompanhando você apenas pelo que você posta no site. Por três motivos: primeiro, você não gosta e nem precisa informar além do que lhe convém, assim eu não preciso ser curioso; segundo, o muito pouco do que eu tenho para poder lhe oferecer você sabe que é tudo seu e você jamais esquivaria em me pedir qualquer coisa que eu possa ter sem eu necessitar lhe oferecer, é seu; terceiro e último eu não preciso lhe dizer o quanto eu te amo de verdade para você sentir aí, mesmo distante, meu mano.

O Caminho em Goiânia está um bênção, Caio. É surpreendente para mim. Talvez um incauto não conseguisse ver o que eu vejo. Apenas olharia e diria que está tudo normal.

Mas não está normal não, Caio. Está havendo um mover do Espírito nos espíritos de cada irmão, irmã, jovens e anciãos.

Eu vejo surgindo do fundo de almas, feito um trem de ferro quando sai de um túnel, uma consciência de cada um perante o próximo e nem diante de Deus, mas sob a glória de Sua Graça.

Uma consciência de liberdade, mas em Deus, mesmo. Uma consciência de liberdade, mas no próximo.

Uma consciência do Caminho, sem a neurose enferma de que o Caminho possa se transformar no "c"aminho, assim caminham despreocupados e inocentes na fé.

Uma consciência evangelística, sem a obrigatoriedade de ser um evangelista. Estão apregoando o que têm visto e ouvido pelo puro prazer de contar e pela perplexidade boa de constatar que o Caminho pude ser vivido, de fato.

Uma consciência em amor, não de amor. Consciência das responsabilidades impostas pelo amor de quem ama.

Eu vejo um amor muito grande crescendo por tudo que você tem escrito no site e, consequentemente, por você, também.

Como eu lhe disse, é como um trem de ferro saindo de um túnel. Pela perspectiva de quem vê de frente, parece que sai muito devagar. Porém é inexorável.

Estou orando pelo seu paizinho, como você carinhosamente sempre se refere a ele e pela sua família.


Um abraço forte e um beijo de quem te ama muito.


Tõe

 

______________________________________________________

 

Resposta:

 

 

Amadão Fon-Tõe-Nunca-Seca: Graça e muita Saúde e Paz!

 

 

Aqui tem sido cada dia um milagre.

 

Começamos com papai se recuperando como um rabo de lagartixa, rapidamente; até um súbito estado de catatonia [Se eu ficasse... - quem sabe? Mas ele, nunca...]; depois septicemia sem que se encontrasse uma única infecção; a seguir ele melhora, do nada; depois afunda na morte; de súbito acorda e fala lúcido; então começa a fazer outro quadro intenso de septicemia; começa a morrer; os médicos vão perdendo a esperança, exceto o cirurgião; os dois santos enfermeiros mostram sofrimento; minha mãe enviúva todos os dias; minhas irmãs ficam órfãs, meus sobrinhos perdem mais que o avô: um santo de Deus cheio de tudo de bom; e eu, muitas vezes tenho chorado; chorado de boas lembranças; de histórias da Bíblia vividas juntos; e choro pela alegria de tanto amor recebido; e de tanta amizade; e de tanta reverencia; e de tanto respeito; e de tanta confiança; e de tanta discrição; e de tanto investimento; e de tanta humildade no ensinar, e mais ainda no aprender, com qualquer um, sempre, o tempo todo; e, sobretudo, muitas vezes choro pensando na retirada de um anjo de intercessão pelo mundo, conforme ele é.

 

Mas aí ele volta. Ontem mais um milagre. Estava morrendo. O médico decidiu entra nele. Não havia nada a perder. Enfim, encontrou o que tomografia nenhuma havia encontrado: a causa da infecção (não nos rins operados, nem na loja prostática, nem na bexiga – todos operados), mas no intestino; e isto aparentemente mudou todo o quadro.

 

Hoje de madrugada ele deu uma piscada para o enfermeiro da noite!

 

Estou saindo para lá. Havia dias não dormia. Daí estar escrevendo tanto, para me salvar de não parar de estar com ele e nele. Tive sonhos e febres sem febre. Suava no frio do quarto. Não dormia. Apenas orava; e, escrevia.

 

Esta noite dormi. Profundamente. Apesar de ter sido acordado no meio da madrugada com aquele peso de oração por ele.

 

Cada dia um milagre; o milagre nosso de cada dia nos tem sido dado, incluindo o da existência de hoje, como hoje está sendo: um milagre.

 

Fico mais que feliz com tudo o que está acontecendo aí. Você sabe que vibro de todo o coração!

 

Que o Senhor guarde vocês em simplicidade, pureza e humildade; e plenos do poder do amor no Espírito.

 

 

Beijão mano amado!

 

 

Nele, em quem cada dia é um milagre, pois o milagre é o dia,

 

 

 

Caio

 

 

21/08/07

Manaus

Am