Português | English

Cartas

SOU SEXOMANÍACO?...

SOU SEXOMANÍACO?...

 

----- Original Message -----

From: SOU SEXOMANÍACO?...

To: contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, April 09, 2009 11:26 AM

Subject: SOU SEXOMANÍACO?...

 

Caio,

 

Me masturbo 20 vezes na semana e transo com minha esposa umas 10 vezes na semana. 

Dizem que é doença...
Só queria saber qual profissional procurar:

SEXÓLOGO, PSICÓLOGO, PSIQUIATRA OU VOU MORAR NUM PUTEIRO?
VALEU MAN.
________________________________________
Resposta:

 

Meu irmão: Graça e Paz!

 

Se sua esposa não é a pessoa que acha isso doença, então, você tem apenas que controlar a masturbação, posto que fazer amor com a mulher até 10 vezes na semana não é nada de-mais para quem tem saúde e uma companheira alegre e fogosa.

Um homem jovem e normal, sendo casado com uma mulher feliz e sexualmente alegre, pode desejar transar até muitas vezes no dia, e nada haverá de errado nisso.

Em uma atividade sexual juvenil ou nova, quando há amor e desejo de ambas as partes, se você me dissesse que fazia amor com sua esposa até cinco vezes ao dia, nada me diria de-mais ainda...

O problema é que você apenas faz sexo e transa; mas você não faz amor.

Conheci um massagista japonês que me disse que há 40 anos transava com a esposa até seis vezes ao dia. Rsrsrs.

Perguntei: E ela? Topa sem reclamar?

Ele respondeu: Ela acha que é muito, mas prefere transar mesmo, pois, quando não transa, fico tão nervoso que atrapalha a casa...

Rsrsrs!

No entanto, não é prazer no sexo o que conduz você. É compulsão. Daí a masturbação ter esse papel que tem em sua vida.

Entretanto, antes de recomendar qualquer coisa, exclusivamente em razão da compulsão masturbatória, digo que você deveria medir as suas taxas hormonais, a fim de ver se algo fora de ordem... Portanto, antes de tudo, vá a um Endocrinologista.

Se você fizer isto e der tudo normal, então, certamente o excesso que vaza pela masturbação seja uma compulsão psicológica. Então, tem que haver um estudo Psicológico da compulsão.

No entanto, pergunto:

Por que a masturbação, que é algo tão sem graça e tão infantil, ocupa esse lugar na sua vida..., se sua mulher está aí, aberta para o amor?

Ou ainda:

Ela acha de-mais a sua atividade sexual?

Ela reclama?

Ela sabe que você se masturba com essa avidez?

Se sabe:... o que ela diz?

Você não reportou nenhum tipo de atividade sexual fora do casamento. Então, por que o puteiro como referência para um descarrego de energia sexual?

Se sua mulher acha bom a seu ritmo sexual, o que você tem que fazer é parar a masturbação.

Mas por que a masturbação? — você pergunta.

Porque ela é não apenas altamente viciante, mas, sobretudo, porque ela infantiliza a sexualidade da pessoa, fazendo-a um ser da fantasia, e não da realidade. E mais: como a masturbação não satisfaz psicologicamente a pessoa, a tendência é que a pessoa se masturbe cada vez mais... É como um cão correndo atrás do próprio rabo.

Ora, quando alguém se torna uma pessoa que se satisfaz com os recursos da fantasia, o passo seguinte é fixá-lo como padrão, até que se torne uma compulsão, posto que não haja limites para a criação fantasiosa.

Aqui no site há mulheres que desejariam muito que o problema delas com o marido fosse esse... Rsrsrs.

Portanto, resta saber como sua esposa se sente, pois, caso ela goste, nada há de anormal em um homem jovem e sadio desejar fazer amor com a esposa 10 vezes por semana. Não chega nem mesmo a ser uma transada por dia... Pode parecer muito para alguns, mas, para outros, é normal; e há muitas mulheres que não acham estranhos serem desejadas assim.

Mas, como disse, o problema aparente é que ela não satisfaz você; e, por isto, você recorre à masturbação como se fosse o cano-ladrão na caixa d’água. Aí é que mora tanto o perigo como também o vício.

Portanto, leia o site e procure por temas semelhantes; e você verá que há muito material sobre o assunto aqui no site.

Parece chavão já para alguns... Porém, recomendo a leitura do Sem Barganhas com Deus, aqui no site, pronto para ser baixado e lido.

Resumindo:

Fora a masturbação, que em adultos é infantilidade e pode virar compulsão, o mais, havendo consenso com a esposa, creia: não tem nada de mais...

Com todo respeito é isso que lhe digo!

 

Nele, que nos chama para o que realiza o bem de ambos num casamento, e não apenas o desejo de um,

 

Caio

9 de abril de 2009

Lago Norte

Brasília

DF