Português | English

Cartas

QUANDO PARAR DE TENTAR TER FILHO

QUANDO PARAR DE TENTAR TER FILHO

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: QUANDO PARAR DE TENTAR TER FILHO?

To: contato@caiofabio.com

Sent: Saturday, August 25, 2007 16:12

Subject: quando parar…?

 

Oi Caio,

 

Estou tentando engravidar a dois anos, já estou no quinto médico, eu e meu marido estamos em tratamento, mas às vezes me pergunto quando parar com o tratamento, quando parar de pedir a Deus um filho?

 

Espero que você possa me ajudar, sinceramente ando desanimada e desesperançosa.

 

 

Abraços,

 

 

Grasiela 

 

____________________________________

 

 

Grasiela minha filha: Graça e Paz!

 

 

 

A desesperança, neste caso, é a esterilidade na alma e suas conseqüentes somatizações. Mas a ansiedade, por seu turno, é o pior e mais forte contraceptivo que existe. A esperança sim é o útero da possibilidade de qualquer gestação. O difícil, porém, é aprender a ter esperança sem ansiedade.

 

Veja que quase toda gravidez indesejada é fruto do tesão sem ansiedade e sem esperança de filho, mas apenas do desejo de possuir o outro e a ele se dar.

 

Então, um filho...

 

Uma vez conversando com o Joãozinho Trinta o ouvi dizer que pobre tinha muito filho porque só transava com tesão. E perguntou: “Você já viu um cara com a barriga vazia transar por obrigação conjugal? A fome é tanta que ela vai e come a mulher com fome mesmo... Então têm muitos filhos.”

 

Todavia, se o casal se encontrar apenas para ter um filho, obviamente que um filho poderá vir pela via da mecânica genética mais natural. Porém, começam a surgir as dificuldades. E em geral essas são dificuldades que crescem com a intelectualidade e com o nível social. E por quê? Ora, é que a vida já não é puro tesão, mas muita matemática, estatística, planejamento e avaliação de oportunidade. Já é o casal business, com um bem montado plano de ação pros próximos anos. Então, surge a transa pragmática, que é brochante e, por isso, também é altamente esterilizante — repito: no caso de não haverem problemas orgânicos e genéticos.  

 

Casais que não tendo nenhum distúrbio nas funções de reprodução desejam muito ter um filho, e não o têm logo, em geral trocam o tesão pela obsessão de ter o filho, o que gera uma fixação tão grande no sexo com o objetivo da reprodução, que acaba por trabalhar contra o objetivo, que, no seu caso, é ter um filho.

 

Nada é psicologicamente melhor para a fertilidade de quem não tem nenhuma disfunção ou anomalia orgânica ou genética, do sexo apaixonado, por puro desejo e tesão, e que nem pensa em ter filhos, mas apenas em sorver o outro com amor e fome.

 

Sim! Nada ajuda mais a engravidar do que apenas desejar comer o outro com amor e desejo.

 

É no amor desejoso que se percebe a alteração hormonal nas taxas de fertilidade.

 

Felicidade é fértil sempre.

 

Por isso foi que sugeri que se vocês dois estivessem apenas se encontrando por amor apaixonado, proibido e tesudo, provavelmente já tivessem engravidado, especialmente se jamais tivessem sequer pensado no assunto.

 

Assim, se não há causas físicas [em havendo pode existir tratamento; em não havendo tratamento, então só milagre] e mesmo assim o casal não “engravida”, geralmente é porque a obsessão de ter o filho acabou com a alegria e a espontaneidade do sexo apaixonado, molhado, melado, animal, visceral, intenso, descuidado, aventureiro, livre, praticado apenas por amor desejoso e cheio de vontade de possuir o outro; e ponto — o que é o mais poderoso agente de psicologia sistêmica quanto a criar o útero psicológico da gravidez.

 

Se vocês dois não detectarem nenhuma disfunção e, mesmo assim, não conseguirem engravidar, então é porque seu marido está transando com a cabeça de cima e você com a genitália do intelecto.

 

Ou seja: falta lembrarem de vocês dois e esquecerem de filhos.

 

Você já viu que muitos casais que não conseguem ter filhos, e desistem; e logo então adotam; e, logo a seguir a mulher fica grávida?

 

Ora, é que a desobrigação social e psicológica de gerar um filho foi aplacada pela adoção, removendo assim a ansiedade, e deixando o casal outra vez livre apenas para fazer amor sem objetivo, que é o maior fertilizante que existe.

 

Esqueçam o neném e tratem-se como nenéns outra vez; e não façam isto como truque psicológico; pois, se for como truque não dará certo. Portanto, esqueçam mesmo o neném e brinquem de dar muito, muito, muito prazer um a outro; desejando conhecerem todo o potencial de prazer um do outro; sem pena de desperdiçar sêmen e nem apenas em dias de boa ovulação.

 

Não! Pelo contrário; transem por transar; transem porque vocês se acham gostosos e deliciosos; transem como se vocês não fossem casados; transem como namorados que não deveriam ter filhos; transem como homem e mulher, e não como papai e mamãe — e, provavelmente, quando vocês esquecerem da função reprodutiva e apenas exercitarem o prazer sexual, subitamente você fique grávida; é claro, se não houver impedimentos físicos.

 

Assim, entregue a Deus este filho obstáculo aos filhos possíveis; e relaxe de todo; só não relaxe no sexo pelo sexo; pois, quando dois se amam, então é que o sexo pelo sexo fica a coisa mais sadia e fértil do mundo.

 

Portanto, quando é hora de parar?

 

Desde o primeiro dia!

 

E pra sempre!

 

A Alegria de Adão não foi na reprodutora, mas na mulher, na carne dela, nela toda, a tal ponto que ele exclamou [conforme o texto hebraico] um “eureca” quando viu o mulherão que era a dele.

 

O objetivo de deixar pai e mãe e se unir a uma mulher [e vice versa] é formarem uma só carne, diz a Escritura; e não o terem muitos e muitos filhos.

 

Ora, quando a obrigação do ter filhos é o mais importante objetivo do casamento, isso não só acaba com o bom sexo, como também destrói a psicologia da fertilidade, que é a da felicidade descuidada; sem falar que pode fazer acabar o próprio casamento, especialmente quando o filho vira uma obsessão.

 

Ore mais uma vez. Entregue. E não pense mais no assunto. Mergulhe no descanso do cuidado de Deus por vocês. Não façam nem mesmo planos biológicos para Deus cumprir. Façam sim muito amor, muito sexo amorado, e muito amor cheio de volúpia um pelo outro. Bebam a água do poço de vocês com toda alegria. E usufruam-se plenamente na cama.

 

O mais vem se vier; mas é bom que se vier, venha porque vocês estavam se amando, e não apenas tendo um intercurso sexual procriativo.

 

É o que sinceramente penso que vocês deveriam fazer.

 

Que o Senhor dê a vocês a alegria de serem apenas vocês dois, um do outro, um para o outro, uma só carne. Os filhos são do Senhor. Portanto, usufruam-se e deixem que Deus cuide do resto.

 

 

 

Nele, que ensinou que todo coração cheio de amor está prenho de todas as possibilidades e fértil para ser mãe mesmo à volta da Cruz — “Mulher, eis o teu filho”,

 

 

 

Caio

 

26/08/07

Manaus

Am

 

Hoje, às 10 horas da manhã, meu paizinho estará sendo operado, e será um dia muito importante para mim e todos os meus. Assim, me ofereço com a alma prenha de fé e esperança tranqüila em Deus.