Português | English

Cartas

SOU VIRGEM E DESCOBRI QUE MINHA NAMORADA NÃO É...TEVE OUTROS

SOU VIRGEM E DESCOBRI QUE MINHA NAMORADA NÃO É...TEVE OUTROS

-----Original Message----- From: SOU VIRGEM E DESCOBRI QUE MINHA NAMORADA NÃO É... Sent: sábado, 22 de novembro de 2003 03:09 To: contato@caiofabio.com Subject: ELA TEVE OUTROS... Mensagem: Sou um jovem de vinte anos. Sou convertido desde os dezessete. Cresci em um lar de adultérios. Vi o casamento dos meus pais acabar, como uma vela acesa em noite escura, e que é apagada. Decidi me conservar virgem para gloria de Cristo, porque entendo ser o sexo o grau máximo da intimidade; a ponto de não serem mais dois, mas apenas um. Sempre sonhei em conhecer e descobrir este mistério junto com meu conjugue. Comecei a namorar uma menina muito "zelosa". Se veste decentemente, fala com doçura, é bela como uma flor, boa filha, boa irmã, sem inimigos e o mais importante: jamais senti nada igual; não é algo louco, descontrolado, irracional; pelo contrário, é sereno e muito forte. Mas ela me revelou que não era mais virgem. Eu sofri. Mas não sei se por Bom Samaritanismo ou por um desejo enorme de glorificar a Deus, continuei o namoro. Ignorei os fatos...não quis saber detalhes...nunca mais toquei no assunto. Todavia, decidi que iríamos casar, pois queria mostrar que ela era tão valorosa quanto dantes; a única coisa que fiz foi algumas perguntas; creio que qualquer um também as faria. -Você transou várias vezes ou apenas uma? eu perguntei. -Apenas uma. Ela me respondeu. -Você já traiu algum namorado? -Não nunca. E jamais toquei no assunto. Até que um dia descobri que ela havia traído um de seus antigos namorados. Isso me deixou totalmente atordoado, por saber como foi. Após o namorado deixá-la na rodoviária para tomar o ônibus para outro estado, ela ficou com outro rapaz dentro ônibus. Me deu nojo, vontade de vomitar, raiva, desespero... Toda a honestidade que tinha visto nela foi desintegrada. Aí pensei: se ela mentiu em um aspecto, pode estar mentindo em outros. Fui para casa me sentindo um grande palhaço, alguém que sempre é o segundo, e jamais o primeiro. Liguei para ela. Disse que havia descoberto a sua mentira. Ela negou, ironizou, etc...mas, depois, confirmou. Perguntei a ela se havia sido só um. Pressionei. E descobri que não. Haviam sido vários... Segundo o que ela me disse, ela ficou com um rapaz que era fornecedor da empresa onde ela trabalhava. Ficaram algumas vezes. Até que este foi transferido de rota. Então ela conheceu outro, que a cantou, e mesmo tendo namorada, ela aceitou a situação, e ficou com ele até a ida dele para outro país. E eles só não se viram no dia que ele foi embora porque ele não dava conta de duas. Aí por fim ( as vezes nem acredito ser verdade) ela aceitou a cantada do patrão, que tem o dobro da idade dela, e filhas também da mesma idade. Por impulso raivoso terminei meu namoro, apesar de amá-la. Mas ela me disse ter mudado, e estar profundamente arrependida. Sei que não devo questionar a soberania de Deus, mas afirmo que não consigo parar de perguntar: "Porque Senhor?" Sei também que devo trilhar os passos e seguir o modelo de Cristo; sim, devo perdoar; mas o problema é que não a condeno pelo que fez, mas por ter mentido para mim; como dói! O grande problema é que tudo tem dois lados: posso continuar com ela e ser feliz; posso acabar o namoro, me casar com uma menina virgem, e depois ela se tornar uma prostituta. Não sei se posso confiar no que ela diz, uma vez que ela mentiu para mim; eu quero confiar porque a amo, mas não consigo. Caio, por favor, se for possível, me responda. Saiba que há um irmão que confia em você como servo de Deus, e sabe que você é experiente. Quero glorificar a Deus, não importa o sacrifício que tenha que fazer; nem que seja minha própria felicidade. Penso que posso entrar na esfera do alívio, da anestesia e viver fingindo que não sofro. Tenho medo! Medo de ao me deitar, e vir a minha, ou pior: à mente dela, vislumbres do passado. Só Deus sabe o que aconteceu nessas experiência...enquanto jamais fui tocado não a parte nenhuma nela que não foi tocada...nada ela é meu; enquanto tudo meu é de Cristo, e pode ser dela se Cristo o der. Parece meio farisaísmo.Gostaria de não pensar assim, mas acho ser impossível; e o que é triste é que sei que a minha decisão é só minha, a responsabilidade minha, as conseqüências dos atos também são minhas, mas acabarão influenciando a muitos, porque há dois anos fui chamado por Deus para o Sagrado Ministério, e tenho um grande peso nos meus ombros. Sei que talvez você nem leia, mas se ler e não tiver nenhum conselho, ore por mim, me ajude a levar este peso, meu irmão. Desculpe os erros de digitação. "Bem sei que tudo podes e nenhum dos teu planos podem ser frustrados, por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza". Jó 42: 2 e 6. ************************ Resposta: Meu amado amiguinho: Paz e Sossego para a sua alma! Você está sofrendo de um mal evangélico designado por mim como: “Se eu não fiz, ninguém fará”. Sei o significado de assistir papai e mão se separarem. Vi nos olhos de meus filhos o impacto, a dor e a perplexidade. Conheço as seqüelas. E vejo em você um moço sequelado pelos traumas que viveu e assistiu. Agora, o que lhe sobrou foi criar um futuro honroso e diferente para você. Você disse: Vou mostrar para papai e mamãe o que é ser um homem bom e de Deus! Graças a Deus o amor divino deu logo a você a chance de saber que ninguém tem controle sobre nada. Como você mesmo disse, agora você está aí, sem saber se termina com quem poderia ser feliz—isso em razão das “ficadas” dela—; ou se termina, casa com uma “virgem”, apenas para descobrir que havia uma “Gomer” (a mulher do profeta Oséias) escondida dentro da virgem. De fato, meu amado, ninguém sabe de nada. Por isto, o justo viverá pela fé, até no casamento. Para os evangélicos parece ser verdade que o casamento é um ente separado do mundo, e que carrega a promessa de não precisar acontecer em fé e dependência de Deus, como se fosse um reduto onde houvesse segurança total. Sinto informar, mas não é assim. Apenas uma pessoa cega e preconcebida pensa diferente. Quem anda de olho aberto e vê a vida com isenção sabe que qualquer coisa pode acontecer a qualquer um. Eu não tenho como fazer predições. Falo apenas o que creio e sinto. Antes de tudo, me parece que você precisa encarar o fato que essa sua fixação na virgindade é um reflexo de seu trauma familiar. Mais do que uma convicção, é uma fixação, uma resposta inconsciente ao desastre familiar. De fato, é a sua Vingança. Outra coisa a ser pensada é a seguinte: essa menina não viveu seus traumas. Ela viveu os dela. Em você as coisas tomaram um caminho. Nela, um outro completamente diferente. O que você tem que saber é que qualquer que seja a escolha que você faça, você encontrará sempre alguém com algum passado. Até mesmo a virgem terá um passado, e que pode ser muito pior do que o da sua atual namorada. Há virgens no corpo que são psicologicamente adoecidas de alma. Doença de alma não depende da perda do hímen. A questão é: vocês se amam? Ela já enganou você? Não ter contado tudo, sinceramente, eu entendo. Para ela não teve todo esse “significado”. Para você tem todo significado. Ela não quer perder você. Teme. Então, ou não conta ou conta em conta-gotas. Você vai ficando neurótico. Ela se assusta. Então você foi bisbilhotar. A coisa não veio por revelação. Você fuçou. Ficou amigo de amigos e desencavou os mortos, fez exumação, e quase enlouqueceu com os fantasmas. Agora, ela passou a achar que para resolver o problema deve contar tudo, despejar a verdade. Afinal, eu aposto que você disse que se ela falasse toda a verdade nada aconteceria; pois você ama de verdade. Ela creu, contou; e você enlouqueceu. Agora você está aí, deitado em agonias, olhando para o teto e imaginando onde pegaram no corpo dela. Abraça o seu corpo com raiva. Você é virgem (como se fosse algo ruim); ela não é mais; outros já a conheceram—é o que você pensa. Conheceram? Meu amigo, eu não nasci ontem, e tenho algo a dizer a você: Nenhum homem conhece uma mulher até que ela se dê; e isto, meu amigo, não tem nada a ver com um ato sexual—pode até ter, mas nem sempre tem a ver. A maior parte das mulheres que eu conheço, mesmo casadas, sofrem a tristeza de terem gerado filhos e não terem até hoje se entregado para ninguém. A entrega de uma mulher acontece na alma. E um homem sabe quando uma mulher que já foi “casada”, foi de fato casada; e quando ela apenas fez um casamento, mas nunca se deu. As mulheres, muito melhor do que os homens, sabem do que estou falando. Seu melhor conselheiro neste momento não deve ser um machinho bobo e invocado, mas um homem ou uma mulher que sabem o que tem significado e o que não tem significado. Eu como todos os dias. Mas nenhum ato de comer tem para mim o significado comparável ao de comer o pão e beber o vinho, na ceia do Senhor. Por que? Ora, porque ali eu estou me dando em total comunhão! Meu conselho a você também é no sentido de que busque ajuda psicológica para essa fixação na dimensão dos valores do sexo. Isso pode gerar distúrbios de comportamento sérios em você, caso você trate a questão com esses rigores. Será como um bumerangue: voltará sobre a sua própria cabeça! Se você a ama e quer tentar, tente. Mas não saia logo nessa pressa de casar. Namoro é para isso. Pra gente ver se quer ou não quer. Só case se estiver muito bom. Casamento não é missão, nem ministério. Não tenha nenhum compromisso com o mais ou menos. Mas se ficar, deixe esse passado no passado, e viva o Hoje. Receba meu beijo carinhoso. Nele, Caio