Português | English

Cartas

SOU PASTOR PENTECOSTAL, E NÃO QUERO SERVIR AOS HOMENS

SOU PASTOR PENTECOSTAL, E NÃO QUERO SERVIR AOS HOMENS

Olá Rev. Caio, Sou Pastor de uma igreja pentecostal e gostaria muito de poder escrever-te, livre de toda e qualquer teologia; teologia moral da causa e efeito... imposta pela vontade do homem..., mas por uma questão ética, respeito a liderança... etc. Por um momento não posso pregar minhas/suas revelações.... Que coisa!!! Cristo não me libertou? Ciente de que és uma pessoa amorosa, sei que compreenderás minhas raízes pré-impostas. A questão é a seguinte: Confessar... para destruição social, familiar, moral...etc. Ou se calar para continuar as coisas, deixando-as como estão, e ir para o inferno, como eles dizem? Na verdade tenho visto no decorrer dos anos a forma de tratamento que a liderança tem dado “aos pecadores” dentre as suas ovelhas, e cheguei a conclusão que a melhor coisa a ser feita a fim de que eu não caia em vergonha, é calar-me para o homem, uma vez que não serei exposto ao ridículo, e não ficarei na mão deles por toda vida.... Que coisa!!! Por que a liderança cobra tanto a confissão de pecados? O que fazer com o salmo 32, o livro de Romanos etc... Nunca estive tão próximo de Deus como nesses dias, depois que comecei a ler seu site... Quanto mais humano me vejo, mais perto da glória do Senhor Jesus eu estou. Tenho sido esclarecido sobre a verdadeira liberdade cristã de uma forma maravilhosa, posto que a mesma me tem dado toda liberdade. Porém quando vou poder expor essas idéias, visto que estou debaixo de uma liderança com raízes assembleianas? Será que a revelação da graça estará presa por minha covardia? Abraços! Naquele que não julga segundo o homem. __________________________________________________________________________________ Resposta: Meu querido irmão: Graça e Paz! Chegará a hora em que você não poderá mais se conter, e pregará o Evangelho da Graça, e o fará com intrepidez e amor, e ninguém poderá detê-lo. No entanto, até aqui, conquanto você esteja já se beneficiando, as coisas ainda lhe são “novas idéias”. Ora, elas terão que se tornar Boas Novas em você e para você; tornando-se, assim, em algo que já não é idéia, nem teologia, nem filosofia, nem encanto, nem descoberta, mas sim apenas um modo de ver a tudo e todos, de enxergar e de sentir, de discernir e de entender, de ser e fazer. É nessa direção que devemos estar andando. Esse é meu alvo. É aí que quero chegar... em plenitude. Portanto, impregne-se da Palavra como Vida, e tudo o mais será normal, e, também, irreprimível. Nesse dia, por mais que o persigam, seu rosto resplandecerá como o de um anjo. Quanto a confessar ou não confessar, devo dizer que bom é quando se tem amigos honestos e homens o suficiente para ouvirem também a nossa confissão. Pouquíssimos os possuem. Eu tenho a benção de ter alguns. No entanto, reconhecendo tal dificuldade para a maioria esmagadora, que sem dúvida fica refém de pastores e confessores moralistas e manipuladores, sugiro que você fale com Deus, e se sinta a vontade para confessar aqui, como milhares o fazem, encontrando alívio nem tanto nas resposta que dou, mas no próprio ato de se abrir e confessar: Efatá! Aqui no site, todavia, minha opinião sobre quando confessar e quando não confessar aos homens, está bem expressa, e mais bem claras ainda estão postas as razões pelas quais isso se tornou, muitas vezes, uma temeridade. Receba meu beijo! Me escreva sem temor! Nele, que ama a verdade no intimo, Caio