Português | English

Cartas

SUICÍDIO À DINARMAQUEZA: frio como o Ártico!

SUICÍDIO À DINARMAQUEZA: frio como o Ártico!

 

----- Original Message -----

From: SUICÍDIO À DINARMAQUEZA: frio como o Ártico!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Wednesday, December 09, 2009 5:47 PM

Subject: Já estou satisfeito com a temporada...

Caio,

Sou grato ao Eterno por tudo.

Já estou plenamente satisfeito com a experiência de vida que tive em meus 50 anos da minha jornada aqui.

Hoje em dia nada mais por aqui me apetece, já me dou por satisfeito por tudo, e penso que a minha temporada deve terminar na superfície desse planetinha.

Estou pensando em partir daqui em definitivo. Não gostaria de causar dor ou sofrimento para nenhum ser humano.

Vejo e ouço o teu bom trabalho diuturno em prol do ser humano que não se entregou ao mal e não se conforma com a maldade da natureza humana.

Que tu continues sendo um instrumento de esperança fundada nas mãos do Eterno.

Que Ele sempre tenha o Seu rosto voltado para ti.

__________________________________

Resposta:

 

Meu irmão: Graça e Paz!

 

Se entendi corretamente — já que não existe um aparelho de traslado para um mundo paralelo — você está me dizendo de sua delicada decisão de pedir a conta; assim como quem diz “valeu mesmo”; ou como quem afirma: “A comida estava uma delicia, mas estou indo”; ou mesmo como quem canta “moro em Jaçanã... se perder este trem que sai agora as onze horas... só amanhã de manhã”...

Sinceramente, com todo respeito pelo seu respeito por mim e pelo que vivo e faço no Senhor aqui neste mundo, não sei por que você desejou me escolher para essa despedida!...

Respeito todos os suicidas angustiados pela existência e suas mazelas, mas não consigo sentir empatia pela desistência da existência quando a alma é capaz de escrever como quem convida para uma visita a uma sorveteria em dia de frio...

O que você quer me dizer com seu tranquilo desespero?...

Deseja que assim se diga que você se suicidou “na boa”?...

Não existe “na boa” para o suicídio que se faz planejado e frio!...

Que frieza de morte é essa que lhe serve de pulsão?...

Li sua carta e senti o frio dela...

Sua alma está assim... gelada?...

Mano, como você conseguiu mergulhar nesse Ártico de alma?...

Se de alguma coisa serve a você a minha opinião, o que lhe digo é que deixe a covardia de existir e abrace o Evangelho; no qual o convite é para Vida e Vida em Abundancia; sem clichê de “igreja”...

Estou pedindo a Deus que me dê mais alguns anos aqui, tantos quantos Ele queira, pois, quanto pior fica [...], mais motivado me sinto a ficar e lutar; lutar com vida, amor e fé; lutar com esperança, coragem e tenacidade; lutar a fim de combater o bom combate, completar a carreira e guardar a fé!

Enquanto isto você quer destruir o ser santo que você é!

Você tem o direito de se matar; mas é um direito contra você!...

Por quê?...

Ora, porque todo aquele que ama a morte não tem parte com o Autor da Vida!

Até para a eternidade eu preciso ser chamado!...

O ser saudável que se oferece para a morte como conforto, é covarde...

Sim, sofre daquele mal de covardia que o Apocalipse diz que deixa a gente de fora da Nova Jerusalém!

Por isto, não brinque nem de viver e nem de morrer...

Sobre seu medo de fazer mal as pessoas...

Que mal você teme fazer a elas se viver?...

Não sei o que você faz na vida, mas sei o que você fará de ruim com sua morte deliberada e escolhida, como se você estivesse levando os netos à Disney...

Pare com isto!

Essa “persuasão” vem do Maligno!

Resista ao diabo e ele fugirá de você!

Com todo amor é o que tenho a lhe dizer!

Assista o Papo de Graça amanhã..., às 9 horas da manhã.

Veja: http://www.vemevetv.com.br/

 

 

Nele, que ama os suicidas, mas não ama o suicídio, especialmente aquele que se faz como quem lancha com pãozinho de queijo...,

 

Caio

10 de dezembro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF