Português | English

Cartas

QUERO ESCOLHER CERTO COM QUEM CASAR

QUERO ESCOLHER CERTO COM QUEM CASAR

-----Original Message----- From: Como escolher certo com quem casar? To: contato@caiofabio.com Subject: Casamento Mensagem: A paz do Senhor, pastor Caio Fábio! Gostaria de saber o que a Bíblia fala sobre “a nossa preparada”—a esposa que Deus tem para nos! A Bíblia relata que existe alguém que Deus escolhe para nós? ou nós escolhemos a pessoa? e aquela que escolhemos Deus aceita e abençoa? Já ouvi dizer que quando queremos e Deus não quer, insistimos tanto em querer, que Deus nos dá, e depois pagamos o preço pela desobediência—acontecem coisas sérias dentro do casamento, até a separação? Qual a sua opinião de acordo com a Bíblia? Sem mais e certo de um retorno, e de um esclarecimento. ************************ Resposta: Meu amado irmão: Paz! A Bíblia não nos oferece nenhuma revelação sobre a escolha conjugal, assim como não define a maior parte das escolhas humanas. A Escritura nos ensina o caminho da verdade, da justiça, da misericórdia, da bondade, da fé, da esperança e do amor. Mas não diz com quem casar, que profissão praticar, em que cidade morar, como serão os nossos filhos, se devemos tê-los ou não, etc... Nos diz como tratar cada um dessas coisas, mas não diz quais delas são para nós. Há casos raríssimos em que alguém sabe exatamente os detalhes de sua vida nesses particulares. Mas tais casos são a mais completa exceção. No geral, todos nós vamos tateando. Alguns acertam mais que outros. Certos temperamentos são mais estáveis. Outros nem tanto. O que complica muito no processo é que as pessoas mudam ou a vida muda em volta delas. Na maior parte das vezes, no entanto, nós fazemos as mais importantes escolhas da vida sob circunstancias de imaturidade ou em circunstancias complicadas. No final, o justo sempre tem que andar pela fé e procurar preservar aquilo que ele acha importante e que crê como tendo significado. Sobretudo, mesmo quando se chega a conclusão que se errou numa escolha, tem-se que ser responsável, mesmo que seja para se “separar” num casamento equivocado. Idade, experiência, maturidade e sabedoria podem ajudar, mas jamais serão garantia de acerto. O que tem-se que ter é muita perseverança, pois, muitas vezes, o tempo ruim na vida conjugal é uma “fase”. Mas há muitas outras situações em que aquilo é um “estado” permanente. E como tenho dito aqui neste site, creio que amor é uma escolha. E é fácil praticá-lo como escolha tanto mais quanto o objeto do amor não tenha que ser também o objeto do desejo, e do amor que abraça como cônjuge. Desejo sexual, por exemplo, não é uma escolha. Sentimento de cumplicidade também não. O mesmo se pode dizer de afinidade espiritual e psicológica. O fato é simples: se não houver acordo, e dois corações unânimes, por mais que duas pessoas sejam de Jesus, elas não conseguirão ser felizes conjugalmente. O resto é complicação humana, sempre desejando se enfiar na vida e nos dramas dos outros; e sempre fazendo de sua experiência pessoal—seja de felicidade, seja até de infelicidade—, uma regra para o resto da humanidade. Todavia, até mesmo quando um casal chega a conclusão que ambos se fazem mal—mesmo quando há sentimentos fortemente fraternos entre eles—, existe um modo cristão de se desligar. E, obviamente, tal desligamento é muito mais simples quando não há “filhos” entre eles. De fato, quando falamos do caminho de um homem com uma mulher, estamos falando de uma escolha humana, e que precisa ser vivida com fé, sinceridade, liberdade e lealdade—mesmo que seja para dizer: Me perdoe, mas não creio que estejamos nos fazendo bem! A sabedoria bíblica põe tudo isto sob o olhar do mistério. Assim diz a sabedoria: Há três coisas que são maravilhosas demais para mim, sim, há quatro que não conheço: o caminho da águia no ar, o caminho da cobra na penha, o caminho do navio no meio do mar, e o caminho do homem com uma mulher. Portanto, se está falando daquilo que o próprio sábio não entendia. A águia voa por instinto. A cobra não deixa pegadas para serem seguidas. O navio no meio do mar, naquele tempo, ficava a mercê dos ventos e tinha apenas as estrelas como referência. Um homem e uma mulher terão que caminhar assim também: seguindo o coração, sem trilhos pré-definidos que lhes garantam a certeza do caminho, e estarão ao sabor dos ventos, precisando olhar sempre para cima. É somente até aí que eu consigo ir responsavelmente. Só há um marido que sabe a esposa que pode ter, e terá para sempre: Cristo, escolhendo a Sua Igreja. E grande é este mistério. O que passar disso, pessoalmente eu não me sinto apto a responder. Até porque, pessoalmente, já permiti que houvesse muita interferencia de terceiros nesta área de minha vida. E sei que tais interferencias atrapalham muito, roubam a isenção, forçam tempos, apressam decisões, e freqüentemente fazem a pessoa decidir antes da hora ou premido pelas circunstâncias. A experiência e a observação me ensinaram a pelo menos não atrapalhar os outros. Cada um tem que descobrir sozinho. E quanto menos interferência de outros, tanto melhor. Com todo carinho, Caio