Português | English

Cartas

SOU CRENTE E ALCOÓLATRA!

SOU CRENTE E ALCOÓLATRA!

 

 

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: SOU CRENTE ALCOÓLATRA!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Monday, February 11, 2008 07:26

Subject: Desejo conhecer vida

 

 

Querido irmão Caio,

 

Eu poderia escrever muitas páginas para expor meu problema e meus anseios, mas o título do assunto resume tudo.

 

Tenho 47 anos, sou casado, "evangélico" por tradição dos pais, e "convertido"  aos 20 anos,depois de ser curado de um tiro na cabeça (... se não vem rindo vem chorando).

 

Perdi meu pai, e os três irmãos (mais novos), em conseqüência de abuso de álcool e drogas. Já me falaram até de "maldição hereditária".

 

Desde os 18 anos, convivo com uma dependência química (álcool, drogas) que vem devastando  minha existência. Fiquei abstinente por apenas 2 anos, logo que me batizei, mas logo perdi a fé na "igreja", e após diversas internações, eu acredito que só estou vivo por um milagre (pois a própria vida já o é...)

 

Eu freqüentei durante 26 anos a Congregação Cristã no Brasil, onde conheci minha esposa, com quem me casei e tenho três lindos filhos.

 

Embora minha esposa tenha me suportado todos esses anos, eu confesso que casei sem amor, mais por pressão dos ministros da igreja que me diziam que essa união era da vontade de Deus. Tive vários cargos na referida igreja.

 

Hoje, percebo que ela está comigo somente porque como co-dependente, eu sou a droga da vida dela.

 

Ultimamente, depois de passar por uma internação numa dessas casas de recuperação evangélica (Desafio Jovem), eu recaí mais uma vez e perdi quase toda a esperança.

 

Mas, como assíduo leitor (cadastrado) do seu site, vejo em seus artigos, e nas pregações, a proposta de um Caminho que liberta (inclusive da religiosidade). Confesso que admiro a fé e a alegria de viver que emanam dos seus conteúdos, mas me sinto inapto para alcançar tudo isso depois de tantos anos de tentativas inglórias.

 

Ultimamente, depois do fracasso da última internação (nove meses), tenho pensado em fazer psicoterapia, mas a maioria dos pastores e pregadores acham que não é necessário, pois só "pela fé", posso ser curado – dizem. Aliás, esse foi o tipo de pregação que mais ouvi lá no Desafio Jovem.

 

Mesmo diante desse estado caótico que se tornou a minha vida nos últimos 15 anos, eu consegui estabilidade financeira, e graças ao meu filho Samuel, que aos 19 anos toca os negócios da nossa firma, temos conseguido uma vida até confortável.

 

Mas o ambiente familiar está insuportável, e a minha esposa, que era uma "crente firme", também já parou de freqüentar a igreja.

 

Eu já tentei me divorciar para que eles possam viver em paz, mas nem ela e nem os filhos, aceitam esse caminho.

 

Por favor meu amado, me ajude.

 

Me responda, seja na seção de cartas do site, ou seja por e-mail direto. Eu não agüento mais essa angústia existencial me atormentando dia e noite até com idéias suicidas.

 

Embora meu modo de vida não demonstre, eu ainda creio nesse Jesus, que libertou e continua libertando quem o encontra. Ajude-me a encontrá-lo de verdade, pelo amor de Deus !

 

Espero ansiosamente uma resposta amiga.

 

Um abraço

____________________________________________ 

 

Resposta:

 

 

Meu amado irmão: Graça e Paz!

 

 

Você é um bem-aventurado; pois, tendo todos os problemas que tem [álcool e drogas], ainda criou filhos, tem uma mulher que ficou ao seu lado, e filhos que hoje seguram a barra da casa e dos negócios.

 

Eu andei perto do ambiente das clinicas de internação de dependentes químicos, e participei de várias reuniões do grupo de apoio à família de dependentes, e vi o que algo como o álcool faz às vidas não apenas dos dependentes, mas de seus familiares também.

 

Eu creio que você, considerando tudo, está no lucro. Sim! Porque são poucas as mulheres que suportam o jugo desigual de terem um marido dependente químico ou alcoólatra, e que, apesar disso, ficam até o fim. E os filhos em geral se perdem no processo; sem falar que muitos acabam por odiar tanto o “pai-com-aquilo”, que como resposta à culpa de odiarem tanto “aquilo no pai”, acabam por se entregarem ao vício como culpa solidária ou solidariedade culposa em relação ao pai, e, assim, tornam-se como o pai.

 

Assim, o que lhe digo é que a vida já está difícil com eles. Portanto, imagine o caos que seria sem eles.

 

Sim! Imagine você se divorciando e sofrendo as depressões de todo divorcio. Sim! Qual o caminho natural que você acha que se estenderia sob seus pés: o do equilíbrio e vitória sobre a dependência química e alcoólica, ou a libertação de tudo, com uma súbita tomada de euforia que não lhe levasse ao “copo”?

 

Você poderia dizer que bebe para esquecer sua infelicidade conjugal. No entanto, você e eu sabemos que com seu histórico familiar, a dependência ao álcool já está em seu organismo desde antes de você nascer.

 

Você é alcoólatra. E assumir isso é [como você sabe] o primeiro passo para o inicio da jornada livre.

 

Além disso, você tem que saber que seu problema com alcoolismo será até o fim da vida, mesmo que você deixe de sentir vontade de beber. De fato, o que se impõe sobre você é que você nunca mais beba nada na vida. Ainda que seja de “só por hoje” em “só por hoje”.

 

Do ponto de vista prático, o que lhe seria muito útil seria o seguinte:

 

1.        Ter um amigo-pastor-conselheiro com quem você pudesse andar sem medo. Se você desejar, dependendo de onde você more, posso tentar encontrar alguém do “caminho” que o ajude. Mas você tem que me dizer se quer.

 

2.        Freqüentar umas boas sessões de terapia especializada, não “evangélica”, a fim de que o problema não seja tratado com “reducionismo”; tipo: “Maldição Hereditária”; “Diabo”; ou apenas “fé na fé”.

 

 

3.        Você precisa parar de pensar que sua angustia é sua mulher. Ela faz parte de sua dor e você da dor dela; porém, ela não é a razão de seu estado.

 

4.        Se você honestamente ainda pensar em se divorciar depois de estar bem e sem pulsões das do tipo que você hoje reporta, então, pode até ser; mas, mesmo assim, eu digo: pense mil vezes antes de fazer qualquer coisa; pois, em geral, após certa idade, com todos os hábitos e “vícios de existência” que você e todos nós possuímos, um novo casamento faz com que a pessoa, logo, logo, sinta saudades de onde saiu.

 

 

5.        Por último, vou dizer algo que para você talvez soe tolo. Entretanto, assim mesmo, eu digo que fazer parte séria e ativa de um grupo dos Alcoólatras Anônimos ou dos Narcóticos Anônimos lhe faria muito bem.  

 

 

Indo em outra direção, peço a você que volte a ler o Novo Testamento e a buscar entendimento espiritual. Além disso, ouça as mensagens aqui da rádio do site. Também pense na possibilidade de voltar a congregar-se num grupo de fé que seja amigo e acolhedor. Veja a lista de Estações do Caminho e pense na possibilidade de unir-se a uma delas.

 

Se você separar tempo todos os dias para orar, ler, meditar e buscar praticar a simplicidade do Evangelho, Jesus mesmo levará você pela mão nessa viagem.

 

No entanto, calma; muita calma nessa hora!

 

 

Receba meu beijo e carinho!

 

 

Nele, que nos ama até quando nós não nos amamos,

 

 

Caio

 

12/02/08

Lago Norte

Brasília

DF