Português | English

Cartas

QUEM SÃO OS ANJOS E OS DEMÔNIOS?

QUEM SÃO OS ANJOS E OS DEMÔNIOS?

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: QUEM SÃO OS ANJOS E OS DEMÔNIOS?

To: <contato@caiofabio.com>

Sent: Thursday, August 02, 2007 12:50 PM

Subject: Quem é quem nessa história?

 

 

Meu amigo Caio: Graça e Revelação!


Acerca de dois meses venho estudando um assunto que tem me grilado muito: é sobre anjos e demônios.

 

Durante algum tempo eu tinha aprendido na igreja que ambos eram a mesma coisa, ou seja: que os demônios eram anjos caídos e que os anjos aprisionados eram anjos que haviam caídos com Lúcifer no principio. Só que isso, eliminava a queda de Gn 6, que geralmente é aplicado aos filhos de Sete.

A interpretação tradicional diz que quando Satanás caiu levou consigo a terça parte dos anjos, e que alguns desses anjos Deus os prendeu em cadeias para serem julgados. Mas conta se que outros anjos, dos mesmos que caíram, estão soltos juntos com Lúcifer.

 

Eu ainda não encontrei nas passagens que tratam da queda de Satanás nenhuma alusão a outros que com ele caíram, exceto no Apocalipse. Só que lá me parece ser um evento ainda futuro, principalmente se houver ligação entre Dn 2.41- 45 com Ap 17.12,13. Se houver, então haverá mais uma queda no futuro de Daniel e de João.

 

Daniel fala de uma união de ferro com o barro, e ambos se misturarão por meio de casamento, ele não está se referindo à queda do Apocalipse? E um evento repetitivo da queda de Gn 6, com uma diferença de que lá no Apocalipse haverá a participação de Lúcifer no evento? 

 

Estou tentando compreender esse assunto e preciso de uma luz sua; quer seja me ajudando de uma forma direta ou recomendando a compra de algum livro que seja confiável sobre o assunto.

 

Vou lhe dizer qual é o meu entendimento em construção sobre isso: Lúcifer quando caiu, caiu sozinho (Is 14.12 ss. Ez 28, Lc 10.18). Depois veio a queda de Gn 6, e conseqüentemente o dilúvio. Esses anjos de Gn 6 estão presos e só sairão para serem julgados (Jd v 6. II Pd 2.4). Creio que sejam os mesmos citados por Paulo em I Co 6.3 embora eu não saiba por que serão julgados pelos homens. Talvez pelo fato de terem interferido no curso natural da humanidade inserindo um novo gene não humano nessa união.

 

Depois disso, vem algo que me intriga muito Caio, é a galera que habitava em toda a região que Deus deu a Israel. Os caras eram enormes, Deus faz uma série de recomendações a Israel; inclusive,de não se misturarem com eles (Ex 34.11,16.). Eu me pergunto: Por quê? Será que não houve ai mais uma dos anjos? Pelo menos fica a idéia de que Deus estava preservando algo; esse algo talvez fosse à humanidade de Jesus.


Meu amigo, eu estou tentando entender esse negócio, me ajude...


Com relação aos demônios, não sei de onde vieram. Mas fico matutando umas coisas: Desconfio dos meninos que nasceram desses relacionamentos alienígenas, e que depois pereceram no dilúvio. Não seriam os demônios, espíritos desencarnados desses filhos dos anjos que pereceram no dilúvio? Pois ainda não fui convencido de que anjos incorporam em pessoas, (não sei; esse negócio de possessão demoníaca é muito complexo) e sim demônios. Parece que andam a procura de corpos para habitarem.

 

Eu quero ser convencido pela verdade. Só que todas essas minhas previas concepções se tornam em nada quando olho o texto de Paulo aos Efésios 6.12. Se esses principados e potestades citados por ele forem anjos maus, estão vou ter que começar tudo de novo, ou então abandonar por completo esse negócio de tentar entender isso. Se não, então só posso crer que sejam demônios sendo regidos por Satanás, e ai fica tudo como está, e eu continuo estudando esse negócio e outras coisas.
 

Bom, penso já deu para o senhor entender quais são os meus grilos em relação a esse assunto, pois o assunto aqui já vai por demais se prolongando.

 

Então meu amado, eu quero saber se lhe for possível me responder: qual é o seu entendimento sobre esse assunto? No que eu estou certo ou errado? Que luz o Irmão pode me dar sobre o assunto aqui tratado?

Meu amigo: eu lhe sou eternamente grato por sua atenção. Pergunto-lhe isso porque já perguntei para outras pessoas, inclusive pastores; mas as respostas são as mesmas que eu já vi, não acrescentam nada do que eu já sei.


Os livros que já li são por demais tendenciosos seguem tão somente a mesma linha de interpretação, de forma que falam a mesma coisa.

 

Sei que o senhor é uma pessoa que não se omite em falar qualquer tipo de assunto, e por isso entre tantas outras coisas que venho perguntar-lhe isso.

Caio, muito obrigado meu amigo. Aguardo com expectativa a sua resposta a esse humilde e pequeno jovem servo de Deus.

UM FORTE ABRAÇO

Nele, que há de nos revelar todos os tesouros do conhecimento,

Eilson

___________________________________

 

Resposta:

 

 

 

Meu irmão Eilson: Graça e Paz!

 

 

 

A leitura de meu livro “Nephilim” (e que agora sairá com notas de roda-pé sobre o seu tema) poderá esclarecer você em muita coisa.

 

Assim, recomendo a leitura do “Nephilim”.

 

Em resumo:

 

1.                  A Bíblia não conta tal “pré-história”. Portanto, tudo o que se diz é pura conjectura. De fato, na Escritura ou mesmo no que Jesus disse (incluindo os apóstolos), não há a menor referencia ao “evento-queda de Satanás”. Jesus simplesmente afirma a existência de Satanás, tanto quanto afirma a existência de anjos e demônios. E pronto. Não fala de nada que não seja a constatação óbvia acerca da presença do mau no mundo. O resto é especulação.

 

2.                  Essa “ordem de coisas” sobre a qual você aventou não passa de uma construção humana. Foram os teólogos dos primeiros séculos que tentaram dar seqüência ao que não foi ensinado com nenhuma cronologia. Entretanto, a maior “invenção” veio dos pentecostais dispensacionalistas dos últimos dois séculos.

 

 

3.                  As possíveis relações entre o livro de Daniel e o Apocalipse (ou mesmo com respeito ao “sermão escatológico de Jesus) — podem existir em alguns aspectos, mas não de modo equivalente e simetricamente complementar. Apenas a titulo de exemplo, a tal união entre ferro e barro no livro de Daniel (Cap. 8-10), faze alusão ao império de Alexandre, o Grande; e, depois dele, a repartição de poderes entre quatro generais: Lisamaco, Cassandro, Ptolomeu e Seleuco; e o casamento entre o ferro e o barro refere-se à Cleópatra. Portanto, fala-se de algo que já aconteceu historicamente. Entretanto, Jesus mandou que se ficasse atento à reincidência história do Abominável da Desolação, o qual, historicamente, já havia se manifestado em Antíoco Epifânio, original da ala de Seleuco, mas que teria ainda seu superlativo escatológico por vir.

 

4.                  Desejar criar uma conexão exata entre Daniel e o Apocalipse é tolice. Há e pode haver pontos de contato e de complementaridade, ou mesmo alguns aspectos de Daniel que podem iluminar o entendimento do Apocalipse, mas longe de se poder fazer as “contas e as comparações” que os teólogos dispensacionalistas fizeram; assim condicionando as pessoas a tais “entendimentos” como se fossem provenientes da Escritura — não sendo nada além do exercício de sistematização e construção que fizeram.    

 

 

Com relação a anjos e demônios, tanto a Escritura como também Jesus, nada disseram acerca de suas origens; exceto que anjos são ministros de Deus agindo em favor dos que hão de herdar a salvação.

 

Demônios apenas são constatados por Jesus e expulsos. Sobre a fixação deles quanto a possuírem corpos, Jesus mesmo disse que é assim.

 

Assim, eis o que se pode dizer sem especular:

 

 

1.                  Que houve uma queda de Satanás em algum lugar-dimensional antes de haver humanidade. A Serpente estava no Jardim. O que se diz no Gênesis acerca de que antes desta criação a Terra estava “catastrófica e vazia” (hebraico), pode insinuar que algo um dia organizado se catastrofizou antes da criação da presente ordem natural de coisas.

 

2.                  Que em Gênesis 6 se faz alusão não à descendência de Sete (outra forçação de barra dos teólogos), mas sim a algo de natureza alienígena — com os “filhos de Deus” (no Antigo Testamento por cinco vezes os anjos são chamados de “filhos de Deus”; a saber: Gênesis 6:2, 4; Jo 1:6; 2:1; 38:70) tomando as “as filhas dos homens” para si; e com elas procriando (conceito estranho, porém é isso que está dito em Gênesis), gerando os “gigantes” ou “Nephilim” (os lançados fora...). Ora, tanto no livro de Enoque (citado por Judas apóstolo, tanto quanto usado por Paulo e Pedro em muitos dos conceitos que o livro apresenta), como também em toda a tradição judaica antiga (vide a alusão que Flávio Josefus faz ao tema), bem como na tradição cristã até Agostinho, o texto de Gênesis 6 era vista como dizendo apenas o que diz. Depois é que o conceito ficou estranho demais para os sentidos posteriores dos teólogos.

 

 

3.                  Que é impossível não associar as cartas de Pedro e Judas ao que o livro de Enoque diz sobre os anjos caídos e presos em cadeias.

 

4.                  Que em Enoque (fonte primordial do entendimento apostólico sobre o tema) os demônios são os espíritos dos filhos da união ilícita entre os “filhos de Deus” (anjos) e as “filhas dos homens” (mulheres belas). A leitura de Pedro e Judas não deixa margem para que se pense qualquer outra coisa. É ler com honestidade o livro de Enoque e compará-lo aos dois apóstolos citados, e se verá que o que digo é o que eles dizem.

 

 

5.                  Quanto aos mais, embora muito se possa ser dito, a maior parte tem que ser dita como especulação, posto que as Escrituras não são claras acerca do tema. Assim, qualquer certeza (conforme você busca) será sempre fruto da especulação, e não de uma revelação textual.

 

6.                  Que a afirmação de Jesus quanto ao fato que os anjos não se casam, apenas alude aos anjos em estado de obediência, mas não restringe a capacidade dos anjos de comerem, beberem, e de provocarem eventualmente até mesmo desejo sexual nos humanos, como aconteceu em Sodoma e Gomorra.

 

7.                  Que os Gigantes que aparecem depois do Dilúvio e que só desaparecem depois que os homens de Davi matam os últimos, são ditos como sendo descendentes do mesmo grupo de seres alienígenas descritos em Gênesis 6. Ora, é depois que os quatro últimos são eliminados que se diz que “Satanás se levantou contra Israel” (veja em Samuel).

 

 

Ora, aqui vai este resumo, porém, aconselho você a ler o “Nephilim”, bem como meu livro “Batalha Espiritual”, em cujos textos suas questões serão respondidas em escala ampla e muito mais detalhada — obviamente.

 

Concluindo digo que sua preocupação com este tema é superlativa, e não deveria ter a importância que você atribui a ele. Sim! Pois o que é essencial para a vida e a fé Jesus não deixou de fora do Evangelho.

 

Na realidade Paulo manifestou preocupação (escrevendo aos Colossenses) com aqueles que se ocupam de anjos e até do culto aos anjos.

 

O que importante está dito:

 

1.                  Satanás existe;

2.                  Os anjos existem;

3.                  Os demônios existem;

4.                  Homens julgarão anjos;

5.                  Anjos estão presentes em todos os eventos escatológicos;

6.                  Satanás terá poderes ampliados no final da História;

7.                  Jesus vence todos esses poderes hostis à vida humana.

8.                  Tais poderes já estão despojados na vida de todo aquele que crê — em razão da vitória da Cruz.     

 

O que passar disto é “sexo dos anjos”. Ou seja: é algo que não trás qualquer contribuição à prática do Evangelho hoje.

 

 

Espero ter sido útil a você!

 

 

 

Nele, a Quem anjos e demônios se curvam, pois Ele é o Senhor de todos os seres visíveis e invisíveis,

 

 

Caio

 

03/08/07

Lago Norte

Brasília