Português | English

Cartas

Se fosse minha filha você já estaria correndo...(II)

Se fosse minha filha você já estaria correndo...(II)

-----Original Message----- From: Se fosse minha filha você já estava correndo...(II) Sent: segunda-feira, 1 de setembro de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Quarentão com menina de 15 Mensagem: Pastor, paz em dobro na sua vida. Estou lhe escrevendo de novo, pois, como já disse o senhor colocou uma luz no meu caminho em relação ao assunto da garota de 15 anos. Só que eu tenho que confessar que está doendo; e como dói ficar sem falar com ela e sem vê-la! Pastor, parece coisa de adolescente, mas o senhor deve saber muito bem como é isso. Passa tudo quanto é coisa na cabeça: ela deve estar com outro...já me esqueceu...e tudo mais! Por favor, eu sei que pode parecer coisa de adolescente, mas e o coração, pastor? Me ajude com suas palavras que vem direto do trono do Senhor Deus. Desde já agradeço por tudo. O senhor continua fazendo parte de minhas orações. Fique com Jesus. Paz! ***************************** Resposta: Meu irmão amado: Paz! Parece não, é coisa de adolescente! Coisa de adolescente não é a dor do amor ou do desejo por uma mulher que se ama e não se pode ter! Sentir isso é normal, quando acontece! Coisa de adolescente é essa sua paixão por uma criança! Esse é o problema, e revela sua adolescência emocional e afetiva. O fato de você também se preocupar tanto com sua idade—no e-mail que veio entre o primeiro e este aqui, quando você agradeceu o que lhe escrevi na primeira Carta—você se tratou como um rapaz carente. Você é carente, mas não é mais rapaz. Você é um homem carente, de 41 anos, e que precisa deixar de se ver como um rapazinho. Agora é tempo de crescer! É hora de desistir das coisas de menino e abraçar a sua maturidade como homem. Você não precisa de uma menina. Você precisa de uma mulher. Se você não tomar cuidado, você vai virar aquele eterno, juvenil e irresponsável “titio”. Cara, chega disso! Os melhores anos de sua vida como homem estão bem a diante de você. A menina de 15 anos é outra grande carente. Ela é carente de pai. Por isso é que topou um namorado velho o suficiente para ser, inconscientemente, a figura paterna; e criança o suficiente para querê-la como menina moça. Já com você o problema é a insegurança. Você morre de medo de ficar velho e de ficar só. O problema é que você vai ficar velho—é inevitável; e, se continuar assim, vai ficar só! Até aqui você só perdeu tempo. Chega! Pare agora de ficar correndo atrás do vento—você não vai agarrá-lo—, e abrace a quem existe. Peça a Deus a benção de ficar quieto por um pouco. Viver com essa Síndrome de Peter Pan é algo viciante. O cara perde a chance de se enxergar. Ele vive de contemplar uma imagem irreal e adoecida. Você não sabe o que está perdendo sendo um homem de sua própria idade, e com as responsabilidades e a consciência pertinentes a estação da vida na qual você já está! Eu não gostaria de voltar jamais à adolescência. Bom mesmo é ser homem. Desde de menino que meu sonho era ser homem. Para mim demorava a passar... Antes mesmo de chegar a idade, eu já me sentia um homem. Quando a idade de homem chegou, ficou melhor ainda. E, hoje, descubro que vou me tornando mais homem a cada dia. O que tenho a dizer a você é isto. E lembre-se: homem encontra mulher, não menina. Menina encontra menino, não homem. Não ser assim revela infantilidade de um—do homem—, e a carência do outro—da menina. Você quer ser garotinho. Ela quer ser mulherzinha de um quase-papaizinho. Não é bom que as coisas sejam assim! Agora que você já viu e já sabe, é com você. E, assumir o que você já sabe será seu primeiro ato como homem. Vá em frente, e que Deus abençoe você! Um beijão, Caio