Português | English

Cartas

SUA REAÇÃO À MORTE DO LUKAS— Fausto Roberto Castelo Branco

SUA REAÇÃO À MORTE DO LUKAS— Fausto Roberto Castelo Branco

-----Original Message-----

From: Fausto Roberto Castelo Branco

Sent: quinta-feira, 8 de abril de 2004 17:42

To: contato@caiofabio.com; caiofabio@evangelicos.com

Subject: SUA REAÇÃO À MORTE DO LUKAS — Fausto Roberto Castelo Branco

 

Querido pastor, irmão e amigo-virtual-mais-que-real Caio,

Assim como incontáveis outros membros do Corpo, chorei lágrimas quentes e salgadas quando vi no site a notícia da morte do Lukas, há 13 dias. Deus viu! Você e todos os que amam o Lukas, tenho certeza, sentiram... Foram incontáveis lágrimas e orações de inúmeros membros do Corpo.

Tenho lido tudo o que você escreveu, desde o primeiro instante, quando você não sabia “que horas eram”, mas sabia que hora sombria era aquela.

A sua primeira reação foi chocante. As seguintes... Ainda mais. Da acidez e do amargor você extraiu doçura. A “alma sangrando sarada”, estando sarada-sangrando, poetizou diante do véu negro da morte. A dor – esta, de perder um filho – até então desconhecida por seu coração teve de dividir, nele, o espaço com uma efusão de melodias e harmonias celestes.

No decorrer desses dias, fiquei acompanhando diariamente a produção da sua alma (e a de tantos outros membros do Corpo) vertendo esperança e jorrando bênção. A semente, morta, gerando vida... Claro que as cores da multiplicidade na unidade se fizeram notar, e um aroma agridoce se fez exalar de tudo o que, nesses dias, de sua alma brotou... Afinal, se assim não fosse, você não seria humano!

Eu, em momento nenhum fiquei chocado – fiquei, sim, profundamente triste pelo ocorrido –, mas é certo que as suas reações, em si, foram chocantes: fugiram totalmente ao previsível. O que é inesperado sempre é chocante. Choca porque foge ao padrão comportamental reativo real do “crente”, que, na prática, é quase sempre o mesmo dos demais humanos. Mas estou começando a compreender que, num caso como este – que, do ponto de vista humano, é da mais absoluta gravidade –, se a alma da gente estiver imersa na Graça, uma reação como a sua não deveria ser inesperada nem chocante. Deveria ser, na verdade, a reação esperada: um ser humano que absorveu a Graça e dela sorveu o néctar pode, sem rancor, mas não sem grande dor e muita luta, reagir conforme aquilo que apregoa, visto que o que prega está entranhado nos porões e cantinhos mais recônditos da alma.

Sua vida é a sua pregação. E ambas, que são uma só coisa, falam de “mais um passo na direção do Amor” no contexto da perda súbita de um filho amado! “Se quisesse ser diferente, não podia; se pudesse, não queria”... Obviamente a sua alma não está isenta da dor – e dor atroz. Você não está alienado, tampouco. E infelizmente não está livre de julgamentos idiotas – o Corpo se auto-flagelar é uma atitude idiota, convenhamos. Li a sua oração. Saibam os membros que eventualmente o estejam tentando flagelar que é a si mesmos que estão fazendo mal – se é que são, efetivamente, parte do Corpo. Se não forem, então o Corpo nem deve se dar ao trabalho de sentir essa dor.

Sua reação me fez não saber, mas VER que há consolo. Há abrigo. Há refúgio, há lenitivo, há carinho e “colo de Deus” nas horas sombrias da noite da alma. Obrigado, mesmo, por ser uma prova viva disso... Estou agradecendo “ao senhor e ao Senhor”.

Ao dizer que não fiquei “chocado”, eu não quis dar a entender que sou imune ao sofrimento, ou que já tenha atingido um nível minimamente desejável de assimilação da multi-formidade da Graça; ainda estou engatinhando... Não sei como teria reagido se fosse comigo.

Que Deus nos ajude – a começar por mim – a nos apropriar definitivamente desta verdade: que a Sua Graça é melhor que a vida.

Receba um abraço carregado de amor incondicional, que sempre existiu, e hoje existe ainda mais intensamente.

Para concluir “caiofabiando”:

Nele, que transforma o véu negro da morte em manto de luz iridescente,

Fausto R. Castelo Branco

_________________________________

 

Resposta:

Amado Fausto: o céu é o nosso Lugar!

Passei a vida toda crendo e pregando isto. A Palavra é minha, embora a minha vida não seja a Palavra. Mas ela me carrega, me leva, me faz ir andando e chorando...todos os dias...e deixando semente semeadas morrerem para que eu possa um dia voltar com todos os meus feixes...

Lukas é parte da minha herança no Senhor; e é herança do Senhor em mim. Como eu disse, antes, em certo lugar, a semente dele fez morrer outras sementes de vida em mim e em muitos, e todas elas se abrirão e darão muito fruto.

Chorando se é consolado. Com mansidão se herda a terra. Pacificando se é chamado filho de Deus. Perseguido...se deve exultar. Incompreendido...se deve crer. Na perda...vêm os nosso ganhos.

Assim vou...assim iremos todos juntos!

Um beijão,

 

Caio