Português | English

Cartas

PRECISO TER CORAGEM!

PRECISO TER CORAGEM!

 

 


----- Original Message -----
From: SOU O PATINHO FEIO QUE APANHA DA MULHER!
To: contato@caiofabio.com
Sent: Wednesday, August 23, 2006 9:34 AM
Subject: BATO NO MEU MARIDO: ele é feio e não gosto dele!


Querido Caio,
 
 

 
O titulo deste e-mail tem a ver com a razão pela qual estou lhe escrevendo. Quem lhe escreveu estas cartas foi minha esposa; e eu sou o "patinho feio" por ela descrito.
 
Uma coisa intrigante que ela omitiu nas duas cartas foi o fato de eu ter adulterado quando pastoreava. Graças a Deus este relacionamento adúltero durou pouco tempo. Depois de sofrer muito com profunda culpa, decidi trazer tudo a tona. Tornei a coisa pública, reportei aos líderes da igreja, da qual faço parte.

Mudei para o exterior e estou atualmente sob disciplina por tempo indeterminado.
 
Já fizemos mais de um ano de aconselhamento, mas as coisas continuam indo de mal a pior. Eu me sinto emocionalmente muito cansado com tudo isto.
 
Quando navegava pelo seu site e vi as cartas, fiquei atordoado. Senti-me mais baixo que o chão... Alias, fiquei sem chão!

Fiquei devastado, me sentindo rejeitado e desprezível...

Eu sei que não sou um cara bonito, mas também eu acho que não sou tão horrível assim, a ponto dela ter vergonha de me apresentar aos amigos e de se apresentar publicamente ao meu lado.

São 17 anos de casamento ... E descobrir isto agora foi uma surpresa angustiante.
 
A agressividade verbal e física da parte dela continua. Semana passada tivemos uma discussão, e aí, novamente, ela partiu para a agressão física. Desta fez não me contive, reagi a altura e a agredi de volta. Desde este dia estamos vivendo em quartos separados dentro de casa.
 
Caio, eu sei que a coisa é obvia; e que eu nem precisaria lhe escrever pra tomar uma nova direção na vida. Mas eu a amo, temos um filho adolescente, e eu ainda encontro um resto pequeno de forcas para resistir à idéia de separação.
 
Apreciaria muito receber uma palavra sua para o meu coração.
 
Um grande e saudoso abraço,
 
________________________________________________________________________

Resposta:

 

Meu amado amigo: Graça e Paz!

 

Amigo, se sua mulher acha você feio, saiba: ela ainda pode encontrar um feio, e vir a mudar de idéia (Rsrs). É que é patético que seja assim. E olhe que você é um cara boa pinta e simpático. Talvez ela precise encontrar alguém feio de verdade (Rsrs).


Obviamente não sabia que você era o marido mencionado na carta. Aliás, não tento saber nada. Assim, posso escrever com total liberdade e isenção.

Como você disse é tudo óbvio demais. Na realidade o que conta não é só o que você sente. Afinal, vocês vivem juntos. Portanto, o que conta é o que os dois querem. Pois se apenas você quiser e ela não, vocês só irão de mal a pior.

Se eu fosse você, creia, estaria fora dessa já faria tempo, muito tempo. Digo isto porque não quero viver um minuto com alguém que não tenha alegria e vontade de viver comigo.

Nunca bati em mulher (nem nos tempos mais loucos da juventude, nem diante de mulheres que gostam de apanhar). Sei também que na Graça de Deus jamais farei tal coisa. Entretanto, meu mano, assim como não admito violência masculina contra mim, também não admito violência feminina. Nem de brincadeira.

Aceitar apanhar! E, agora, passar a revidar? Já pior do que uma separação digna e respeitável!

Você disse que entre outras coisas não se separa por causa do filho. Entretanto, saiba: seu filho sofrerá mais o casamento machucado e sem respeito de vocês, do que sofreria ante uma separação digna.

Portanto, como tudo é mais que óbvio, sugiro a você que converse com seu filho. Certamente ele será o primeiro a dizer que como está é pior do que uma separação.

Além disso, ficar assim como está, é a receita certa para duas coisas: traições e traumas no filho.

Traições!

Sim! E você sabe disto! Afinal, você mesmo está “sob disciplina” em razão de ter tido um envolvimento fora do casamento. Ora, você mesmo sabe que um casamento como o seu leva com certeza à pessoa à cama com outro alguém. Já foi você. Um dia será ela. Pode ser você outra vez. Mas acontecerá algo. E você sabe disto.

Traumas no filho!

Sim, porque seu filho ficará muito mal e poderá reproduzir o comportamento de vocês no casamento; ou, então, pode se traumatizar tanto com o casamento, que venha a desenvolver reações a ele, quando chegar a hora dele se casar.

Os caminhos que a alma encontra nessa hora a fim de expressar a sua dor, nem sempre são agradáveis aos olhos de quem observa com amor.

Conheço você desde há muito. Lembro de você ainda solteiro. Lembro de quando casou. Lembro de tudo. Mais do que você imagina. Não faz sentido você estar destruindo a sua vida e a dela (e de quebra prejudicando o filho) — por um casamento que não casou vocês.

Milagres? Sim! Creio neles. Mas creio que também ninguém sabe se e quando eles vêm.

Creio em milagres no casamento. Todavia, apenas onde há ou houve muito amor. Não tendo havido e nem havendo, não creio em milagres no casamento.

Acredito, entretanto, que casais conseguem, sem amor, não o milagres de ficarem juntos, mas sim a proeza de ficarem juntos mesmo se ferindo.

É fácil se acostumar a sofrer e incorporar o sofrimento como parte da vida — e ir levando...     

Sofrimento, todavia, quando é bom e vivido em amor, trás grandes coisas para a vida.

Mas no casamento, quando o sofrimento é desnecessário e fruto da falta de entendimento e amor, o resultado é sempre ruim para nós e para os filhos.

Sim, porque filhos sempre associam o sofrimento dos pais a eles; ou, então, num caso como o seu, depois de uns anos, eles, os filhos, se culpam por terem, pelas suas meras existências, obrigado os pais a estarem juntos; e isto sem amor.

Assim, meu irmão, como esta é uma situação crônica, sugiro que vocês se separem com dignidade. Do contrário, vocês ainda podem vir a se separar do pior modo possível. E não é isto que você quer. Ou é?

Não a deixe mais bater em você. Mas também não revide. Pode ser desastroso se você fizer isto. Afinal, e se ela gostar? Você irá atende-la no tranco o resto da vida? Sim, e se ela adorar levar uns cacetes? Você irá ser o marido-espancador dela?

Esse tipo de comportamento tem que ser evitado a qualquer custo. Afinal, uma mulher que parte pra dentro, pra briga, é pior do que um homem a ser enfrentado; posto que no caso de mulheres, tal comportamento já revela uma distorção na pessoa. E, assim, fica difícil esperar melhoras.

E mais: bater e apanhar, num casamento, se torna algo viciante. Aliás, acaba por desenvolver almas cínicas, e com grande capacidade de adaptação a uma vida indigna — conjugalmente falando.

Portanto, meu amigo, o que tenho a lhe dizer é isto. Considere o que lhe digo.


Com todo amor e carinho!

 


Nele, que deu a Sua vida espontaneamente,

 


Caio