Português | English

Cartas

QUERO ANDAR NESSA FORÇA, AINDA QUE CHORANDO

QUERO ANDAR NESSA FORÇA, AINDA QUE CHORANDO

----- Original Message ----- From: Ricardo Axer To: cafecomgraca@caiofabio.com Sent: Friday, April 30, 2004 7:09 PM Subject: Contato do Site Mensagem: Prezado Reverendo Caio. Estive no Café duas vezes, para conhecer e desfrutar de suas mensagens - me foi indicado por alguém especial. Conheci seu site primeiro, e me lembrei de tê-lo visto algumas vezes na TV. Estive no Café na quarta-feira...um dia depois da sua mensagem de um mês de saudade. Estou impressionado com sua fé e amor pela vida. Não resisti lhe escrever estas parcas linhas; também tenho chorado nesta viagem em que mal comprei o meu bilhete. Me emociono com seu momento de dor, e sinto esta dor no meu momento de busca, de consolidação da minha fé. Caro reverendo, você é forte e demonstra isso - forte na fé, na certeza, no amor em Cristo e no amor de Deus. Quero deixar neste final de linhas, linhas de quem está chegando ao seu pastorado, para dizer ao amado: Estamos aqui; você não está só nesta viagem; vamos chegando para seguirmos todos juntos - mesmo chorando. Deus esteja conosco. _____________________________________________________________________________ Resposta: Meu amado Ricardo: Alegria e Consolação do Espírito sejam sobre todos nós! Se o meu Deus só tivesse carros novos para me dar, dinheiro para comprar mansões, e poder para governar os homens a me oferecer, como estaria eu agora, quando um de meus mais preciosos tesouros foi levado, num instante, numa madrugada? Paulo deixou claro que se o Evangelho fosse apenas uma filosofia para esta vida, nós seríamos os mais infelizes de todos os homens. Daí me dar tanta pena de ver as pessoas crendo numa crença que apenas promete carros, casas, emprego e prosperidade na terra. É casa construída sobre a areia. No dia do vendaval não fica nada, e tal crença não sabe como lidar com a perda, a dor e saudade. E muitos menos com o absurdo. Vi há duas décadas atrás que o Evangelho, conforme as novas teologias e pacotes, havia perdido a transcendência. E, sinceramente, para mim, de nada adiantaria uma crença que me levasse apenas a contar com bênçãos contáveis. Quando cri em Jesus não o fiz para ter poder na terra, mas para ter vida, mesmo na tempestade. O homem que perde tudo quando o vento açoita a casa, é aquele para quem as coisas que valem são as que se contam, e se fazem número, ou qualquer outra coisa que traça rói e o ladrão escava e rouba. Eu sei que muitos me vêem como o cara que perdeu. Perdeu a reputação, a honra, a glória, o poder, a riqueza, e a capacidade de falar a reis e príncipes. Tudo bobagem. De fato, não há reputação, a honra, a glória, o poder, a riqueza, e a capacidade de falar a reis e príncipes que eu não tenha já conhecido; e nenhuma dessas coisas é para comparar com meu tesouro. Agora, ganhei definitivamente um filho. Filhos que são recolhidos pelo Senhor são galardões preservados para sempre. Lukas é parte de minha herança em Cristo; e ele agora está na Casa de Nosso Pai. E quem poderá tirá-lo de lá? Eu dou graças a Deus por tudo que tenho passado, pelo privilégio de andar dês-iludido, consciente do que vale; sobretudo, cônscio de que aquilo que é elevado entre os homens é abominação diante de Deus. Hoje meu amor à Vida não é apenas amor pela presente existência. Amo a vida que é! Será um grande prazer ter você na nossa singela comunhão lá no Café. Receba todo o meu carinho, e minha alegria pelo seu coração amigo e solidário. Nele, em quem até o absurdo faz sentido, Caio