Português | English

Cartas

TODOS SERÃO SALVOS?

TODOS SERÃO SALVOS?

-----Original Message----- From: Joubert Poça Sent: domingo, 20 de junho de 2004 23:00 To: contato@caiofabio.com Subject: TODOS SERÃO SALVOS? Querido Caio Fabio. A paz seja convosco. Estou vivendo uma terrível dúvida. Após ler e re-ler os evangelhos de Jesus concegui me concientizar de que a pena de morte não é a solução. Mais ainda, eu incrivelmente comecei a compreender aquilo que Jesus disse: "Amai os vossos inimigos, bem dizei os que vos mau dizem e fazei bem aos que vos odeiam". Hoje eu consigo me compadecer da situação da vida de pessoas como bandidos, assassinos, estupradores, loucos, corruptos etc. Creio que as pessoas são na maioria dos casos, produtos do meio em que vivem e que romper este meio é demasiadamente difícil. De uma certa forma Jesus nos ensina a compreender as diferenças, a ter compadecimento das pessoas, mas abominar as terríveis praticas. Se Deus me fez pensar isto, eu pergunto: Sem Deus o soberano de tudo e conhecendo intimamente sua criatura, ainda assim Ele vai lançar as pessoas ao Inferno? Qual é o pai por mais amoroso que seja, lançaria seu filho transgressor na fogueira? Você como pai, se você tivesse um filho da pior espécie, mesmo ele recebendo todo seu amor e carinho, se voltasse contra você e fosse preso e condenado a pena de morte, você concordaria com isto? Pode uma pessoa drogada pela ignorância social e espiritual, anestesiada por uma cegueira doentia da nossa limitação, dominada pelo pecado que não permite enxergar a graça de Deus, ser condenada ao tormento eterno? Ou, de alguma forma, há esperança para todos que já viveram, que vive e que viverão neste mundo terreno, sem se confessar a Cristo ou ter um relacionamento com Deus? Estranhamente vejo esperança na mensagem da Cruz quando Jesus disse: "Pai perdoa-os, porque eles não sabem o que fazem..." Jesus estava falando dos assassinos do amor. Hoje em minhas orações eu tenho pedido ao Pai que nos perdoe, até aqueles que aos nossos olhos não merecem salvação, e que já se foram. Peço que sejamos punidos severamente nas nossas transgressões, mas que ELE não jogue as pessoas reprovadas no inferno, mas que de alguma forma O Senhor possa se utilizar de outros meios para fazer valer a justiça, sem que se perca o amor pelos reprovados. Não agüento mais esta minha angustia de ver um Deus que no Velho Testamento parece duro, soberano, e, às vezes, até ríspido; em comparação ao Deus do Novo Testamento, mais compreensivo, meigo, em alguns momentos agressivo (Na purificação do Templo ou quando falava aos Sacerdotes)... Como você vê toda esta história. Estou equivocado em ter esta esperança? Isto me faz descrer das palavras de Jesus sobre o futuro julgamento, absolvendo ou condenando-nos pela eternidade? Quando eu era criança, meu pai me deu uma garrafa de achocolatado, mas eu queria coca-cola. Ele insistiu...e eu comecei a chorar clamando por coca-cola. Eu queria coca-cola e não abria mão. Foi quando depois de parar de chorar, eu provei o achocolatado e comecei a beber e saborear aquela bebida. Realmente meu pai tinha razão. Aquela bebida era deliciosa. O fato é que eu não enxergava isto até provar. Agora e se minha vida tivesse acabado antes de eu beber o achocolatado, será que eu iria para o inferno dos engradados, condenado a beber somente coca-cola pelo resto da vida? Falo isso porque um amigo meu do trabalho perdeu o filho dele de 19 anos que morreu com um infarto fulminante no coração. Eu me perguntava a todo o momento se ele havia aceitado a Jesus como salvador. Senão, será que ele foi condenado? E se Deus tivesse me tirado a vida com 19 anos, ELE me condenaria ao inferno se, só aos 30 anos eu consegui entender um pouco de Deus? Em outras palavras, todas as pessoas terão nesta vida uma clara definição pessoal sobre a vontade de Deus, para poderem discernir e optar se querem ou não sua salvação? Me ajude Reverendo. Eu sei que você deve estar cansado de tantas perguntas, mais sei também que você é uma pessoa dura-na-queda, e que tem sido uma grande ferramenta pensante na batalha pela salvação do Ser humano como imagem e semelhança de Deus. Gosto muito dos seus textos. Fique afogado na graça de Deus em Cristo Jesus e um grande abraço. Joubert Poça da Conceição. ____________________________________________________________ Resposta: Meu querido amigo: Deus estava em Cristo reconciliando o mundo consigo mesmo, e não imputando aos homens as suas transgressões! É claro que o inferno existe. E não é preciso morrer no corpo para se saber disto. A alma conhece o inferno já na Terra. E quem quer que o tenha experimentado sabe de sua existência, mesmo que não tenha ido para lá depois de morto. O inferno está no olhar. Veja que Jesus sempre associou o inferno ao olhar. Ele sempre advertiu acerca do inferno aqueles que vêem o inferno para os outros, ou aqueles que des-constroem o próximo tentando tirar dele a própria alma... Assim, nos Evangelhos, algumas poucas pessoas e situações se conectam com o inferno. É aquele indivíduo que guarda ódio do irmão. É o rico indiferente para com o destino do Lázaro. São os religiosos que rodeiam o mundo a fim de fazerem "filhos do inferno", e que de fato são aqueles que "jogam" os outros no inferno, seja com seu ódio, seja com seu olhar de morte. Jesus também disse que quem faz tropeçar um pequenino é réu do inferno. Fazer tropeçar um pequenino é fazê-lo descrer do amor do Pai. Assim, quem vive para fazer o próximo pensar em Deus como mau, esse sim é filho do inferno, e é homem de escândalo. Jesus não se preocupou tanto com os "pagãos sem Deus" quanto se afligiu pelos "filhos de Abraão", e que se haviam tornado "filhos diabo" pelo ódio homicida que lhes alimentava a alma. A esses tais Jesus advertiu que "ficariam de fora" do banquete, enquanto os "de fora" estariam dentro. Na parábola das Bodas do Filho, Jesus disse que o Rei está convidando a todos para as Bodas—maus e bons—e que só ficará de fora quem não desejar se vestir das roupas do perdão, que são as vestes da Graça. Na minha opinião vai para o inferno quem manda os outros para lá. Esse sim está caminhando para o abismo. Uma pessoa, para ir para o inferno—e creia, pode-se ir...—tem que desejar ir para lá. O inferno é uma escolha, não é um destino. Vai para o inferno quem olha para ele e diz: "É aqui que quero estar!" E geralmente os que assim dizem são aqueles em cujos corações não existe misericórdia alguma. No mais, a Religião esqueceu que o inferno é para ela, e não para aqueles aos quais ela acusa. A Religião precisa que o inferno exista em escala industrial porque ela se alimenta do medo das pessoas, e ganha seu poder de oferecer tais absolvições. Veja como Paulo praticamente não falou no assunto! Gente de Deus não anda pensando no inferno. Não pensa nele nem para si e nem para os outros. Todavia, não se iluda: o inferno existe, e está cheio de gente que mandou outros para lá...os quais lá não estão...mas quem os mandou, esses sim, estão. É impossível ler o Evangelho e não perceber que esse é o espírito ao qual o inferno se liga. No entanto, quem ama a Deus não pensa nisto. E mais: não ficará jamais triste se Deus decidir perdoar a todos. Quem fica com raiva de tal possibilidade, em si mesmo já é um candidato ao inferno. Digo isto sem nenhum temor, pois não tenho, para mim, nenhuma dúvida a esse respeito. Jesus disse que as portas do inferno não prevalecerão sobre a Igreja. Poucas palavras são mais fortes e definitivas. Porém a "igreja" prefere crer que as portas do inferno são invencíveis. Que contra senso! No fim de tudo até a morte e o inferno morrerão como realidades. É isto que o Apocalípse nos diz. O que passar disso, meu irmão, é conversa do diabo, e é propaganda dele a fim de fazer com que as pessoas odeiam a um Deus tão leviano em Sua decisão de mandar para o inferno a qualquer um...e com tanta facilidade. O espírito da maior parte das mensagens que eu ouço acerca do inferno é o espírito do sadismo eterno da religião da vanglória. E isto me dá arrepios. Confie no amor de Deus, pregue a Boa Nova, e deixe o resto com o único Deus, e Ele é bom, e a Sua misericórdia dura para sempre. Quando Deus deu a Lei, Ele disse que traria a maldição até a quarta geração dos que o aborrecem, e que faria misericórdia até mil gerações daqueles que o amam. Assim, o que prevalece de modo desproporcional, mesmo no regime da Lei, é a Graça. Humanamente falando é proporção de 4 para mil. Ora, se era assim na Lei, que não dizer na Graça? Quanto ao filho de seu amigo, saiba: Deus o ama mais que o pai dele. É o conhecimento do amor de Deus aquilo que torna o inferno uma impossibilidade para o coração de quem crê, e para o olhar de quem assim vê a vida: com os olhos da Graça de Deus. Eu não prego o Evangelho para que as pessoas não vão para o inferno. No inferno estão todos os que não conhecem o amor de Deus. Viver sem o amor de Deus é inferno na Terra. Eu, porém, prego a Boa Nova porque desejo ajudar as pessoas não pensarem que coca-cola é Água da Vida. Quem provou quer que todos provem! Eu só sei, meu querido, é que na Nova Jerusalém as folhas da Árvore da Vida são para a cura dos povos! E saiba: isto não me soa mal, ao contrário, me enche de alegria! Receba meu carinho. Nele, que destruiu aquele que tem o poder da morte, a saber o diabo; e que também é O Mesmo que um dia absorverá toda a morte na vida, Caio