Português | English

Cartas

QUERO PARTICIPAR DE SUAS CONVERSAS COM ABELLARDO RAMEZ II, S

QUERO PARTICIPAR DE SUAS CONVERSAS COM ABELLARDO RAMEZ II, S

Pr. Caio Fábio É com grande prazer e esperança que inicio estas palavras em um impulso de coragem. Espero que o senhor as receba como palavras de um irmão que te admira com coração sincero. Sei que o senhor deve ter muitas coisas para ler, mas, por favor, leia até o fim. Meu nome é Wallace Moreira Herdy, natural do Rio de Janeiro. Tenho 28 anos, nascido de novo faz 10 anos. Sou seminarista, e tenho em minha história muitas de suas palavras. Conheci o senhor pessoalmente no lançamento do livro Nephilim, em Manaus, nas dependências da livraria Valer, no Centro. Foi onde consegui cumprimentá-lo. Mas o senhor não se lembrará de mim, pois foi muito rápido. Desde minha conversão, sempre admirei seus livros e pregações, e subi mais um degrau de vivência com Deus ao ler o livro Confissões do Pastor. Profundamente tocado, comecei a buscar literaturas mais profundas e acabei trocando a Faculdade de Física na UFRJ, pela de Teologia. Hoje, moro em Manaus faz quatro anos, e estou terminando o seminário. Dentre tantos sonhos que, como ser humano, tive na vida, um deles sempre foi poder conversar com o senhor. Não simplesmente ouvir uma mensagem, cumprimentar ou ter um autógrafo, mas conversar. No entanto sempre pensei que o senhor fosse muito ocupado para “bater papo” com mais um dentre tantos outros admiradores. Quando o senhor teve a coragem de confessar diante de todos, tive a vontade de dizer “fique firme que Deus te abençoará”. Eu não teria essa coragem. Mas continuei assistindo de longe. Até ler As Tábuas de Eva. Terminei neste fim de semana, e espero que o senhor me perdoe por estar de certa forma atrasado no tempo, afinal o livro não é novo. Mas este livro me tocou profundamente. Primeiro, porque para mim ele é a continuação de Confissões. Li Nephilim pensando nisso. E como eu esperava essa continuação. E encontrei em Tábuas. É muito bom saber que o senhor está bem, de volta nos cenários do próprio coração. Fico feliz. Segundo, porque venho de uma série de problemas que me desanimaram e me fizeram ter muitas dúvidas. Preciso aprender a viver conforme a Árvore da Vida, e não a do Conhecimento. Terceiro, porque eu estudava física, e passei a estudar teologia. E sempre quis associar as duas coisas. E o artigo é incrível que você escreveu sobre física quântica é incrivelmente possível. As experiências ditas subjetivas pela maioria, podem ser reais. A nossa consciência vivendo na dinâmica das partículas subatômicas. O que é, é; isto é tudo, e tudo é! Mas o principal, que foi o que me fez escrever estas palavras, foi a forma como me identifiquei com o senhor e Abellardo conversando. Perdoe-me a intromissão, mas parecia que eu estava junto em cada conversa. Que cada pergunta era minha pergunta, e que cada comentário era comigo. Sempre tive dificuldades para encontrar pessoas com as quais eu pudesse conversar do fundo da minha alma. Expor dúvidas e idéias de forma aberta e sincera. Sempre encontrei “mente aberta” em pessoas que não podiam entender o espiritual. E “mente fechada” em religiosos. Limites para falar a cristãos sobre coisas da vida humana, principalmente realidades de outras ciências como psicologia, física, filosofia, etc. E então eu percebo que não estou “sozinho” no mundo. Vejo em cada conversa de vocês, sinceridade, expressão de sentimentos profundos, debates de idéias que seriam entendidas como loucura. Senti-me em paz, por ter identificado um ambiente onde pudesse simplesmente conversar, mesmo que fosse com dois personagens de um livro cuja história já era passado. Do fundo do meu coração, gostaria que Deus me fizesse encontrar amigos assim, com os quais eu pudesse ser sincero e “louco”, para viajarmos no mundo das idéias e profundidades da vida e da alma. Mesmo que eu ainda esteja começando. Mas não vou me estender, pois seria capaz de passar horas e horas conversando. Desculpe-me se em algum momento não fui muito claro, ou se fui inoportuno. Agradeço pela atenção ao ler estas palavras. E pela forma como seu livro me tocou. Muito obrigado. Deus continue abençoando sua vida, e inspirando-o a inspirar outros como eu. Um dia, espero poder conversar com o senhor, mesmo que seja no céu, diante de Deus. Atenciosamente, Wallace. ************************** Wallace: Recebe meu beijão em Cristo! Sou um bem-aventurado. Hoje tenho uns três amigos íntimos, um bem intimo; e alguns confiáveis. Já é uma multidão! Espero que possamos nos encontrar em breve, seja aí, seja aqui—ou em qualquer outro lugar. Seus comentários me fizeram muito bem. Aqui no fundo do coração eu sei que os cristãos ainda não “descobriram” o Nephilim e o Tábuas de Eva. Quando descobrirem, saberão o valor deles. Digo isto sem temor de ser julgado—afinal, eu sou o autor—porque sei que a mensagem deles é mais que própria para estes dias, além de ser uma viagem de auto-revelação psicológica, de minha parte. Quem quiser, realmente, ler o Confissões II e III terá que ler Nephilim e Tábuas de Eva. Fico feliz quando sou entendido e aproveitado! Receba meu beijão. Nele, Caio