Português | English

Cartas

SOU GAY E JÁ PENSEI EM ME MATAR...

SOU GAY E JÁ PENSEI EM ME MATAR...



----- Original Message -----
From: SOU GAY E JÁ PENSEI EM ME MATAR...
To: atendimento@caiofabio.com
Sent: Thursday, August 04, 2005 8:22 AM
Subject: SENTIMENTO


Querido Caio,

Me ajude, quero passar para você o relato do que foi e o que está sendo a minha vida. Ao passar da infância para a adolescência (12 anos), descobri que a minha afeição e desejo era pelos garotos. Depois vi que meu irmão 02 anos mais velho que eu, procurava as meninas... Daí descobri que não era normal.

Surgiu então o conflito de minha alma alimentando muitos pensamentos e sonhos homossexuais. Cheguei até um dia a querer pular de um edifício, mas tive medo. Daí entrei em depressão, cheguei até ser internado, onde quase que morri... Mas o Senhor me deu livramento, pois fui criado num lar evangélico.

Com mais ou menos trinta anos me entreguei às práticas... Depois voltei a igreja evangélica, onde passei uns sete meses... Mas não tive vitória... Daí me entreguei ao mundo e às paixões novamente...

Passei uns dez anos nessa vida. Hoje voltei aos braços de JESUS pela dor, através de uma enfermidade. Tá com nove meses que me abstenho de toda prática sexual. Mas mesmo querendo, não consigo me livrar do sentimento contrário a mim e a DEUS, pois a paixão pelo sexo oposto é mais forte e atraente, apesar de ter tido vários relacionamentos heterossexuais em minha vida.

Pergunto a você: Porque JESUS ainda não mudou meus sentimentos? Será que vou ter que carregar esse sentimento até a morte? Será que estou abandonado às paixões infames como diz a Bíblia?

Gostaria que me ajudasse.

Abraços do irmão em Cristo,




Resposta:


Meu amado irmão: Graça, Paz, Cura e Saúde!

Já emiti tantas vezes minha opinião aqui neste site sobre o assunto que, hoje em dia, não respondo mais a cartas como a sua, com esse tema, limitando-me a pedir às pessoas que apenas leiam o que podem encontrar fartamente no link Cartas. No entanto, mais do que informação, senti que o que sua alma precisa é de consolação e amor, meu irmão. Me deu até vontade de ter um lugar próprio e para o qual eu pudesse convidar almas como você; apenas dizendo: “Venha pra cá. Acalme sua alma. Pacifique seu coração. Discirna a Graça. Prove-a como bem em sua vida. E entre na paz, seja para viver, seja até para morrer”.

Portanto, o que penso sobre seu assunto, e acerca do desenvolvimento de situações como a sua, peço que você leia no site, pois não quero me repetir; e o que penso, penso; e penso assim há muito tempo; e somente uma revelação de Deus me faria mudar de idéia. Por isto, leia nas cartas o que penso. Há dezenas de cartas. Imprima-as e leia-as.

Duas ou três coisas me chamaram atenção, todavia:


1. Sua vontade de morrer. A “igreja” encobre a imensa quantidade de filhos de crentes e pastores que já se mataram por causa disso. Preferiram se matar a viver sob o juízo do inferno dos olhares dos crentes. Descobriram que qualquer que fosse o inferno não seria pior do que o Inferno do Juízo dos Crentes. Sim, são muitos os que se mataram ou tentam todos os dias, vivendo de modo autodestrutivo. E o maior “grupo de risco” para o suicídio em razão de praticas homossexuais é feito daqueles que têm como leito religioso, as igrejas mais legalistas. Ano passado, por exemplo, muitos jovens filhos de crentes se mataram ou tentaram o suicídio em razão do tema. Eu sei! É ainda a prevalência da Lei da Morte sobre a Lei da Vida o que gera isto. Em nome de Jesus, todavia, saiba: você não irá se fazer mais mal; e aprenderá a viver com o que tem e é; e fazer isto na paz de Jesus.

2. Sua angústia de ser e sentir de modo contrário a você e a Deus. Ora, leia Romanos 7 e você verá que a natureza de todos nós existe nesse conflito, e que somente a pacificação na Graça — que garante que o escrito de dividas que havia contra nós (a Lei), foi rasgado na cara do diabo e de todos os acusadores da Terra, dos céus ou dos infernos, pela obra Absoluta da Cruz — é que nos dá paz para ser. A diferença é que seu gemido, sua dor, seu espinho na carne, seu desvio mais sentido, é justamente um desses gemidos que a “igreja” decidiu que não têm perdão: ou o cara é “curado” ou tá eternamente “danado”. Nas mesmas “listas” de condenação que a “igreja” baba de delícia ao pronunciar, há também a menção aos facciosos, invejosos, mentirosos, adúlteros, feiticeiros (desejadores de males), intriguentos, corruptores de mentes, destruidores da natureza, arrogantes, soberbos, jactanciosos, frouxos (tímidos), hipócritas, avarentos, entre tantos outros, e que estão sob a mesma condenação feita aos efeminados. Ora, se isso vale como condenação para os efeminados, deve também ser verdade para os demais, e que vivem tais projetos de vida; muitos deles, inclusive, preferindo o ambiente eclesiástico e religioso a fim de esconderem tais “rapinas” de invejas, maldades e dissimulações. O que sei, meu amigo, é que havia muitos homossexuais nos dias de Jesus, mas não se ouve uma única alusão de Jesus a tais pessoas, ao mesmo tempo em que se encontram páginas e páginas de advertências do Senhor à hipocrisia dos fariseus. Para esses Jesus disse: “Ai de vós”, e muitas vezes... E também os chamou de “filhos do diabo”. Pois eram eles os que carregavam desejos homicidas contra o próximo (o interessante é que esta fala de Jesus acontece em João 8, tendo o episódio da mulher adúltera como “contexto antecedente”). O que as pessoas parecem jamais discernir é que há o adúltero e há alguém que cometeu adultério; há o faccioso, e há aquele que se enganou numa disputa infantil; há o mentiroso, e há aquele que mentiu; assim como há o gay-inato, e há o “galígula” possesso de perversão, sacerdote da orgia, e imperador da idolatria sexual. Também parece para elas é muito difícil entender que todos pecaram e pecam (especialmente quando pensam que não pecam), e, portanto, igualmente, carecem da glória de Deus; sejam os pervertidos de Roma (Rm 1), fossem os moralistas ou os legalistas judeus e religiosos (Rm 2); ou fossem aqueles que estão longe de tudo isto, os quais, sendo pecadores, sabem que o são, por isto é que a consciência lhes serve de árbitro, ora defendendo-os, ora acusando-os (Rm 2: 12-16). Mas Deus encerrou todos igualmente sob o pecado para que ninguém se glorie diante de Deus. De fato, foi a nossa Queda que acabou por nos ajudar a sermos livres da Síndrome de Lúcifer, posto que toda auto-admiração (seja moral, legal, espiritual, ou de qualquer outra natureza), é de origem Luciferiana. Assim, sem termos do que nos gloriar, em fé nos gloriamos em Cristo, por meio de Quem e de cuja Graça, nós todos já fomos reconciliados com o Pai; embora só usufruam dessa Graça aqueles que provam o Evangelho como amor de Deus, em fé, Hoje. Creia, e você verá a diferença!

3. Quanto às suas questões acerca de se vai sofrer de tais “desejos” até o fim da vida, digo-lhe o seguinte: a) eles vão passar com a idade; b) você aprenderá a lidar com eles sem culpa; ao contrário, na luz; e, assim, provará e verá que todos esses monstros viram gatinhos inofensivos; c) você poderá viver uma vida afetiva estável com alguém; d) ou poderá dar um passo além, que é se tornar eunuco por amor ao reino de Deus (embora Jesus tenha dito que nem todos estão aptos para tal); e) você poderá descobrir, sondando o coração, que se já está perdoado de antemão, então, pode descansar; e, quando isto acontecer, a luta interior cessará, e, assim, você se pacificará, e poderá escolher viver uma vida que não carregue essa carga de culpa que é “altamente excitante”, sexualmente falando; e isto na medida em que a repressão de nossas sombras produzem monstros avassaladores em nosso interior; e os fariseus e os ascetas dos dias de Jesus são a maior prova disso; de que quanto mais se faz supressão, repressão, ou sublimação de certas coisas, mais fortes e antagônicas a nós elas retornam (sepulcros caiados por fora: lei, moral, etc; e rapina por dentro...); e isto também conforme o exemplo daquele demônio uma vez expulso, que, voltando à sua casa de onde saíra, encontrando-a apenas cheia de mobília moral e religiosa, volta com sete outros bichos; e o segundo estado é pior do que o primeiro. O que eu creio é que quando uma pessoa se entrega à Graça de Jesus, e descansa cheio de confiança no Intercessor e Advogado Celestial, tal pessoa deixa de ficar tão instintualmente frágil como você está; posto que, mesmo doente, fala de seus intensos desejos, quando o normal, neste estado, seria você nem estar sentindo tais pulsões. A leitura do site o ajudará a entender melhor tudo o que aqui resumidamente explico.


Ora, para muita gente que vai ler isto no site, como já fizeram alguns em outras ocasiões, dirá que o que aqui digo é heresia e “graça barata”. Todavia, prefiro que me julguem assim, a ser um daqueles pastores que oficiam atos fúnebres de gays que se mataram. E tais pastores, em tais ocasiões, impiedosamente lamentam a “perda” daquela vida, e evocam o exemplo da pessoa como “lição” para os demais. Também prefiro honestamente dizer o que creio e que vejo ser coerente com o “espírito de Jesus”, do que falsificar a realidade, como fazem aqueles que prometem curar gays, enquanto muitos deles que se confessam “ex-gays”, e que vivem de dar “testemunho” de sua cura, de vez em quando tropeçam, ou até freqüentemente; ou mesmo quando não vão e fazem “a coisa”, confessam que vivem em estado de desespero, “matando um leão por dia”— mas não podem nem mesmo se ajudar, pois entraram no circo do testemunho dos ex-gays. Tenho dito muitas vezes que creio na reversão dos que praticam o homossexualismo, apesar de que não creia que gays-gays (nascidos assim), deixem de se sentir homossexuais, embora, muitas vezes, tenham se pacificado neste quesito, a ponto de viverem em paz. Muitos dos chamados “santos” e “pais” da “igreja” viveram dramas dessa natureza.

Desse modo, que me julguem como bem desejarem. Não estou aqui para agradar nem os psicólogos cristãos, nem os pastores, nem os inquisidores, nem os doutores da lei, nem os fariseus, nem os santarados. Eles não precisam nem de médico e nem de cura. Estou aqui para gente como você, e para todo aquele que se confessa impotente para bancar sua própria existência. Assim, que se dane o Sábado, o Templo, o Sinédrio, e todos os Sumos Sacerdotes dos Dogmas divinos. Meu negócio, conforme me ensinou Jesus nos evangelhos, é tirar você desse buraco apesar da censura dos doutores da Lei. Gente dessa laia espiritual, infelizmente, só se enxerga e só aprende a misericórdia quando cai no Buraco em Dia de Sábado, e se vê deixado lá. E já vivi o suficiente para ver que esse bumerangue volta sobre a casa e a cabeça de todos os santarados.

O mais, meu amigo, é ler muito os evangelhos, e entender quem e como é a vida com Jesus. E, sinceramente, não hesito em dizer que este site lhe poderá ser de grande ajuda em todo esse processo.


Receba meu amor e carinho misericordioso!


E que o Deus de toda Graça seja sobre você!


Nele, em Quem o julgamento foi julgado com todo juízo, porém a misericórdia triunfou sobre a Condenação,


Caio