Português | English

Cartas

Quase pastor, totalmente frustrado!

Quase pastor, totalmente frustrado!

-----Original Message----- From: Quase pastor, totalmente frustrado! Sent: terça-feira, 2 de setembro de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Estão me deixando pra trás... Mensagem: Querido Pastor, Conheci a Jesus em agosto de 1985. Já estava cansado dos finais de semana, das drogas, sexo; enfim, nada preenchia o vazio. Então, fui a uma das reuniões de jovens da minha atual igreja e tive a maior experiência de minha vida. De lá pra cá sirvo a Deus e a minha igreja, e sempre nutri o desejo de ser “ordenado” pastor. Deus me deu a minha profissão boa e rentável e vivo com dignidade. O pastor da igreja é meu grande amigo, temos uma relação muito forte. Porém, durante estes anos aconteceram situações que trouxeram-me profunda frustação. Sempre estive ao seu lado, administrava a igreja e os problemas e era bastante ativo. Mas, na primeira ordenação, não estava na lista, pelo contrário, outros que estavam chegando a pouco na igreja foram ordenados e eu não. Tudo bem! Pensei, ainda não é o meu tempo. O Pastor disse que eu precisava dar frutos espirituais, pois, administrar a igreja não era o suficiente. Foi então que passei a administração para outro e passei a dirigir um culto durante a semana. Ficava envolvido com as atividades da igreja, até que entramos na visão das células. Constituí minha célula e após 2 anos de intenso trabalho eu e minha esposa chegamos a estar tomando conta de 20 células cobrindo um grupo de 200 pessoas. Até aí estava feliz, pois, não era ordenado pastor, mas desenvolvia o ministério para Deus. Começaram então as frustrações. Houve mais uma vez uma lista de ordenação, gente recém chegada no ministério da igreja foi ordenada, e mais uma vez fiquei de fora. Posteriormente, o pastor desiludiu-se com a “visão das células”, visto que é muito trabalhosa; e alguns líderes não estavam funcionando a contento; então ele deu freada brusca na mesma. Entreguei todas as minhas células e fiquei completamente desiludido. A partir de então, entrei em um processo de mágoas e passei a achar que Deus não tem chamado pastoral para a minha vida. Na realidade, eu me equivoquei, Ele me chamou para ser apenas um bom crente... Hoje ajudo na administração da igreja e resolvo os problemas naturais. O meu maior problema é que hoje eu me tornei extremamente crítico e estou completamente frustrado. Peço ao pastor que me aconselhe! ****************************** Resposta: Meu querido irmão: muita paz pra você! Tenho apenas uma coisa simples a lhe dizer. Pastor é um ser com coração misericordioso, cheio de graça, que trata as pessoas com bondade, mansidão e amor; e que se importa com elas, não julgando jamais que qualquer “coisa” valha mais que uma única vida humana. Pastor é um ser que busca, que vai atrás, que cuida, que sara e que corre riscos pela ovelha; mesmo que seja para tirá-la da boca do lobo. Pastor é um ser que quer dar, não tirar; que enxerga os demais como gente para ser ajudada, não explorada; e que está sempre aberto para ver e buscar o melhor nos outros. Isso é ser um pastor! Ordenação humana nenhuma dá nada a ninguém senão um “título”. Há milhares de “pastores” que jamais foram e jamais serão pastores—eles não tem alma de pastor; foram apenas “ordenados” pelos homens, mas não carregam o dom de Deus no coração. Se você é pastor, seja pastor! Me ordenaram pastor quando eu tinha 22 anos, mas eu já era pastor desde dos 18 anos. Aos 43 anos de idade, em 1998, eu pedi para deixar o vínculo institucional que me “emprestava” aquele título. E por que? Porque eu nunca cri que aquilo fizesse nenhuma diferença. Não tinha feito antes; e não faz agora. To be or not to be!? Esta será sempre a questão! Sinceramente, nunca consegue ver a importância dessa “ordenação”. Aliás, o termo me soa presunçoso e descabido: ordenação. Alguns dão a alguém a ordem para ser alguém para Deus e Seu povo? Leia a Bíblia e me diga quem foi ordenado para ser alguma coisa. Saul foi “ungido”, e foi uma catástrofe ungida! Davi só foi ungido por Samuel porque já havia sido ungido por Deus mesmo antes de ser “ungido”; e mesmo sem saber! Os sacerdotes de Israel já nasciam sacerdotes—eram da tribo de Levi. Quem “ordenou” os profetas? Eliseu foi indicado a Elias pelo próprio Deus! A classe sacerdotal nunca participou numa única “ordenação” de profeta. Se você quer ser um “sacerdote” da linhagem dos homens, então vá para um seminário, forme-se e candidate-se à ordenação numa denominação que queira “ordená-lo”. Se você quer servir a Deus, e somente a Deus, sirva-o com os dons que Ele deu a você. Sabe por que você está sofrendo? É somente porque acredita que esse “título” tem valor. Meu irmão, ouça o que estou dizendo: ele não tem nenhum valor em si mesmo! Veja o que está acontecendo na “igreja”. A coisa virou um mercado de “títulos” que na maioria das vezes não correspondem a nada, senão à vaidade dos titulados. Deus sabe as infinidades de títulos que me ofereceram a vida toda. Daria para encher paredes e paredes! Tudo bobagem! Se você estivesse falando de uma “profissão” e das competições no mercado secular, eu diria: fique cheio de canudos! Mas se seu negócio é servir a Deus e ao próximo, eu digo a você: continue trabalhando, ganhando seu dinheirinho, sendo independente; e, com o coração sincero, servindo a Deus! O ministério pastoral virou uma profissão sacerdotal que serve aos antigos propósitos do velho sacerdotalismo dos judeus do V. Testamento. Quem “ordenou” a Paulo? Ele mesmo disse que nunca consultou carne e sangue—ou seja: os homens—a cerca disso! Sabe por que estamos falando desse assunto? Apenas porque a noção de Corpo de Cristo acabou no meio do povo cristão. Essa inflação de pastores, bispos, apóstolos e primazes denuncia isto. Com toda honestidade digo-lhe o seguinte: Onde quer que um genuíno dom de Deus se manifeste, homem nenhum poderá contê-lo! Por isso, eu penso que a “igreja’ deveria parar de chamar isso de “ordenação”, e, no máximo, passar a chamar “isso” de “confirmação”. E tem mais: isto pra quem quer e gosta. Quem está escrevendo isto a você é um homem que nunca creu na importância disso, por simplesmente crer demais na Graça de Deus, que ordena a quem já ungiu; e quando o faz, homem nenhum pode segurar tal realidade, muito menos impedi-la. Sei que o que estou dizendo soa mal para a “categoria”. Mas é que creio muito mais na Palavra que nos interesses da “categoria”. Eles querem um “sindicato”, eu quero o Corpo Vivo de Cristo, onde cada parte coopera para o crescimento do Corpo, conforme os dons que cada um recebeu segundo a Graça. Quem não gostar, brigue com Paulo, não comigo. Mas se quiser brigar comigo, declare antes que não concorda com Paulo—e com o espírito do N.Testamento. Quem sabe, sabe que é assim; o que não têm é coragem de dizer que assim, de fato, é! Deixe essa amargura de lado, e serva a Deus por Deus; não para ter reconhecimento dos homens! Um beijão, Caio