Português | English

Cartas

PROFETIZEI E ACERTEI--Henrique Ziller

PROFETIZEI E ACERTEI--Henrique Ziller



26/01/2005 19:46 Henrique Ziller Mensagem: Pr. Caio, Eu profetizei! E acertei! Sim, há algum tempo atrás, eu disse que o Caio que emergia dos escombros era melhor do que o anterior. Falei que ninguém mais te segurava. Comentei isso até com você mesmo, por e-mail. O Caio de hoje é melhor porque fez o grande rompimento. Se os leitores da Bíblia tivessem o mínimo de hombridade seriam capazes de entender que você, hoje, para nós, é como um profeta de Israel. É tão claro isso. No entanto, com seus medidores morais, não conseguem encaixar você. Acho que você dá bola demais para eles, e é só isso que ainda te prende um pouco. Acho, também, que você ainda pode e deve amá-los um pouco mais, e, nesse momento, isso significaria deixá-los de lado. Abraços do amigo, Henrique Ziller ______________________________________________________________________________ Resposta: Meu querido Henrique: Celebro a Graça que é melhor do que a vida! Nos últimos dias tenho orado pelo que você me escreveu, sobretudo, no que tange “a deixar de lado” quem viu, e preferiu se cegar; quem ouviu, e preferiu não entender; quem entendeu, e preferiu não aceitar; quem sabe, mas preferiu desconhecer; quem dizia amar, mas preferiu negar; quem era amamentado com amor, e preferiu renegar que um dia tenha mamado... Sim, é uma decisão minha, firme e tomada, que os amarei no Senhor, por escolha e até por afeto, por honra e por desonra, por injurias e com verdades; e, tomo a você, que comigo trabalhou tantos anos, como testemunha de duas coisas: a primeira, que nunca lhes fiz mal, mas apenas bem; sendo o meu coração pronto, ávido e disponível em amor para com eles (como você bem viu!); e, segundo, que deste dia em diante nenhum deles receberá de mim nem respostas, e nem provocações, sendo que as últimas foram quase todas indiretas; sendo que os ataques deles, quase sempre foram dissimulados e covardes... abertos apenas pelas minhas costas. Disso Deus sabe, e, tomo a você por testemunha, pois, você também viu. Aqui morre esse tema. Aqui, com o seu testemunho, e o de milhares de outros que lerão esta carta, comprometo-me a anunciar apenas e tão somente o Evangelho, e tudo o mais que gerar provocação, já não será minha própria, mas apenas e tão somente como resultado da Insuportável Verdade do Evangelho. Ore por mim. Sinto grande liberdade e esmagadora responsabilidade, e que cresce a cada dia, não como sentimento salvador de nada, mas apenas como um sentir inevitável, como se Deus derramasse sentimentos Dele nos meus nervos, os quais me consomem, me afornalham as vísceras, e me constrangem de dia e de noite. Sinto que neste início de ano Deus aprofundou a minha libertação, e me abriu o entendimento para outras coisas, destampando em mim canais até então bloqueados, fazendo-me mais dependente Dele, e mostrando-me que o Seu caminho para mim tem que ser simples e reto, não conforme a retidão dos homens, mas na retidão das misericórdias do coração divino, a mim revelado plenamente em Jesus. Receba todo meu amor e carinho. E também minha gratidão pelos anos de muitos trabalhos e fidelidades. Que o Senhor o abençoe em tudo! Um beijo na Renata e nas meninas! Nele, que sabe como nos conduz, Caio