Português | English

Cartas

SOU PASTOR E PROFESSOR, E DESCUBRO QUE O POVO NÃO GOSTA DA G

SOU PASTOR E PROFESSOR, E DESCUBRO QUE O POVO NÃO GOSTA DA G

-----Original Message----- From: SOU PASTOR, E DESCUBRO QUE O POVO NÃO GOSTA DA GRAÇA... Sent: sexta-feira, 12 de dezembro de 2003 08:58 To: contato@caiofabio.com Subject: ELES QUEREM É LEI! Mensagem: Pastor-amigo Caio, Graça... Palavra doce..., como é difÍcil para as pessoas compreenderem a doçura real dessa palavra. Enquanto muitos a almejam, outros não a querem. Que loucura! Quero compartilhar algo. Ontem fui convidado por um grupo de irmãos da igreja para um jantar de encerramento das atividades desse ano. Pediram para que ministrasse uma breve palavra. Bom, lá fui eu... Havia separado um texto que já vinha estudando há algum tempo, e que fala da maneira como compreendemos a vida. A ênfase do texto é a dependência. Fala da graça libertadora! Ministrei o que estava ali e falei muito sobre a graça... Já vinha há algum tempo falando a eles sobre o que é o viver da graça como algo essencial de nossas vidas. Mas, ontem, pude perceber que muitos anseiam por isso, e outros ouvem com ar de heresia - não aceitam. Me senti bem por algum tempo ao falar o que achava que o povo precisava ouvir, mas depois bateu um sentimento de desapontamento, pois percebi que alguns não querem ouvir isso. Tenho sempre procurado compreender a fundo o que é essa vida na graça, pois quero me libertar de toda religiosidade e idolatria..., e quero que meu povo se liberte disso também. Quero viver o mistério da dependência total de Deus. Quero ter minha consciência livre; e quero que o povo viva tudo isso também. Pastor, parece que as pessoas querem ficar presas a essa vida de causa e efeito, presas num sistema maligno. Estão presas a idolatria de seus próprios corações. Tudo o que fazem já não é mais ao Deus da nossa liberdade, mas ao deus criado por elas mesmas... Que loucura! Sabe, tem hora que dá vontade de ''pedir o balde'' (lembra da propaganda). O que fazer? Largar tudo? E ir curtir a vida com a família? Sou um jovem pastor... casado há 11 anos, tenho uma esposa maravilhosa e dois lindos filhos que sofrem com minha ausência em casa. Tenho me dedicado ao ministério desde quando tive a consciência de minha vocação pastoral. Me preparei numa faculdade durante quatro anos, onde hoje estou terminando um mestrado. Sou professor além de pastor... Estou compartilhando isso, por que às vezes sinto que tudo isso é meio sem sentido. Não tenho conseguido ver expectativas de melhoria na igreja... Parece que quanto mais se prega, mais coisas estranhas aparecem por aí para aprisionar o povo nessa vida des-graçada. Pastor, tenho aprendido muito aqui no site... As palavras que encontro aqui produzem um verdadeiro turbilhao na minha vida. Tem sido muito bom! Continuarei mergulhando fundo nisto tudo, porque sei que é o caminho. Por favor, me oriente diante disso que falei... Fica um grande abraço, ********************************************* Resposta: Meu amado amigo: Paz! Minha resposta a você é a seguinte: Ninguém gosta da Graça. A pessoa só a aceita quando precisa, quando não agüenta mais... Por isso, a maioria tem que ser quebrada! A Graça de Deus propõe o abrir mão de toda arrogância e presunção de justiça própria. Ora, esse é o verdadeiro quebrantamento. E quem deseja isso? Quem quer chegar diante de Deus sem méritos? Não foi à toa que Caim odiou Abel. As duas visões da vida estão presentes desde o princípio. A vocação natural da alma é para a idolatria. A crença de Caim conduz à idolatria. Oferece ao homem uma mecânica, um instrumento de acesso a Deus por conta própria. Isto é idolatria, com gesso ou sem gesso. O ídolo de si mesmo nada é. Eles só existem na presunção do coração. A fé de Abel não tem poder e nem mecânica. Depende de entrega em fé. Sustenta-se em nada. Apenas crê na misericórdia! Quem você acha que deseja tamanha entrega? Somente o convencimento do Espírito leva um ser humano a tamanha rendição! Portanto, não se impressione. É assim mesmo! Sempre foi! Daí Jesus ter dito que a porta é estreita. Estranho: nada é tão aberto! Mas só se abre para quem abre mão de si mesmo! Paulo andou nesse caminho, e o fez em profunda solidão. A Graça não é um sucesso, mas é nela que está a vida em Cristo. Leia o que Paulo disse a um jovem pastor. De: Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade, em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos; mas a seu tempo manifestou a sua palavra pela pregação que me foi confiada segundo o mandamento de Deus, nosso Salvador! Para: Tito, meu verdadeiro filho, segundo a fé comum: Graça, misericórdia, e paz da parte de Deus Pai, e da do Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador! Meu filho, te deixei em Creta para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, conforme já instruí: Gente que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução e que não sejam desobedientes. A razão é uma só: convém que o líder da igreja seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem "chegado" ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância. Ao contrário, deve ter o testemunho de ser dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante; e que retenha firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Digo isto pois a tarefa dele será árdua, porque como sabes, há muita gente desordenada, faladora, vã e enganadora, principalmente os judeus legalistas e os cristãos judaizantes—e também todos os que trocam a Cruz de Cristo pelas leis dos homens. Acerca desses eu te digo que convém tapar a boca, pois são pessoas que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância, são enganadores e aproveitadores. Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos! O que ele disse é verdadeiro. Portanto, eles mesmos se condenam no que falam. Então, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé...e não doentes e adoecedores de outros. Para quem quiser ter uma fé sadia, eis meu conselho: Não dêem ouvidos às fábulas judaicas e nem de qualquer outro tipo, nem tampouco dêem ouvidos aos mandamentos de homens que se desviam da verdade. E o critério para se saber quem entendeu o que eu ensinei em Cristo, é simples: Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados. Tu me perguntas por que? Ora, é que confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra. Assim, as suas obras são más porque sua consciência é impura...e é assim porque a tudo vêem com impureza. Dessa forma, quanto mais leis humanas impõe sobre os demais, mais adoecem ao próximo e mais adoecidos ficam eles mesmos. Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. Mas faze isto com todo sentido de propriedade e sabedoria, sabendo que tua missão é ajudar a abrir o entendimento de todos eles. Assim, aos velhos, diga-lhes que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor, e na paciência. As mulheres idosas, semelhantemente, dize-lhes que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem. Isto para que as mais idosas possam ensinar as mulheres mais novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos. Além disso, devem também ser moderadas, sexualmente desejosas de seus maridos e mentalmente dedicadas e fiéis aos seus sentimentos, boas donas de casa, capazes de se sujeitarem a seus maridos pelo respeito e pela admiração, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada. Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. A juventude chama consigo os humores da imoderação. Tu mesmo és jovem. Por isto, em tudo te dá por exemplo de boas obras. Assim, na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, e linguagem sã e irrepreensível. Deves ser e fazer assim para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós. Exorta aos que servem outros a que se sujeitem a seus superiores hierárquicos, a fim de buscarem agradá-los como patrões, nunca contradizendo pelo prazer de contradizer. Os que servem devem ser verdadeiros, não defraudando ninguém, antes mostrando toda a boa lealdade, para que em tudo sejam como um ornamento da doutrina de Deus, nosso Salvador. Meu filho, a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens! Ora, a manifestação da graça de Deus nos ensina que devemos renunciar à impiedade e às concupiscências mundanas, a fim de que vivamos neste presente século sóbria, justa e piedosamente. Quem assim vive mostra estar aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo! A motivação que nos faz viver assim, vem de crermos que Ele deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo especial. Um povo de gente boa e santa de Deus. Gente zelosa de boas obras. Fala disto, e exorta e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze apenas por seres jovem! Admoesta a todos que se sujeitem às autoridades verdadeiras e as obedeçam, e, assim, estejam preparados para toda a boa obra. Dize-lhes também que a ninguém infamem, nem sejam briguentos, fofoqueiros e contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão e bondade para com todos os seres humanos. Não devemos nunca esquecer como éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências viciosas e deleites sem significado, vivendo em malícia e inveja, odiosos, e odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e o amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens... tudo mudou em nossa compreensão! E esse milagre não aconteceu em razão das obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a misericórdia de Deus, que nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo. O Espírito se derramou abundantemente sobre nós por causa do que Jesus Cristo nosso Salvador fez em nosso favor. E tudo fez com propósito e com desígnio. Os que crêem em Jesus, sendo agora justificados pela graça de Cristo, devem saber-se herdeiros de Deus segundo a esperança da vida eterna. A Palavra é Fiel! Digo-te isto porque quero que afirmes tudo com convicção, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. As discussões e brigas religiosas e legalistas às quais fiz referencia, para nada aproveitam, exceto para subverter aos ouvintes. Mas as boas obras falam de si mesmas. Daí elas serem boas e proveitosas a todos os seres humanos! Tenho agora alguns conselhos a ti dar quanto ao exercício de teu ministério. Não entres em questões loucas, genealogias judaicas e contendas teológicas e doutrinárias, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem que perverte a verdade do Evangelho, depois de uma e outra admoestação, evita-o. Fica sabendo que essa pessoa está pervertida na consciência, e peca na constituição de seu próprio pensar arrogante e independente de Deus, estando já em si mesmo condenado, pois, não crê no evangelho da graça. Quando eu enviar Ártemas, ou Tíquico para te substituírem aí em Creta, procura vir ter comigo em Nicópolis. Decidi passar o inverno ali. É menos frio para mim. Dá toda atenção à Zenas, doutor da lei, e também a Apolo, para que nada lhes falte. Ensina os nossos irmãos em Creta a aprenderem também a aplicar-se às boas obras, e busquem investir sua energia em coisas que sejam necessárias, para que não sejam infrutuosos. Graça não nos dá um certificado de esterilidade. Estimula-os a crescerem nas virtudes do amor. Todos os que estão comigo te enviam um forte abraço. E por favor, saúda os que nos amam na fé. A graça seja com todos. Amém. Bem, o que Paulo disse a Tito foi dito a alguém que deveria pregar o Evangelho da Graça, e não se abater com a preferência que a igreja sempre deu ao falso evangelho dos judaizantes, que era uma quse-lei e uma quase-graça. Não entenderam até hoje que uma coisa ou outra! Mas se é da Lei, então não é da Graça; e se é da Graça, então, não decorre da Lei. O problema não é ter capacidade para entender, é ter fé para se entregar! Mas não se abata: pregue a Palavra! Muitos a aceitarão, e viverão por meio dela! Nele, que nos confiou o ministério da reconciliação, Caio