Português | English

Cartas

SERÁ QUE NÃO FUI BATIZADA NO ESPÍRITO POR QUE FUMO?

SERÁ QUE NÃO FUI BATIZADA NO ESPÍRITO POR QUE FUMO?

-----Original Message----- From: SERÁ QUE NÃO FUI BATIZADA NO ESPÍRITO POR QUE FUMO? Sent: sábado, 20 de dezembro de 2003 01:38 To: contato@caiofabio.com Subject: EU NÃO CONSIGO PARAR DE FUMAR Mensagem: Pastor Caio, A Paz de Deus! Eu estava em busca de respostas sobre o Batismo no Espírito Santo, aí comecei a procurar livros que falassem sobre esse assunto. Na igreja onde sou membro havia vários livros, e só olhando o título, e não para o autor, eu peguei dois, e coincidentemente (?) os dois eram de sua autoria: "Espírito Santo - O Deus que vive em nós" e também o "A Sengunda Unção". Li os dois e gostei muito... Mas ainda tenho dúvidas se fui ou não fui batizada no Espírito Santo; não reconheci dom nenhum em mim; apenas sinto uma vontade enorme de aprender mais e mais, conhecer mais e mais a Palavra de Deus... Fico lendo muito, e assim vou ocupando minha mente apenas com assuntos de Deus. Meu grande problema é a luta que enfrento! Você pode pensar que é fraqueza, ou falta de fé, nem eu mesma sei responder o porque isso ainda acontece comigo. Apesar de toda a busca por Deus, e de todo meu envolvimento com a igreja e com a Palavra, eu não consegui parar de fumar. Nas várias vezes que tentei, quase entrei em coma nas primeiras horas; pela fé vou agüentando, mas ao passar muito tempo, a crise começa, não tenho mais forças; oro, e peço a Deus que me ajude, mas tudo parece aumentar. Não consigo ler nessa crise, pois as letras começam a se moverem na Bíblia, parece coisa demoníaca até... Na minha igreja já tentaram me ajudar, as respostas são as mesmas, começo a achar que sou eu o problema, que tenho pouca fé ou esteja tentando da maneira errada. Gostaria de saber a sua opinião quanto a isso, se devo procurar um médico para me auxiliar com remédios que me ajudem a parar com esse vício maldito que odeio. Mas não consigo me livrar. Quem me vê, deve pensar que prego o que não faço, pois prego a vida com Jesus, e, no entanto, minhas própria luta eu não consigo vencer. Nem estou mais tentando fazer discípulo, pois não teria muitos argumentos para isso. Tenho clamado, mas cada vez fica mais difícil, sempre fico triste por isso, e toda vez que acendo um cigarro, me culpo, sinto Deus chorando com isso. Pastor, por favor, preciso de uma palavra amiga. Quero ser uma pessoa correta, ser uma pessoa verdadeiramente Cristã, sem esse tipo de prisão. Já pensei várias vezes, que talvez Deus não tenha me escolhido, por isso não consigo parar, mas por outro lado, não teria então o porque de tanta vontade de agradar a Deus, de buscá-Lo... Aguardo sua resposta se possível. Que Deus o abençoe sempre... **************************************************** Resposta: Minha amada irmã: Paz e Paz! Creio que você precisa re-ler o livro “Espírito Santo: o Deus que Vive em Nós”. Digo isto porque creio que se você o leu, você não o entendeu. Lá eu digo o oposto do que você confessou como sendo a “evidência” do batismo com o Espírito Santo, e o associou aos “dons”; o que é a tese oposta àquela que demonstro ser bíblica. Batismo com o Espírito Santo é sinônimo de conversão, regeneração, novo nascimento, salvação, e crer para a justiça. Os evangélicos, há cerca de duzentos anos, inventaram esse batismo mágico com o Espírito Santo, que seria uma segunda benção, e que, supostamente, faria aqueles que o recebessem se tornarem “super-homens”, seres acima do bem e do mal, com poder sobre tudo e todas as coisas, e livres de todo mal. Ora, quem lê as cartas de Paulo aos Coríntios vê que tudo o que não faltava lá eram dons, embora tudo o que faltasse lá fossem os frutos do Espírito, pois, mesmo cheios de dons e salvos na Graça, ainda eram meninos carnais e bobos. Seu problema é duplo: 1. Você freqüenta, certamente, uma igreja na qual se ensina que o batismo com o Espírito Santo resolve todos os problemas. É a segunda benção. E quem vive tendo dificuldades, e ainda não falou em línguas estranhas, é porque não tem essa “segunda benção”. Então, o cara fica lá gemendo, e se comparando aos demais, e sempre sentindo que está andando para trás. Depois de um tempo começa até a questionar se de fato, algum dia, já conheceu o Senhor. Essa doutrina é perversa com a alma, viola a liberdade de Deus de se manifestar a quem quer e como quer, não ensina que em Cristo o que já está feito em nosso favor continuar a ser, para nós, um processo de apropriação cotidiana, e enfraquece a esperança e a segurança no coração. Por isto também os crentes dessas igrejas acordam “salvos” e dormem “perdidos”, dependendo de se foram “corretos” ou não durante o dia. Essa perspectiva de “fé” nega os bens da Graça, que é favor imerecido. 2. O fato de você fumar torna seu conflito ainda maior. Afinal, você pensa, que crente sou eu que não consegue deixar esse “vício desgraçado”? Aí, então, o bicho pega, e a alma se condena até onde conseguir se condenar. Tem gente que até se auto-excluiu da vida eterna por causa de um Carlton. Já pensou? Isto dito, vamos falar um pouco de seu “cigarro”. Minha querida, seu cigarro faz apenas dois males—e são importantes, mas não tocam áreas essenciais da vida, pois não tocam o seu coração. 1. É uma desgraça para a sua saúde, especialmente seu pulmão e coração (físico). Sem falar na pele, dentes, e em outras áreas físicas que são afetadas pelo fumo. 2. Diminui sua liberdade, e aumenta sua ansiedade. Diminuiu sua liberdade porque há inúmeros lugares onde você não pode e ou não deve fumar. Aumenta a ansiedade porque a pessoa fica louca para chegar a um “lugar livre” a fim de acender um cigarrinho. Mas os males desse negócio ficam aí, restritos a essas áreas. O que entra pela boca pode até fazer mal ao corpo, mas não afeta o homem, pois não chega ao espírito-coração, conforme Jesus, em Marcos 7. O pior problema de um fumante cristão é o julgamento da igreja. Eu não sei porque, mas no meio evangélico o cara pode bater na mulher, espancar os filhos, mentir inveteradamente, ser cheio de orgulho e empáfia, ser arrogante e desonesto, maligno sem seus juízos, e sem compaixão, que estará tudo bem se ele não fumar, e tiver o descaramento de acusar quem fuma. O cigarro é o monstro diabólico que “desvia” uma quantidade enorme de pessoas da igreja. Encontro todos os dias pessoas que dizem que não ficaram na igreja porque não conseguiram parar de fumar. Trata-se, portanto, de mais uma doutrina dos escribas e fariseus, mais uma maldade da religião contra a graça de nosso Deus. Você pode imaginar Jesus deixando alguém de fora de qualquer coisa por causa de cigarro? Você sabia que nos dias de Jesus já se fumava? Não era esse tipo de cigarro que se fuma aqui no ocidente, mas já havia outras formas de uso de aparatos destinados à distração, coisas semelhantes aos cachimbos, só que bem grandes. Se você for hoje a muitos países e visitar muitas igrejas, você encontrará amados irmãos, santos e abençoados, puxando seu cachimbo ou cigarro após o culto e fumando em comunhão. É recomendável? É claro que não! mas apenas por questões de saúde e de liberdade psicológica quanto a não se sentir premido por nada. No mais, é apenas mais uma Lei dos Homens, e mais um instrumento do diabo, usado pelos crentes, a fim de impedir a muitos de entrarem no Reino. Minha irmã, assumo a responsabilidade espiritual, diante de Deus, se porventura o que lhe disse não for a verdade! E mais: não deixe de ler a Palavra, nem de orar, nem de ir a igreja, e nem de fazer discípulos. Se o critério para fazer discípulos de Jesus fosse o de que o discipulador já houvesse se tornado liberto de todo o mal, não haveria ninguém que pudesse abrir a boca! O argumento é o que o corpo é o templo do Espírito. E é mesmo. Mas o "corpo" é a totalidade do ser, e nessa totalidade o pulmão e a barriga são partes insignificantes, o que mais conta no "corpo-totalidade-física-do-ser" é a mente. Ou você acha que o Espírito está preocupado com o tamanho da barriga de alguém? A usar-se o critério do corpo-corpo todos os crentes estariam perdidos, pois, em poucos lugares o corpo é tão mal tratado como na visão evangélica do corpo. Tiago não diz que é a fumaça que sai da boca aquilo que destrói a cerreira humana, mas sim as palavras que a língua produz. Portanto, se você quiser cuidar do que sai da sua boca, antes de se preocupar com a fumaça, preocupe-se com sua língua, e com as palavras que dela procedem. Será bom você parar de fumar por causa de sua saúde, mas não para entrar no reino, ter dons, ou ser mais santa. Tem gente que não fuma cigarro, mas fuma a alma do próximo o dia todo. Receba meu carinho. Nele, que não apaga o fogo de nenhum lamparina, Caio