Português | English

Cartas

SOU CRENTE, BONITA, FORMADA, E CHEIA DE SOLIDÃO

SOU CRENTE, BONITA, FORMADA, E CHEIA DE SOLIDÃO

Querida amiga: Paz! Vou responder a minha carta dentro da sua, tá bom? Creio que assim ficará mais fácil. *************************************************** -----Original Message----- From: Monica To: contato@caiofabio.com Subject: Solidão Mensagem: Prezado Pastor, Tenho uma imensa admiração pelo senhor. Queria falar-lhe um pouco de mim, e de conflitos que se passam comigo, desde a minha adolescência. Tenho 33 anos, sou médica, mas um grande mal que existe em minha vida chama-se "isolamento social" (aprendi que não posso chamar de "solidão", pois, quem tem Jesus não experimenta isso). *************************************************** Resposta: Não é verdade. Mesmo antes de haver pecado e “queda”, Adão sentiu necessidade de companhia—ou seja: uma certa forma de solidão. Deus deixou um espaço na alma humana para ser ocupado por outros humanos, não por Ele. ************************************************** Pois bem, devido à profissão de meu pai tive que residir em diversas cidades, o que foi dificultando a construção de relacionamentos. ************************************************** Resposta: É compreensível. Pessoas que “mudaram” muito de cidade na adolescência e na juventude, têm mais dificuldade em fincar raízes e manter memórias relacionais ativas e vivas. ************************************************** Para piorar, ainda sou tímida. Na minha adolescência tinha vontade de me suicidar, pois a solidão é algo que machuca, uma dor que quase ninguém vê ou percebe. Isso tudo sem amigos, companhia e sem namorado. Na minha dor, senti que precisava de Deus na minha vida, e foi assim que aos 15 anos comecei a buscá-Lo, por uma imensa necessidade espiritual, embora minha família fosse evangélica. *************************************************** Resposta: Evangélicos sofrem muito porque vivem na ilusão de que “ser evangélico” é alguma vantagem existencial ou psicológica. Ao contrário: trata-se de uma grande desvantagem, pois com os conteúdos adulterados de fé—e sem a Graça—que muitas vezes a “igreja” prega, cria-se ou arrogância de supremacia existencial no “evangélico”; ou, então, um sentimento de seita; ou seja: de separatismo e de isolamento. E como a “solidão” está presente independentemente desses “rótulos” religiosos—a alma não é “evangélica”, ela é apenas alma—, há muitos que pensam que “Deus os abandonou”; daí as pulsões de morte serem tão freqüentes entre os “evangélicos” também. *************************************************** À medida em que a idade foi passando pensei que tudo mudaria, mas parece uma "maldição", algo que me amarra, que me aprisiona. Curiosamente meu nome, "Monica", quer dizer: "aquela que é só, viúva, solitária". *************************************************** Resposta: Agora está ficando perigoso. Você está começando a sucumbir ao “carma evangélico” da quebra de maldições. Nesse caso, a salvação seria fazer uma fusão de nomes sem sentido para que o individuo não se impressionasse com seu próprio nome. Algo como misturar: Gisele com Antônia, e dar o nome à filha de Gistonia. Será que seria melhor? Aposto que algum irmão mais “suspeitoso” poderia achar que a pessoa teria uma tendência à embriaguez; afinal, soa como Gin-tônica. ************************************************** Certamente o senhor está diante de uma das pessoas mais solitárias que já conheceu. ************************************************** Resposta: Minha querida, toda dor pessoal não tem igual. Mas você não tem idéia de quanta gente solitária em conheço! ************************************************** Sou considerada uma mulher bonita, culta, tenho uma boa situação financeira, mas nada é capaz de mudar esse quadro. *************************************************** Resposta: Veja só como tudo está na “cabeça”. Há um monte de mulheres “feias” muito bem acompanhadas. A diferença nunca está na face, mas na atitude. E, agora mesmo, enquanto muitos lêem sua Carta, deve haver um monte de “irmãos” orando: Ah! Deus! Quem me dera ser a resposta às orações dessa amada irmã! *************************************************** Na cidade na qual resido atualmente o número de evangélicos é bastante reduzido. Quando aqui chegamos não existia a nossa igreja como denominação organizada. Iniciamos um trabalho e hoje somos uma Congregação organizada, com 45 membros, onde sou professora. É compreensível que não consiga estabelecer amizades com pessoas não-cristãs, até porque não haveria muita identificação. Também sinto discriminação no trabalho e em outras áreas (até mesmo perante familiares), por eu ser evangélica, comprometida com Deus. Quando há algum evento, me deixam de fora, sinto que aos olhos deles, sou alguém desinteressante, por mais que me esforce sendo prestativa e amiga. *************************************************** Resposta: Agora você falou de algumas coisas muito sérias mesmo. Veja: 1) Você se encurralou nas fronteiras dos evangélicos. 2) Você acha que não dá para fazer amizades “fora da igreja”—e diz que é compreensível. 3) Você se sente vitima de discriminação, no trabalho, entre parentes, etc...por ser evangélica. 4) Você diz que faz tudo para ser simpática e que é bonita. Conclusão: alguma coisa não está batendo. Ninguém hoje em dia é “vitima de preconceito” por ser “evangélico”. Evangélicos é que costumam discriminar os outros. O que pode acontecer é que você simpaticamente os discrimine, com aquela atitude: Sou boa com vocês porque sou cristã, mas isso aqui é só missão de bondade para mim! Ora, se for esse o caso, você pode ser a “Miss Mundo” que ninguém terá prazer em sua companhia. *************************************************** Na minha igreja não tem jovens da minha faixa etária. Minha vida é uma grande rotina—trabalho, casa e igreja—, e sofro principalmente nos fins de semana. Não posso dizer acostumei-me a isso, pois não é algo com o qual se possa acostumar, mas me acomodei, sinto-me impotente diante desse quadro. *************************************************** Resposta: Você se colocou num aquário. Num sapatinho de japonesa. Peixe de aquário não cresce. Pé de japonesa em sapatinho japonês, também não. Nesse aquário você está fadada à pequenez. *************************************************** A sensação (e certeza) é que perdi muita coisa nos melhores anos da minha vida, lazer, comunhão, troca ... e o pior é que nada mudou, continuo perdendo ... *************************************************** Resposta: Minha querida: essa não é uma conversa póstuma. Você ainda está viva e falando comigo, e tem apenas a melhor idade que uma mulher pode desejar ter. Portanto, estamos falando de algo que pode mudar ainda hoje, se você souber que o problema é você. *************************************************** Peço ao Pai que ele dê um fim aos meus dias de isolamento, que Ele alivie esse fardo o qual carrego há tantos anos, trazendo outros jovens para a minha igreja, com quem eu possa me relacionar, ter uma companhia para conversar, chorar, sorrir, dividir uma pizza, fazer a obra do Senhor. *************************************************** Resposta: Se eu fosse você não esperaria a “obra de evangelização de jovens” resolver o seu problema. Eu faria amigos no trabalho, freqüentaria um clube, tiraria férias em lugares interessantes, conversaria com as pessoas sem a obrigação de evangelizá-las, mas de conhecê-las; e não esperaria muita companhia para chorar, mas para rir. E, quanto a pizza, comece convidando algumas pessoas para sair. Inicie o “projeto pizza” no próximo fim de semana! *************************************************** Não tenho namorado também. E diante desse quadro fatídico, se faltam amigos, quanto mais um namorados! Me “preservei” para o casamento. Oro constantemente a Deus, mas aos 31 anos sou muito cobrada. *************************************************** Resposta: É verdade, há muita tirania e cobrança. Mas a questão é que você não está feliz sozinha. Se você estivesse bem e contente com sua vidinha, eu sugeriria que você mandasse todos às favas e vivesse a sua vida. Mas não é o seu caso. Abra seu coração. Não para qualquer um. E saiba: tem muito “incrédulo” dentro da “igreja” e muitos “crentes” fora dela. Portanto, não faça da “carteirinha evangélica” um pré-requisito para alguém poder se aproximar de você. E não fique preocupada com a aproximação. Não é algo contagioso. *************************************************** Espero o tempo de Deus, mas cobram de mim algo que está além da minha capacidade. Até minha mãe, a respeito de minha solteirice, disse que estou dando "desgosto" a ela ... *************************************************** Resposta: O tempo de Deus é mais simples. “Não é bom que a Mônica esteja só”—diz o Senhor. E por quê? Porque você está necessitando de “encontro”. E o tempo de Deus, nesse caso, é o tempo no qual seu coração pede um “outro”, assim como aconteceu com Adão. Portanto, grande é esse mistério—o do encontro—, mas não há mistério em se buscar e admitir a necessidade do encontro. ************************* Ah, Pastor! Deixe-me uma palavra amiga, de consolo e esperança, pois o que escrevo-lhe agora, poucos têm conhecimento, e há muito desejava falar-lhe do que se passa comigo. *************************************************** Resposta: Querida amiga: De fato creio que há duas coisas que você precisa fazer: 1. Procurar ajuda terapêutica. Há uma parte de sua “reclusão” que é psicologicamente pouco saudável, e precisa ser tratada. 2. Você precisa fazer a sua parte. Sinto que seu “espírito religioso” é um dos grandes problemas. Tudo é uma questão de “energia”. Se você vê a vida com os olhos com os quais você vê, tudo se fechará para você. O mundo só muda “fora de nós” quando primeiro muda dentro de nós. O grande exercício agora é reconhecer que você viveu no aquário, e começar a sair dele, não abruptamente; porém, séria e decididamente. E saiba: a “bola” agora está com você. É sua vez de jogar. Você terá que se abrir, e começar a fazer a sua parte. Se você ficar “fechada”, morrerá “fechada”. Até para entrar na Igreja Jesus manda que quem ouvir a Voz, abra a Porta para Ele (Apc 3: 20). Então começa a festa da comunhão, da ceia do amor. Ora, essa porta da comunhão, seja com Deus, seja com os homens, está em nossas mãos, e é a porta do coração: só abre pelo lado de dentro! *************************************************** Um grande abraço MONICA *************************************************** Um abração para você também. E saiba: sei que dentro em breve ouvirei boas notícias de você. Dê só uma pequena chance a você mesma, e você verá a mudança enorme que irá ocorrer! Um beijão, Caio