Português | English

Cartas

SALIS SAD SALAM SAIAF: você ensina doutrina de demônios...

SALIS SAD SALAM SAIAF: você ensina doutrina de demônios...

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: SALIS SAD SALAM SAIAF DIZ que você ensina doutrina de demônios

To: contato@caiofabio.com 

Sent: Friday, November 10, 2006 8:55 AM

Subject: Lamento...

 

Graça e Paz, Pr. Caio!

 

 

Lamento profundamente o que vi por acaso na televisão outro dia. O Pr. Silas Malafaia afirmando, com aquele tom de voz raivoso que é característico dele, que existe um pastor que foi grande e que tem um site, ensinando doutrina de demônios. Ele não teve a coragem de dizer o seu nome. Ele estava pregando sobre os tempos difíceis aos quais o apóstolo Paulo se referiu. Fiquei chocado com a arrogância e o sentimento de quem tem o "rei na barriga" que as palavras dele traduziam. Depois dessa, tive que mudar de canal para não poluir a mente com tais aberrações. E o pior que a congregação (ou platéia) aplaudiu no ato!!

É pastor..., ouvindo isso, realmente vivemos em tempos difíceis...

Que Deus continue prosperando o seu ministério!!

Graça e Paz,

 
Marcos Wandré

_____________________________________________________________________________

 

Resposta:

 
Meu irmão amado: Graça e Paz!

 
Algumas pessoas me falaram, perguntando se eu vira tal coisa perversa; eu, porém, a todos disse que não vira, pois, de fato, nunca assisti nada dele; e isto desde sempre; posto que o espírito dele me é penoso de sentir faz muitos anos. Ou seja: ouvi-lo me dá tanta pena, discernimento acerca dele próprio, e aflição por aqueles que ouvem seus rugidos como se fossem a voz de um pastor de almas — que eu não consigo ouvi-lo. Minha mulher consegue, quando pessa e vê, dar uma paradinha e se divertir ante a comédia. Mas eu não tenho a capacidade dela. Como conheço a história da figura, me dói ver tanto risco espiritual sendo professado como se fosse algo que tivesse a ver com Deus. 

Se disseram que Jesus era bebedor de vinho, glutão, endemoninhado, samaritano louco, embusteiro, blasfemador, inimigo do Templo, um perigo à verdadeira fé — que devo eu sentir quando um silas das malas faias diz que eu estou ensinando doutrinas de demônios? Sim! Porque minha visão mais simples do Evangelho, se toma um silas das malas faias como referencia moderna a ter um correspondente nas narrativas dos evangelhos, não o colocaria como um Zaqueu arrependido, nem como um Mateus convertido, nem como um Gadareno feito lúcido, nem entre os discípulos, nem entre a multidão do povo, mas entre fariseus, herodianos, autoridades do templo, amigos dos romanos; e em meio aos que chamam a Graça de pecado, chamam o amor de Deus de perigo, chamam o Evangelho de doutrina de demônios.

Melhor lhe seria dizer o que quisesse sobre mim, mas jamais dissesse que o que eu ensino é doutrina de demônios, pois, se fosse a meu respeito que viesse a infâmia, ele pecaria contra mim; porém, não é contra mim que ele peca, mas sim contra a Palavra que sai de minha boca da parte de Deus, conforme o Evangelho, e na força do Espírito Santo. E é a tal realidade que ele atribui influencia de demônios, colocando a si mesmo numa zona de risco de natureza escandalosa, pois, que todos saibam — Deus vela e zela pela Sua Palavra.

Que ele seja frívolo contra mim, mas que jamais o seja acerca do ensino do Evangelho. Pois se assim for ele terá que saber que Deus mesmo o chamará para um sério particular.   

De minha parte, sempre que ouço esse tipo de coisa, apenas pergunto: quem está dizendo isso? E como jamais vi uma única pessoa de Deus (do bem) dizer jamais qualquer coisa desse gênero a meu respeito, mas tão somente 'os opostos' ao espírito do Evangelho — então, identificando a fonte, apenas viro para o lado e durmo.

Na realidade sei tanto que o que prego é o Evangelho, que sinto temor e tremor por quem blasfema contra a Palavra da Graça do Evangelho. Aquele que por mim fala falará com ele.

Um grande beijo pra você!

 

Nele, que aceita as tolices dos publicanos, mas abomina os juízos esquematizados dos que se insurgem contra o Evangelho por ciúme e ou inveja,

 

Caio