Português | English

Cartas

PRIMO PODE CASAR COM PRIMO?

PRIMO PODE CASAR COM PRIMO?

-----Original Message----- From: PRIMO PODE CASAR COM PRIMO? Sent: domingo, 2 de maio de 2004 01:32 To: contato@caiofabio.com Subject: É so uma perguntinha... * Que o Senhor continue te abençoando, te enchendo de sabedoria e de amor para com os irmãos, em Cristo Jesus.* É um assunto de muita importância pra mim: Gostaria de saber se o casamento entre primos é pecado. E levíticos 18? No site não tem nada a esse respeito. Desde já agradeço, Um abração, ____________________________________________________________ Resposta: Minha querida amiga: Todos somos irmãos! Eva foi tirada de Adão. Os filhos de Adão casaram entre si. E as mulheres de todos os primeiros patriarcas, eram primas deles. Abrão era meio-irmão de Sara. A lei veio depois; e seu principal papel, creia, neste particular, não era “moral”, mas sim veio como uma “revelação-instinto” de que faria melhor à espécie. Além disso, o fim da Lei é Cristo, para a justiça de todo aquele que crê. Falando apenas de modo “técnico” se sabe que casamentos em “seqüências genéticas sucessivamente próximas” aumentam a possibilidade de enfraquecimento da prole e ou de mal formação. Ora, cuidados iguais se tem que ter também com a combinação de certos fatores sanguíneos, independentemente de parentesco. Em resumo, não há nada contra primos se casarem do ponto de vista espiritual, embora possa haver do ponto de vista psicológico, em alguns poucos casos. Para esses primos que acham que não devem se casar entre si, por alguma razão, especialmente o sentir “incestuoso”, cuidados precisam ser tomados; visto que, quando isso de dá, é sinal de que há algo “mal resolvido” na visão que eles têm acerca de “como” se desejam. Nesse caso, melhor seria que fizessem uma boa terapia para ver se poderiam “vencer” o tal sentir... culposo e desejosamente incestuoso. Digo que esta é a exceção porque um casamento onde os casados se sentem, psicologicamente, num vinculo incestuoso, não fará bem. É por isto que Paulo diz que tudo que não provém de fé é pecado. Entendeu? Não? Sabe o que de fato é? Se havendo fé não é pecado; e, em não havendo fé, é pecado; o que se estabelece não é a moralidade do “fato-ato-vínculo”, mas apenas a subjetividade do sentir, que em sendo visto como pecado, será pecado para o ser-sentir; e, em não sendo visto como tal, não causará mal algum. Portanto, tudo depende da consciência de cada um. E não precisa nem ser primo ou parente. Casar com um “irmão na fé” sem amor e desejo, acabará gerando um sentir também “pecaminoso”, mesmo que seja com a esposa, que virará mãe, pai, irmão ou irmã, ou um parente próximo. O mal estar psicológico que tais vínculos de parentesco subjetivo geram, é sempre incestuoso...vindo depois a repulsa... Uma espécie de Síndrome de Amnon, o filho de Davi que desejou e possui a irmã, Tamar, para, em seguida, sentir aversão por ela. Entretanto, não havendo esse “grilo”, nada há que os possa ou deva impedir, caso se amem como se não fossem primos! Conheço vários casais de primos. Um deles em particular me chamou atenção, pois convivi com eles por duas décadas e meia, sempre sabendo que eles eram primos, sem jamais, um único dia, os ter visto refletir tal parentesco. E nem o resto da família os tratava como tais. De fato, para eles, aquele relação consangüínea deixou de existir por completo, o que, a meu ver, foi muito sadio. Bem, você pediu e aí está a minha opinião. Nele, em quem somos todos irmãos, Caio