Português | English

Cartas

SATÉLITES, ESTRELAS, BURACOS NEGRO, E A RESSURREIÇÃO DOS MOR

SATÉLITES, ESTRELAS, BURACOS NEGRO, E A RESSURREIÇÃO DOS MOR

-----Original Message----- From: Marcello Sent: terça-feira, 6 de janeiro de 2004 16:47 To: Caio Fábio Subject: Carta de paz! Olá Pastor Caio, Espero, sinceramente, que este ano pra ti seja um ano de paz no significado mais verdadeiro desta palavra. Que sua família seja inundada de paz. Mas não dessa "paz cafona", de votos de ano novo próspero. Falo daquela paz que é Dom, que é Revelação, que é certeza, que é Fé. E que possamos juntos orar por nossas "Autoridades constituídas" (todas elas)...para que nos façam viver vida tranqüila e sossegada. Principalmente as autoridades eclesiásticas... E que o coração do senhor possa ter descanso das pressões, das responsabilidades, da pressão de ser responsável, de ser respondível a pessoas como eu, por exemplo, anônimo, mas amado por ti por ser parte do "NOME". Que tipo de música o senhor ouve? Eu curto instrumentais de jazz-soul-latin, corais negros americanos, e adoro música mineira. Admiro o João Alexandre desde sempre, e há alguns anos vim a conhecer a inspiração musical dele: o grupo Boca Livre. Minha esposa tem vários LP's deles, do Milton Nascimento e aquela turma do clube da esquina. Gostei demais. Apesar de que, algumas das letras desse pessoal traz um "banzo" desgraçadamente angustiante, pelo menos pra mim, que nasci na igreja! Eles vão fundo na melancolia...O senhor é melancólico? Deve ser um colérico-melancólico...errei? Tenho muitas saudades do pessoal de Vencedores por Cristo. Mesmo atualizado com as recentes coisas deles em carreira solo, ainda assim a saudade permanece...acho que é saudade do tempo! Cresci ouvindo: "o pardal encontrou casa, a andorinha ninho para si...eu, encontrei os teus altares Senhor...” O homem tem mesmo esse chamado ao subjetivo não é? Os animais encontram lugares físicos para se proteger e subsistir num mundo físico. O homem também é sujeito ao mundo físico, mas é atraído ao transcendental para encontrar abrigo e alimento. Eu quero aprender a me alimentar mais e mais de Deus. Quero fazer isso amando a criação, sendo um homem, como o senhor diz. Quero ter o coração do salmista que ouvia o universo pregar! Ahh! Que maravilha! “Os céus proclamam a glória de Deus..., um dia discursa a outro dia, e não há palavra! Não há som algum!” Quero ser um homem que também tem a consciência dos seus limites e cargas adequadas. Afinal, sou chamado pra ser satélite desse sol da justiça. Quem sabe um dia serei uma estrela? Estava lendo um livro do Stephen W. Hawking, que diz que os buracos negros surgem da incapacidade da estrela lidar com suas pressões, campo gravitacional, massa e etc. Quando isso se desequilibra, até o tempo-espaço é afetado, e tudo começa a ser sugado para dentro do grande buraco negro que se forma. Até a própria luz! Pastor, eu não quero ser estrela. Pra mim hoje seria o caos! Não sei lidar com minhas pressões, minha massa, e o campo gravitacional que me cerca. Eu quero ser satélite e refletir a luz do meu SOL bendito! Escrevi para bater-dedo com o senhor. Estava meio deprimido. Mas sabe que às vezes eu acho que quando estou mais deprimido, é aí que eu “bombo” mais pressão? Parece que quando eu esvazio, a vida cresce, a sabedoria de Deus cresce... e eu fico cheio, só que de uma forma diferente... De qualquer modo, obrigado. Fique na paz! Marcello. Obs.: Ainda estou meditando em Jacó e o anjo. Meditando e me-deitando com a cabeça na pedra... ******************************** Resposta: Amado amigo Marcello: Viva na paz! Obrigado pela cartinha tão amiga e carinhosa. O que eu curto musicalmente? Bem, eu acho que curto tudo o que me entra pelos ouvidos, mente e coração com beleza, melodia, mensagem, e inspiração; seja a inspiração que faz ninar, seja aquele que faz agonizar, ou a que provoca, ou a que enche a alma de nostalgia, ou paz. Como você viu, eu não sou mineiro, mas adoro uma mesa que tem de tutu à língua, mocotó, torresmo, e galinha caipira—tudo junto. Minha alma gosta de feijoada, tanto quanto de pratos sofisticados. Tudo depende do dia e da hora. Mas fora os Beatles, e uns poucos—que são presença garantida em meus prazeres musicais—, aprecio tudo o mais...desde que me afete. Melancólico-colérico? Pode ser! Mas também sou muito sanguineo. E, face o impensável, por vezes, sou extremamente frio, como os fleumáticos. Viajo da poesia à guerra sem problemas. Tudo depende da fé e da hora daquela fé. Há tempo para tudo, e gosto muito disso. Quanto a sermos quem somos até o dia em que seremos quem Nele já somos—satélites ou estrelas—, Paulo disse: O que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo, ou o de outra qualquer semente. Mas Deus lhe dá um corpo como lhe aprouve, e a cada uma das sementes um corpo próprio. Nem toda carne é uma mesma carne; mas uma é a carne dos homens, outra a carne dos animais, outra a das aves e outra a dos peixes. Também há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres. Uma é a glória do sol, outra a glória da lua e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela. Assim também é a ressurreição, é ressuscitado em incorrupção. Semeia-se em ignomínia, é ressuscitado em glória. Semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder. Semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual. Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, mas o animal; depois o espiritual. O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Qual o homem terreno, tais também são os demais homens terrenos; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, traremos também a imagem do celestial. Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção. Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graça a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. Ora, isto nem o Stephen W. Hawking consegue entender. A Física Quentica anda perto dessa fronteira, mas só se a atravessa pela fé. Deite...e durma um pouco mais sobre a pedra de Jacó, e você acordará por ter visto anjos subindo e descendo. Então você dirá: Com efeito este lugar é terrível, é a casa de Deus. Betel é um lugar no coração! Receba meu beijo. Nele, que tragou e tragará completamente toda morte, Caio