Português | English

Cartas

QUE “HOMENS DE DEUS” SÃO ESSES?

QUE “HOMENS DE DEUS” SÃO ESSES?

 

 

 

 

 

 

---- Original Message -----

From: QUE “HOMENS DE DEUS” SÃO ESSES?

To: contato@caiofabio.com

Sent: Friday, March 09, 2007 11:59 AM

Subject: Me empresta sua atenção, por favor

 


Amado Caio,

 

Mais uma vez, venho me comunicar contigo, por quem tenho grande admiração. Sei que são muitos os pedidos de SOS que você recebe diariamente, mas meu coração parece não suportar mais tanta coisa que venho sentindo; e, então, mesmo que eu apenas mande este e-mail simples a você, me sinto aos poucos mais leve, por conseguir expor o que sinto.

 

Pertenço a uma denominação (que não quero dizer qual) há alguns anos. Passei por muitas experiências por aqui... E, enfim, tudo mudou depois que tive um contato maior com os DIRIGENTES.

 

Então, hoje, me vejo mais enfraquecida; pois, consigo prestar atenção ao que os meus caros irmãos pregam em seus vangloriosos cultos. É estranho. As palavras entram por um ouvido e saem por outro... E, nisto, meu coração parece transformar-se em uma máquina de crises - sim - pois travo uma luta comigo mesma...

 

Fico no "deixa disso"... "ele é falho como você"; e, quando percebo... lá eu perdi mais um culto, uma oportunidade.

 

Eu fico me sentindo pior, pois, tenho amigos que trabalham com eles. Vejo a maneira coercitiva com que eles agem... Então, se os ouço pregarem, e vejo que por eles mesmos eu não tenho um referencial... É duro! E, no mais, penso que são eles quem dizem me ensinar; e que são eles que pagam o salário dos meus amigos...

 

Minha amiga, antes de ir trabalhar pra eles, estava desempregada, passando por necessidades. E esta foi a porta a qual Deus abriu para ela.

 

O que está me matando é a sensação de não poder confiar, contar, conversar, desabafar... admirar a todos “eles”... E, isto está me paralisando; pois, na verdade fico me sentindo um lixo... Acho que é como eles querem que eu pense...

 

Uma vez um deles me disse até para que eu não pensasse muito, não fosse reflexiva... Pois faz mal à fé.  Que ridículo!!!

 

Sei que tudo acontece com a aprovação de Deus; e é por Seu intermédio que cada pessoa é o que é e está aonde está. E penso que Deus levanta homens para que Seu reino se estenda. É de nós que deve partir os exemplos de dignidade, respeito... etc; pois, temos em nós o Espírito de Deus; e importa que tenhamos também o caráter de Cristo.

 

E é tão difícil lutar contra o que está DE FORA, imagine os de DENTRO.

 

É angustiante, ver pessoas adoecendo, com dores, mágoas, tristezas. Muitos são os que sofrem. Conheço sua história e o admiro a cada dia. Sei que também você tem seus defeitos, mas certamente você não os deixa dominar. Do contrário, não haveria mais o site, os livros, nada.

 

Amigo, me ajude. Me diga como devo pensar, me portar, agir. Não sei mais. Quero ouvir de alguém como você. Um ser para outro ser. Me ajude?

____________________________________

 

Resposta:

 

 

Minha querida amiga: Graça e Paz!

 

 

Estar perto desse pessoal, e julgar que receberá inspiração; é pura tolice sua.

 

Junto a eles você só terá o que tem; e, seus amigos que com eles trabalham, se o fizerem com a expectativa de que serão abençoados pelo convívio com eles, apenas se frustrarão cada vez mais.

 

Conheço a todos eles. E sei que são eloqüentes as suas palavras, assim como são eloqüentes os palavrões que suas existências pronunciam para quem ao lado dele está.

 

Tenho pena de seus amigos que trabalham para esses homens. O que de melhor que podem fazer é pensar apenas no aspecto profissional; pois, se tiverem qualquer outra expectativa morrerão de tristeza e decepção.

 

Paulo diz que é melhor servir profissionalmente aos “incrédulos” do que fazer negócios que esses falsos irmãos.

 

Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo, ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras; pois, neste caso, teríeis de sair do mundo. Mas, agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais. Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? (I Co 5: 9-12)

 

E mais:

 

Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos. (Rm 16: 17-18)

 

E ainda:

 

Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. (FP 3: 19)

 

 

 

E prossegue:

 

Porque existem muitos insubordinados, palradores frívolos e enganadores... É preciso fazê-los calar, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, por torpe ganância. (Tito 1: 10-12)

 

Veja que para Paulo não bastava dizer “Jesus”, mas tinha-se que anunciar o Evangelho verdadeiro e viver conforme a Palavra.

 

 

Sei que o mercado está difícil, mas, diga aos seus companheiros que seria bom eles espalharem seus currículos por aí.

 

Isso aí não é obra de Deus!

 

Você disse que sabe que Deus é quem põe tais pessoas em posições elevadas. Mas saiba: eles mesmos é que se puseram aí; e pelos meios mais escusos possíveis. Eu sei o que digo.

 

De fato, Deus nada tem a ver com isto!

 

Um dia, caso não se arrependam, eles todos ouvirão Jesus dizer “Eu nunca vos conheci”.

 

A obra de Deus é fazer a vontade Dele; e isto, creia, começa na vida de quem prega. Paulo disse que o Evangelho tinha que ser algo primeiramente real em sua própria vida, para que, depois de haver pregado a outros, ele mesmo não viesse a ser “desqualificado.

 

Ora, essa desqualificação não é necessariamente pública, mas, sobretudo, o será espiritual — quando vier o famoso “nunca vos conheci”.

 

Se mídia e meios de aparição pública fossem sinais da benção de Deus, teríamos que dizer: “Deus abençoe o Big Brother Brasil”. E mais: “Salve Bial”.

 

A mídia, de fato, é uma potestade espiritual; e que se não for usada com temor e tremor, corrompe o coração com a força do poder de sedução do diabo.

 

E tem muita gente que faz qualquer negócio para aparecer. Sim! Pulam até do Pináculo do Templo; e não hesitam em curvarem-se ante os “poderes deste mundo” a fim de obterem o que desejam.

 

Você não tem que ficar ouvindo o que lhe faz mal. Você é livre. Busque um lugar melhor.

 

Além disso, saiba: até mesmo o que eles pregam, nada tem a ver com o Evangelho, embora tudo seja regado a “aleluias” e muitos “glórias a Deus”. Entretanto, você sabe que eles procuram sua própria gloria, e não a de Deus.

 

O que desejo lhe dizer, no entanto, é que se você misturar quem eles são com o Evangelho, grande será o seu tombo. Não confunda as coisas. O que eles têm é um negócio religioso que vive da propaganda que fazem deles mesmos e dos produtos ponderáveis e imponderáveis que dizem representar.

 

São os típicos “mercadores da palavra”, conforme Paulo disse. Só que com um agravante: eles nem mesmo têm a Palavra para vender. O que eles vendem é a perversão do Evangelho; daí fazerem-se a cada dia mais culpados.

 

Por isto, digo a você o seguinte:

 

1.                  Leia os evangelhos e todo o Novo Testamento por você mesma. Não dependa em nada do que eles dizem ou ensinam, pois, eles não ensinam o Evangelho, mas apenas a ufania diabólica de seus próprios narcisismos.

 

2.                  Esqueça-os como “homens de Deus”, pois, caso você nutra tal expectativa, grande será a sua decepção, posto que eles são aquilo que Jesus chamou de “escândalos”. Escândalo não é o que se faz episodicamente, mas o que se é todos os dias.

 

 

3.                  Além disso, sugiro a você que se alimente também aqui no site. Sei o que digo, posto que o que afirmo a você é que não prego a mim mesmo, mas a Palavra do Evangelho, na simplicidade da qual ela é constituída.

 

Perfeito? Quem eu? Não, não sou; e Deus me livre de que alguém carregue esse engano a meu respeito.

 

Entretanto, o Evangelho que prego é a Verdade; e o prego com sinceridade; e não uso dele para nada que não seja a finalidade de fazê-lo mais e mais conhecido.

 

Meus pecados têm a ver com a minha certeza de não amar na extensão que deveria, de não ser paciente como gostaria, de afligir-me com coisas que não deveriam ocupar minhas preocupações, e, algumas vezes, por ficar tão irritado com “esses homens” que me dá vontade de fazer uma visita de homem pra homem a eles.

 

Então, o Espírito Santo me manda ler os Salmos 37 e 73, e neles tenho a minha consolação e paz. Pois, saiba: é duro assistir ao estelionato que praticam e ficar apenas observando. Entretanto, esta tem sido, cada vez mais, a ordem de Deus que tenho recebido.

 

Diga-me onde mora, e, quem sabe, poderei encaminhar você para um lugar de gente boa de Deus. Sim! De gente que serve o Evangelho, ao invés de servirem-se dele.

 

Olhe para Jesus todos os dias de sua vida e você jamais terá no homem razão de tropeço ou escândalo!

 

Receba meu carinho e minhas orações!

 

 

Nele, em Quem aquilo que é dito no interior do quarto, do escritório, ou no lugar mais escondido do coração será um dia gritado da Varanda da Verdade,

 

 

Caio

 

9/03/07

Lago Norte

Brasília