Português | English

Cartas

TENHO ATÉ PENSADO EM ME MATAR

TENHO ATÉ PENSADO EM ME MATAR

-----Original Message----- From: TENHO ATÉ PENSADO EM ME MATAR Sent: sábado, 22 de novembro de 2003 12:16 To: contato@caiofabio.com Subject: ESTÃO ZOANDO DE MIM NA IGREJA Mensagem: Oi, nunca pensei que iria estar te escrevendo, mesmo porque és muito ocupado e achei que nunca fosse respondido. Mas deixa pra lá, eu tomei a iniciativa de escrever porque estou passando por um momento em minha vida que não pensei passar. Fui criado dentro da igreja, mais eu só vim a me converter a CRISTO tem poucos anos; e te confesso que gosto muito de certas coisas que fiz, como por exemplo: beber, eu gosto de uma bebida e chego a sentir falta, às vezes, quando não bebo; eu já fumei, e pra ser sincero, eu tenho uma certa quedinha pra isto. Pra piorar as coisas, eu tinha uma namorada, e vários amigos; e que sumiram quando eu e minha namorada terminamos; até parece que eles eram amigos por causa de garota. Agora eles ficam me zoando e curtindo com minha cara, me tirando das coisas, e o pior é que eles são do mesmo grupo na igreja, sendo que alguns são da liderança do grupo da mocidade. Fiquei muito abalado, e sem saber o que fazer, pois sempre encontro com eles por lá, e agora varias pessoas estão fazendo a mesma coisa comigo. Eu não sei o que fazer pra não sair da igreja ou pra não fazer o que eu de certa forma gosto, que são o que relatei acima. Tenho passado por dificuldades de aceitação própria, pensando, às vezes, em até acabar comigo mesmo. Se não tem utilidade pra que ficar levando? O que eu devo fazer? Tenho 21 anos mas não vejo mais graça na vida. O que devo fazer com esta situação para que eu não venha a me prejudicar? *************************************** Resposta: Meu querido amigo: Paz! Esta é a pior hora do mundo para pensar no que você gosta ou não de fazer, e nunca fez ou deixou de fazer por ser evangélico. E por que? Porque você está magoado, e isso fará com que qualquer coisa que você faça, se torne uma espécie de vingança contra o grupo que o reprimiu. Afinal, se não fosse o grupo você já teria provado ou continuaria provando; e só está levantando essa questão agora, porque aqueles que eram a sua motivação para não fazer, perderam o seu respeito pelo modo como vêm lhe tratando. Assim, aquilo que antes era uma curiosidade ou um gostinho, pode se tornar uma vingança. E como vingança vai ser praticada. Ou seja: será realizada com uma intensidade auto-destrutiva; é a síndrome do Descontar o Atrasado—e que acaba por prejudicar o vingador, no caso: você. Você até já embolou a coisa toda. O “grupo” passou a representar a igreja, que também, em sua cabeça, representa Deus. Assim, indo contra os padrões do grupo você vai contra a igreja, e, conforme a sua lógica emocional, contra Deus também. Desse modo, a porcaria de um cigarro ou de um drink podem levar a sua consciência à auto-violência, apenas porque você magoado. Não faça isto. O que você tem diante de você é a receita para aprender um vício com certeza (o cigarro—o pior de todos, o mais envolvente), e a possibilidade de descobrir uma propensão à compulsão na bebida. Digo isto porque evangélicos são preto ou branco. Ou é calça de veludo ou bum-bum de fora. Não há equilíbrio em nada. Ou não pode nada, ou pode tudo o que não podia antes. Não há a Zona da Temperança. Há apenas esse xadrez de preto-branco. E quando o indivíduo acha que quer fazer a vontade de Deus, anda pelas quadras brancas (que são os mandamentos da igreja); e quando está zangado, cansado, magoado, ou decepcionado, escolhe por obrigação compulsiva só andar nas quadras pretas (que são as transgressões dos mandamentos da igreja). É por isso que evangélicos ou estão num pólo ou noutro de qualquer comportamento. A vida passa para os evangélicos em preto e branco. E os atores têm que ser mudos, e não ter opinião. Bem, estou respondendo apenas para dizer a você que aí em sua cidade há boas igrejas, pastoreadas por gente sensata. Procure uma delas se for o caso de você não conseguir se sentir bem na sua. Mas pare de bobagem, e não transforme isso num “big case”, porque não é. Sobre você dizer que pensa em tirar a própria vida, não vou nem levar em consideração. É apenas uma síndrome de Elias ou Jonas: “Rogo-te, ó Deus, que leves o teu servo, pois me é melhor morrer do que viver!” Ou seja: acontece até com gente muito adulta, quanto mais com um jovem que vive um processo de definição de imagem, identidade e personalidade!? Esqueça isto, e isto esquecerá de você! Qualquer coisa me escreva outra vez. E não esqueça: você é de Jesus. E com Ele não aconteceu nada. Ele não muda. Ele é fiel, mesmo quando a gente é infiel. Receba meu carinho. Nele, Caio