Português | English

Cartas

RESPOSTA AOS AMAZONENSES: eis a verdadeira terra nova!

RESPOSTA AOS AMAZONENSES: eis a verdadeira terra nova!



O texto sobre Nabucoterranova praticamente me ocupou o dia de hoje por inteiro, tantas foram as cartas que tive de responder. Entre tantas, escolhi algumas para colar aqui no site, visto que bem ilustram o conteúdo das demais. Caio ----- Original Message ----- From: To: contato caio Sent: Tuesday, September 13, 2005 6:22 PM Subject: Caminho em Manaus! Puxa Caio.... Por favooor... Caminho em Manaus! Puxa Caio.... por favooor... Por que o senhor não funda um Caminho da Graça aqui na sua terra querida? Por favor, pense com carinho. Aliás, já é uma benção grande ter o senhor escrevendo pro Jornal "A Crítica". Um beijão... __________________________________________________ ----- Original Message ----- From: To: contato caio Sent: Tuesday, September 13, 2005 8:16 PM Subject: René Terra Nova: "Projeto Salomão Corroborando o que o Reverendo diz sobre René Terra Nova: "Projeto Salomão” O projeto Salomão comemora dia 02/09 um mês de instalação e nesse período os discípulos do MIR acumulam bênçãos. O InfoMIR já contou a história de três empresários que tiveram seus históricos financeiros alterados a partir do instante que ingressaram nessa estratégia cujo objetivo final é a conclusão do Palácio para Deus. Você leu que Nonato Cabral investiu R$ 5.000,00 (cinco mil reais) no projeto e ganhou uma licitação no valor de R$ 105.000,00 (cento e cinco mil reais). Olivaldo Ramos, o empresário que criou as pulseiras de silicone ‘Fruto Fiel’, contribuiu com R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) e recebeu uma encomenda de 12.050 novas pulseiras ou R$ 24.100,00 (vinte e quatro mil e cem reais). Semana passada Ivone Medeiros comemorava as primeiras bênçãos graças ao Projeto Salomão. Ela propôs uma oferta no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) e teve sua renda multiplicada por dez." ----- Original Message ----- From: To: contato caio Sent: Tuesday, September 13, 2005 8:21 PM Subject: Obrigado pelo texto NABUCOTERRANOVA Olá Caio li seu texto sobre o Nabucoterranova. Agradeço por ele, pois é aquilo que tantas pessoas queriam dizer e não tem a oportunidade. Uma vez tentei entrevistar o Renê, para uma monografia (Evangélicos e Política), mas um de seus discípulos me informou que eu deveria tirar os sapatos para falar com ele. Então desisti. Creio que você não deve fugir desta responsabilidade. Eu já me libertei de minha denominação. Cheguei a ser dirigente de uma congregação, mas não suportei ver tanta corrupção nos bastidores. Ah, onde funciona o Caminho? Que o Senhor continue derramando sabedoria sobre você. C. C. ----- Original Message ----- From: Assessoria-www.caiofabio.com To: contato caio Sent: Tuesday, September 13, 2005 6:56 PM Subject: estou viciada no site Olá Pr. Caio, Graça e Paz! Quero parabenizá-lo por este site, que muito tem me ajudado e fortalecido. Quero lhe dizer que estou viciada nele. Não consigo passar um dia sem lê-lo. Encontrei este site no inicio do ano e tem sido uma benção na minha vida, pois tinha abandonado a "igreja" (instituição), mas continuava apaixonada por Deus, e achava que também tinha me separado dEle. Mas você me fez ver e entender que não, e o que você fala neste site vai de encontro a tudo que penso e sinto desde que me converti ao Evangelho. Já falei demais, só lhe escrevi para saber se é verdade que vai ter aqui em Manaus um Caminho, como o que tem em Brasília. Quando ouvi isso fiquei super feliz, pois é a resposta de meus sonhos: poder me reunir com pessoas que pensam como nós, pois só conheço pessoas “evangélicas”, e que querem que eu volte para "igreja", pois para eles eu estou desviada. Um grande abraço, meu irmão, eu amo muito você. V. M. _________________________________________ Meus queridos irmão e amigos desta santa floresta amazônica: Graça e Paz sobre todos! O Nabucoterranova um dia verá e entenderá o mal terrível que ele causou ao que um dia foi o povo de Deus e a Igreja no Amazonas. Antes dele sempre houve picaretas. Enquanto morava aí, até 1981, enfrentei alguns, os quais chegavam e começavam logo a corromper a fé. Entre esses, houve quem não quis ouvir; e houve quem mudou de atitude e se converteu ao que era sério. Quando Nabucoterranova apareceu, no entanto, veio com ele outra coisa. Veio, no início, um falar com sotaque de evangélico batista, recheado de um pentecostalismo verbuoso, marcado pela imagem de busca de novos moveres divinos, sempre buscando associações com pessoas de outros lugares, e que para ele eram vistas como “de sucesso”. Depois ele entrou na onda da confissão positiva, e, como conseqüência natural, na onda da prosperidade. A seguir veio o G12, do qual ele veio a ser um dos precursores no Brasil, encontrando a fama evangélica. Fez-se Apóstolo e associou-se aos que do mesmo modo se designavam. Aliás, eles formaram com “Confraria Apostólica”; visto que outras surgiram nos mesmos moldes: era muito apóstolo para tantos egos! O narcisismo os separou! Como se não bastasse, Nabucoterranova “traiu” o fundador do G12, e, para sua própria glória e poder, se fez o “Paipóstolo” de alguns tolos “paipostolinhos”, de vários lugares do Brasil, que lhe beijam as mãos e tiram diante dele as sandálias. No processo, apenas para nos atermos a Manaus e não falarmos de outros lugares, Nabucoterranova corrompeu muita gente e muitas igrejas. Pequenas e grandes igrejas ficaram tomadas pela febre do G12 e pelo sucesso que Nabuco inspirava, sempre mostrando que se houvesse as “unções transferidas”, grandes seriam os resultados. A Assembléia de Deus se dividiu em três pedaços, cada um com seus próprios pecados. Porém, o G12 foi a raiz de alguns desses males. Até a igreja que pastoreei acabou por sucumbir ao modelo celular; com “discrição presbiteriana”, porém, com muita semelhança no estilo e nos objetivos; ainda que alguns não sejam claramente confessados. Hoje, quando vou a Manaus, só encontro gente infeliz e sem alternativa. A política, a busca pelo poder, a megalomania do crescimento de igreja, os surtos psico-carismáticos, as vaidades explicitas ou dissimuladas, pastores tarados e que confessam suas lascívias como virtude, legalismos e moralismos puritanos, e, sobretudo, a falta de Palavra do Evangelho sendo anunciada ao povo, secaram a alma da cidade, a qual, um dia, já esteve carregada do amor de Deus. Além de tudo, Nabucoterranova mente quando gosta. Eu certamente já o havia encontrado, pois ele foi a alguns eventos da Vinde. Quando soube que eu estava me divorciando, me ligou e disse que eu contava com ele (98). Agradeci, e apenas isto. Mas ele foi ao púlpito dizer que liguei para ele pedindo socorro, e a tal mensagem foi ao ar também na televisão. Muitos amigos meus viram e me contaram já bem depois, pois não quiseram me entristecer. No final de 99 ele me buscou dentro de um avião, já pousado em Manaus, interrompendo uma conversa minha com alguns amigos, entre eles Arthur Virgílio Neto, a fim de me dizer que estava orando por mim, e que a igreja dele e seu púlpito me estavam abertos. Apenas fui gentil e agradeci. Mas no dia seguinte, no púlpito de sua igreja, ele contou outra história: que eu o vira e pedira ajuda mais uma vez, e que por isto todos deveriam orar por mim. Até meu pai, depois de um tempo, veio me perguntar se era fato que eu conversar algo com Nabucoterranova, pois, muita gente falava no assunto. Os surtos dele são variados. Já houve até a ordem para que os homens da igreja não fizessem a barba e andassem de azul por um determinado período de tempo. Nesse mesmo período ele andaria de vermelho. Quem dera o Espírito sobre ele se derramasse e ele caísse em si e retornasse à sensatez, conforme o Evangelho! O problema é que a loucura praticada em nome de Deus, já chega absolvida e livre do exercício do discernimento; especialmente se é algo que tem apenas a ver com a intrepidez do líder religioso, o qual, em nome de Jesus, ganha a permissão para enlouquecer a vontade, pois, sempre haverá uma grande multidão com propensão ou com ingenuidade que para seguir malucos que falam de Deus. Tire o nome de Deus dessa história e apenas imagine o resultado: um monte de gente seguindo um maluco que deseja construir o Palácio de Deus, e ser o Salomão desse novo Templo! Mas se o sujeito diz: “Deus me falou!” Então, todo discernimento e bom senso são suspensos e cria-se a permissão para o surto coletivo. Quanto a quem disse que eu não devo fugir desta responsabilidade, com todo respeito e carinho, quero lhe dizer que Deus não me constituiu nem juiz e nem repartidor no meio de nenhum grupo da Terra. Portanto, aqui não cumpro uma responsabilidade especial, que eu tenha por ser quem sou para os outros; mas apenas cumpro aquilo que em minha consciência se afirma como verdade, e faço isto por mim mesmo também, visto que sirvo a Deus, antes de tudo, em razão de minha própria consciência. Assim, não tenho responsabilidades que me sejam delegadas por homens, mas apenas aqueles que são emuladas pelo Espírito em meu espírito. A essas todas eu obedeço, sem me preocupar com as conseqüências. Portanto, cada um deve andar conforme a consciência que possui segundo o espírito do Evangelho, cada qual, onde está, e no que é, dizendo o que crê, o que pensa, o que cogita, e o que acha certo. Se cada pessoa agir assim, conforme o testemunho interior da verdade, não haverá espaço para os pervertedores da Palavra. Digo isto porque sempre me impressionei com a multidão dos silenciosos. É a multidão dos silenciosos que patrocina, pelo silencio, as grandes chacinas desta existência. Se a multidão dos silenciosos que se dizem revoltados ou vendo as coisas, falassem; por certo não haveria lugar para a loucura feita contra a santa Loucura do Evangelho. Sobre o Caminho aí em Manaus, é certo que desejamos começar. Há uma multidão de pedidos espontâneos. E como aí estão meus pais, parentes, amigos e os mais antigos cristãos estimulados pela Palavra que Deus me deu para anunciar, então, de modo quase compulsivo, sinto-me impelido a iniciar uma Estação do Caminho aí. Estarei, se o Senhor permitir, toda quarta-feira aí em Manaus, dentro de mais uns dois meses. Mas primeiro vamos formar um grupo consciente e coeso. Depois iremos abrindo para quem desejar. Um domingo por mês estarei em Manaus também. Minha mulher, Adriana, também irá um domingo por mês, quando eu não for; de modo que eu e ela, alternadamente, estaremos aí dois domingos por mês. E nos demais dias teremos companheiros de Manaus ensinando a Palavra. E há muitos filhos-irmãos na fé com alegria quanto a fazer isto. Meu compromisso com Brasília, todavia, permanece intocável. Não só moramos lá, como também estaremos lá sempre. Além disso, estamos apenas iniciando algumas das muitas coisas que desejamos ver acontecer, como testemunho do Evangelho, no Distrito Federal. Portanto, nada muda; mas apenas se faz um acréscimo! Para tanto, estou deixando de lado outros compromissos, e fechando a minha agenda. Ficarei apenas pregando na catedral do Rio um domingo pela manhã por mês; e, com a Graça de Deus, continuarei firme aqui no site: “lugar” onde tenho grande prazer de trabalhar. Orem pelo povo de Deus de Manaus, assim como orem também pelos milhões de discípulos de Jesus que andam sem referencia de Caminho de Fé e de Corpo Espiritual e Comunitário neste país. Recebam todos o meu carinhoso abraço! Nele, que nos ama e nos chama sempre de volta ao Seu amor, no qual está verdadeira Terra Nova, que é o chão do Evangelho, Caio