Português | English

Cartas

TENHO SEDE DE DEUS, MAS ANDO CANSADA DE IGREJA

TENHO SEDE DE DEUS, MAS ANDO CANSADA DE IGREJA

-----Original Message----- From: TENHO SEDE DE DEUS, MAS ANDO CANSADA DE IGREJA Sent: quarta-feira, 5 de novembro de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: CANSADA DE IGREJA Mensagem: Amado Rev. Caio Fábio: Já faz alguns meses que te acompanho pela Internet; sempre quis escrever-te algo, porém sempre achava que o senhor é ocupado demais para poder conversar comigo. Hoje, apesar de não saber porque, resolvi entrar em contato. Gostaria de expressar minha admiração pela sua pessoa, e por sua maturidade espiritual. Me converti há alguns anos atrás; porém hoje em dia, assim como milhares de pessoas que te escrevem diariamente, ando meio distanciada da igreja, porém não quero me distanciar de Deus. Sinto que algo em mim está quebrado, e o sentimento de culpa é imenso...o Deus que é apresentado nas igrejas é muito severo, e mesmos tentando seguir todas as regras, minha vida não apresentava mudanças... Como conseqüência, não suportando o fardo, acabei me afastando da igreja já faz alguns meses. Sinto falta de me alimentar da Palavra de Deus, e por isso visito com certa freqüência sua página; não sinto interesse em ler a Bíblia... Pelo amor de Deus ore por mim; e caso seja possível me ajude a sair dessa situação na qual me encontro. Só não quero viver nessa terra como alguém que não soube servir a Deus. Abraços. ********************** Querida amiga: Paz! Hoje respondi em Cartas algo semelhante. Não gosto de Ir à Igreja—é o tema. Você já leu essa Carta? Sei onde você mora pela seu código de área. Me fale de você. Freqüentou que igreja? O que foi que mais a desanimou? Está com que idade? É casada? Trabalha com o quê? Me responda, por favor. Assim, poderei ser mais claro e útil na resposta. Mas leia o que escrevi no site. Espero poder ajudar. Nele, Caio ************************* -----Original Message----- Querido Rev. Caio: Não imagina a satisfação de ver meu e-mail respondido! Estou chorando de felicidade!!!! Ontem quando fui dormir fiquei ansiosa, pois não acreditava que iria me escrever. Agora, passada a excitação do momento, passo a responder seus questionamentos. Em primeiro lugar, não li ainda aqui no site sobre o que já foi escrito à respeito de não querer ir a igreja; mas vou ler assim que terminar de escrever esse e-mail. Como pôde ser constatado moro “aqui mesmo”, já faz 04 anos. Fui em algumas igrejas, mas ultimamente era membro de uma “igreja famosa”, e sei que conhece o líder lá (me disse o nome da pessoa). Pois bem, é uma boa igreja, só que muito grande, e as pessoas ainda se encontram naquela febre de se multiplicarem em células; e parece que se esqueceram que estão lidando com seres humanos que necessitam de um pouco mais de atenção. Sendo assim, apenas preocupados em aumentar o número, acabam se esquecendo logo-logo das ovelhas, sem analisar se estão prontos para andar com as próprias pernas. A maioria não está. Me converti em uma igreja numa cidade pequena que o senhor conhece bem. Na época em que eu fazia Faculdade de Direito, a igreja era pequena, mas tinha uma unção enorme. Naquela época eu me encontrava no primeiro amor, fui a primeira de uma família de 7 filhos a ser convertida; meus pais que eram espíritas, hoje servem a Deus de forma maravilhosa. Moro “aqui” com uma irmã que se separou e veio morar comigo; meus pais moram no interior. Quanto ao que me desanimou na igreja acho que foi uma soma de fatos e falta de maturidade espiritual para perceber que também estava lidando com seres humanos tão frágeis quanto eu e quem sabe até, tão assustados quanto eu; de qualquer forma ainda não consegui restabelecer o elo que se quebrou em mim. Só oro a Deus para que Ele me mostre o Caminho certo. Estou com quase 30 anos, trabalho num lugar muito importante e estratégico (me disse o nome do lugar), e lido com os escalões mais elevados da vida do país. Sou Técnica e me relaciono com organizações do mundo todo. Sei que Deus tem um propósito para mim “aqui”, porém não vou negar: às vezes já cheguei a duvidar disso. Já ia me esquecendo de dizer não sou casada ainda, mas já oro pela família que Deus poderá me dar um dia. **************************** Querida amiga: muita Paz sobre sua vida! Sua vida com Deus terá que ser sua e Dele. Não se pode botar a culpa na igreja. Não a culpa que não é dela. E quando eu digo “dela”, digo dos líderes, daqueles que sabem; pois ganham a vida dizendo que sabem como é o caminho. É por isso que são indesculpáveis. Pois quem não sabe não deve ditar regras e muito menos ser severo. Você falou em regras e regras. Pelo profeta Isaías Deus diz que este povo gosta é de regra sobre regra, preceito sobre preceito, lei sobre lei—tudo isto a fim de não terem que se converter de coração a Deus. É mais fácil se ter um monte de leis, do que abdicar delas e mergulhar com fé e confiança no que Jesus já fez e consumou por todos nós. O que proponho a você é uma jornada. É o que estou propondo a todos aqui neste site. A gente pode caminhar juntos, crescendo na Palavra da Graça de Deus. A chegada ao nível da estatura do varão perfeito nenhum de nós alcança em plenitude na Terra. Mas começa aqui. E como é esse caminho? 1. Quando pela fé se fica sabendo que Deus é Amor, e que Seu amor se revelou em Jesus, daí em diante começa a aventura. Nunca antes disso. Antes disso há apenas religião, crenças e regras. 2. Depois essa fé vai passar por muitos estágios. Ela irá de oscilações entre certezas e medos, à alegria de saber que nada poderá separar você do amor de Deus. Não existe paz antes disso. 3. Essa segurança haverá de ser testada. A vida vai chamar ao cenário aquilo que você vencerá; ou o que vai vencer você. No primeiro caso, você pode sair saudável, se não se jactar dizendo: “Eu sou fiel”. A saúde está em se dizer: “Pela Misericórdia e Graça de Deus, escapei”. No segundo caso, o que se tem é uma experiência de total auto-relativização, e que mergulha o indivíduo inicialmente na culpa, depois na tristeza, depois na fé, depois na Graça do Perdão, depois na confiança; e, finalmente, na segurança e no quebrantamento pessoal. 4. Ora, nesse nível da fé a gente fica mais dependente de Deus do que nunca, e menos dependentes dos homens do que nunca—embora, agora, sem dependência, você possa começar a se relacionar de modo maduro com sua verdadeira irmandade: gente igualmente dependente da Graça de Deus em Cristo, e que não se gloria nem em si mesmo e muito menos no homem. 5. Desse ponto da jornada em diante a viagem será cada vez mais no sentido da pessoa se enxergar em Cristo, e, sem medo, olhar no espelho da Palavra, discernir o próprio coração, e crescer na Graça e no Conhecimento de Deus, mergulhando cada vez mais na pacificação do seu próprio ser. 6. Daí em diante tudo fica relativo. Ter, não ter; poder, não poder; saber, não saber; etc... Todas essas coisas já não urgem com os poderes do momento e nem das competições promovidas pelas circunstancias. 7. O que segue a isso é aquela vereda do amor, e que vai nos levando cada vez mais ao que de fato vale, e que é aperfeiçoado no amor. Nesse caminho não há medo. E a morte já não existe, porque o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Por que estou escrevendo isto a você? Porque sei que parte da sua angustia atual é o resultado de ter saído da bolsa, deixado o útero comunitário, e estar sem saber como caminhar. Agora é que você vai caminhar. Com as próprias pernas e com maturidade. E nesse processo você não vai andar sozinha. Haverá muitos bons e agradáveis irmãos no caminho. Todos os que são do Caminho se reconhecem na estrada. Leia a Palavra pedindo Luz e Discernimento. Uma coisa é ler a Bíblia. Outra é ler a Palavra (aqui no site você encontrará bastante coisa sobre essa sutil distinção). Deixe que as verdades da Graça de Deus penetrem seu ser por inteiro. Quanto mais você andar na Graça, conforme o Evangelho, mais visão você terá das coisas, menos escandalizada você ficará com qualquer coisa, e também mais livre você ficará para não ser manipulada ou enganada. Desse ponto em diante a gente só vê e ouve aquilo que edifica e convém. E, certamente, até a comunidade que você freqüentará será madura também. E a maior característica de uma igreja madura—além de ensinar a Palavra do Evangelho com clareza, unção, verdade e simplicidade—, é que nela todos se ajudam, mas ninguém se mete onde não é chamado. Existe respeito pela privacidade do próximo e ninguém é vigia de ninguém. Todos são irmãos, não fiscais. Tal igreja pratica um amor discreto! Divulgue sempre este site. Receba meu carinho. Nele, Caio