Português | English

Cartas

SEM CHORO NEM VELA...”

SEM CHORO NEM VELA...”

-----Original Message----- From: José Alfredo Bião Oberg Sent: domingo, 18 de julho de 2004 10:09 To: Caio Fabio Subject: "SEM CHORO NEM VELA...” Caio, Cada dia que passa aprendo mais um pouco o que você passou no meio evangélico. Coisas das religiões de massa e suas projeções... Todos os seguros que fiz quando freqüentava o meio deixaram de ser renovados, apesar de terem sido bem atendidos profissionalmente. Engraçado, mas essa coisa facciosa você não encontra no povo católico, espírita, etc. Isso é que é ter em Jesus a referência de Caminho de salvação, amor ao próximo, arrebanhar ovelhas "perdidas" na evangelização, etc? Parece mais farisaísmo judeu; a Graça não foi assimilada ainda; por mais que você a pregue ou escreva sobre ela no seu site . A turma está mais para Pedro do que prá Paulo. - Gentio não entra ou é sempre encarado com desconfiança e reservas. Às vezes penso que é exatamente o oposto: O fato de terem me “escolhido” para ser o corretor de uma determinada apólice, nada tem a ver com o bom trabalho ou com a oportunidade de ajudar alguém profissionalmente. É apenas parte do "pacote de marketing" evangélico, que assim subordina e atrela o gentio ao meio... A verdade interior é desconsiderada, deixando uma lacuna amoral aflorar. O Espírito adverte, mas o comprometimento é maior. Sabe o que fiz? - Não lutei para recuperar essas perdas. A resistência às perdas seria contrária à qualidade do momento, e assim sobreviveria a humilhação. A retirada para as alturas inacessíveis à perdas é a melhor opção. Não se anula o ego, mas dá-se um objetivo maior para ele, que é despertar uma mudança interior e deixar que o "Acaso venha lhe socorrer" por você andar distraido... Muitas vezes servir é não interferir... Tenho acompanhado você através do site. Um grande abraço, Alfredo ____________________________________________________________ Resposta: Meu querido amigo Alfredo: Paz e Bem! Pobre do homem que não venda Curas, CDs ou Bíblias no meio evangélico! Morrerá de fome! Não esquente a sua cabeça com os evangélicos. Há muitos irmãos amados, mas a maioria vive de prosa. Proselitismo é a ciência da prosa realizada pela seita religiosa. E nisso os evangélicos, à semelhança dos fariseus (Mt 23), são muito bons. Esse negócio de dar "a volta ao mundo" a fim de fazer um "prosélito", e, depois, transformá-lo num “filho do inferno duas vezes mais atormentado” que o seu "evangelizador", foi objeto da denuncia de Jesus, e é lugar-comum no meio evangélico. E se você desejar fazer algum bom negócio com evangélico não se confesse nunca como um deles; do contrário, em nome da fé, você será explorado. Evangélico é discípulo não de Pedro (Pedro muda e olha para Paulo e diz: "É, ele diz coisas difíceis de entender, mas não verdadeiras), mas dos fariseus inconversos! Quanto a alma, os evangélicos, em geral, não possuem uma. Quem tem alma é sensível, estimulável pelo belo, é solidário, é amigo, é manso e meigo, aprecia a criatividade humana, e anda reparando sempre o caminho do coração. Tal não se dá no meio evangélico! Evangélico não tem alma para dentro, mas apenas alma para contar do lado de fora! O único mundo que se ensina ao evangélico que existe aqui na Terra é aquele que se vê. Portanto, evangélico, em geral, vive de cenário. Alma de evangélico é número, é dado estatístico, é cabeça de gado no curral da "igreja", enquanto se aguarda o céu em histérico desespero de "louvor e juízo". Fique firme, e não se impressione com a religião. A tendência da religião é sempre piorar, e tanto pior fica quanto mais "forte" se tornar. Receba meu beijo carinhoso! Nele, que nunca vendeu nada para ninguém, e que não se deixa vender, Caio