Português | English

Cartas

Sou pastor, e me sinto discriminado!

Sou pastor, e me sinto discriminado!

-----Original Message----- From: Vilmar Sent: segunda-feira, 11 de agosto de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Me sinto discriminado! Mensagem: Caro Caio Fábio, Diante de tudo que venho lendo e, principalmente, através do seu site, fico a me perguntar: onde vai parar a Igreja Evangélica? É certo que não tenho a vasta experiência que você tem, mas nesses quase 20 anos de evangelho, e 10 como pastor de uma Igreja Histórica, tenho visto que a cada dia que passa as coisas vão piorando. Mas uma coisa me intrigou, quando li seu site, querido irmão: "Será que há alguma coisa que possamos fazer para tirar a máscara da Igreja?" Hoje não estou mais a frente de uma Igreja, e não me sinto a vontade para ser nem mesmo freqüentador... Surge então a crise. Quase a vida inteira dentro da Igreja e agora, como ficar sem ela? Me divorciei há uns cinco anos, e, mesmo assim, pastoreei por três anos... este foi o meu calvário... Experimentei na própria pele a falta de perdão e misericórdia por parte das pessoas (principalmente pastores); e hoje sofro todo tipo de discriminação, até mesmo para freqüentar uma “igreja”em minha cidade. Fico pensando se houvesse por aqui um CAFÉ COM GRAÇA...talvez me sentisse a vontade para adorar a Deus... Gostaria que você falasse um pouco sobre esta crise de passar a vida inteira dentro de uma igreja, e, agora não poder mais (à vontade) estar dentro dela... Gostaria também que você falasse sobre a possibilidade de reunir esta multidão de pessoas que passam pelos mesmos dramas, que não suportam mais a hipocrisia da Igreja, e por isso não freqüentam mais, será que não chegou a hora de um avivamento? Espero sua resposta, Um abraço colega, *************************** Meu amado Vilmar: Paz e Bem! Não estou vivendo esta situação, e, de verdade, nunca a vivi. Mesmo durante os três anos em que fiquei bem quieto, sempre vieram inúmeros convites para tudo, eu é que não queria aceitá-los. Pastores? Bem, sempre que os encontrava eram sempre meigos—até aqueles que eu sabia que “por trás” desciam a ripa! No mais, eu é que não quis muita conversa com ninguém... Tinha amigos, e também amigos pastores, e com esses eu sempre estive, e, eles, comigo! Pedi desligamento do “ofício pastoral” formal apenas porque eu sabia que não teria a paciência de lidar com os “bichos que estavam escondidos” nas almas de muitos; e que sairiam naquele processo. Eu não estava com nenhuma paciência para me submeter a doenças...e nem ainda estou. Acho que quem ficar esperando a “redenção” da igreja evangélica está perdendo tempo. A redenção de Deus vem para pessoas, não para organizações. O reino de Deus não tem visível aparência, está dentro de nós. Quem fica buscando “sinais do reino” do lado de fora, acaba não vendo o lugar do reino: do lado de dentro. Deus vai proteger a todo aquele que andar dês-traído...em Confiança! Comunhão todo trigo encontra com outro trigo... Portanto, se você é trigo, apenas deixe que o joio seja joio; e, de sua parte, dê o seu fruto; e também reconheça o fruto de seu irmão-trigo. Não perca tempo com quem tem “aparência” mas não dá fruto. Isso é coisa de joio! Nós não estamos aqui para “separar” as coisas; isso é tarefa pra anjo na consumação dos séculos. Enquanto isto, precisamos saber que Deus nunca teve nenhum compromisso nem mesmo com as coisas que por um tempo Ele abençoou. O Templo de Israel que o diga. Não ficou pedra sobre pedra... E o judaísmo? E as sinagogas? E as “igrejas” do apocalipse? E o “cristianismo”? Tudo virou ruína! Mas a Igreja de Deus permanece e sempre permanecerá—com caras, nomes e formas distintas, mas sempre carregando o mesmo conteúdo, o fundamento inabalável; e sempre será constituída de pessoas redimidas e conscientes acerca da Graça; sempre vivendo em fé e comunhão umas com as outras! Faça o seu Café com Graça, com qualquer nome, mas faça isto sem engano; ou seja: não deve ser um lugar-vingança contra as instituições. O nosso Café aqui é apenas um lugar de Graça, onde a Palavra é pregada e os irmãos crescem em consciência e em fé. Não há outras pré-tensões! No mais, sou membro da Catedral Presbiteriana do Rio e prego em todas as igrejas onde me dá vontade de aceitar convites para pregar, conforme minha disponibilidade de agenda. Quanto a discriminação dos outros, não a aceite. Discriminação só cola em que se sente descriminado. Esse papel, em Cristo, ninguém jamais teve ou terá sobre a minha vida! Sobre reunir essas pessoas, creio que o Espírito já está fazendo isto. De minha parte não quero “ajudar” em nada que é pra não atrapalhar. Se há uma coisa que está em mim mais forte que nunca, é certeza de que o Espírito sopra onde quer, e como deseja. Eu tenho que estar disponível para discernir e seguir. Deus sabe que eu estou aqui, e sabe com que coração. Não quero mais perder tempo com nada que não seja Deus. Nem tampouco creio em “avivamentos agendados”. Deus está agindo. O povo é Dele. Nós temos apenas que comparecer diante Dele como ovelhas de seu pastoreio. E creio que muitos estão começando a entender isto. O mais, creia, Ele o fará! Receba meu beijo carinhoso, Caio