Português | English

Cartas

PERDI O ROMANCE COM O MINISTÉRIO--IeII

PERDI O ROMANCE COM O MINISTÉRIO--IeII

-----Original Message----- From: PERDI O ROMANCE COM O MINISTÉRIO Sent: terça-feira, 13 de abril de 2004 20:47 To: revcaiofabio@terra.com.br Subject: A Esperanca continua.... Querido Pastor Caio, Por muitas vezes, em diversas fases,tive seu telefone e e-mail, todavia nunca tive tanta necessidade de comunicar-me com o senhor. Sempre próximo, mas nunca perto suficiente para abordá-lo... Amigo de pessoas que lhe foram próximas... Ministério? Por diversos motivos, resolvi deixá-lo há quatro anos. E desde então vagueio por este deserto, de onde não consigo forças para sair... Fui treinado numa Missão, onde aprendi a viver e trabalhar em equipe. Mas isto me parece que só funcionava lá dentro mesmo. Aqui fora é irmão devorando irmão... Pastoreei por alguns anos uma pequena congregação; pequena, porém radiante, comunicativa e operante. Sofri... por não acreditar no que via; e por confiar e “segurar” pecados dos outros colegas. Sempre me considerei um homem que lutava em prol das pessoas, e da conquista da cidade... Devido ao meu caráter e temperamento, sempre confiei nas pessoas, mergulhava de cabeça nas alianças. Isso me custou caro... Não tenho muito tempo para explicar o que se passou, mas vendo por onde o senhor passou..., o seu exemplo sempre me abençoou, me desafia a não desistir... Estive uma vez no Café e vi sua ministração sobre o Apocalipse...vivia o meu...não me aproximei... Por muitas vezes, eu dizia pra minha esposa, que só me compreenderiam as pessoas que sofreram, que foram rebaixadas de anjo à demônio....tão rapidamente. Sabe, errei...depois de prejudicado materialmente, movi uma ação trabalhista contra uma igreja; a que me enviara, e me sustentara no campo... Fui preso diversas vezes; contudo esta experiência de estar diante de um juiz, foi pior de todas...foi uma experiência terrível...e eu estava sozinho...abalado...fraco..sem amigos... Logo depois deste fato, fui obrigado a sair da denominação onde estava, por desejar conhecer a visão de células... Arrependi-me do que fiz... Me doeu muito...a minha magoa era contra um líder que me despedaçou..e toda a igreja foi por mim agredida... Sei que Deus me perdoou! Escrevi uma carta para a igreja me retratando e me colocando à disposição de qualquer coisa...para redimir meu pecado; em vão; sem resposta... Nunca mais consegui me relacionar com lideres... Contei a muitos o que se passou comigo...isso causou espanto neles...e, então, me afastei... Entrei numa grande crise...apesar de estar perdoado...isso não me incomoda mais...contudo fiquei bloqueado... Quando me perguntavam sobre o meu trabalho, que tipo era...respondia qualquer coisa...de professor de inglês à construtor; exceto pastor. Por muitas vezes quis rasgar a ata de minha consagração... mas não tive coragem. Por muitas vezes quis morrer...pedi ao Senhor pra que isto acontecesse... Vendo sua vida, sua forca em viver, os baques que levou, a frase pichada no alto da Fábrica da Esperança—" Esperança Fracassada"...essas coisas terríveis que sofreu...e lendo assiduamente seu site... o meu coracao se encheu de esperança de continuar...de caminhar... e de saber que o Deus dá Esperança..não é um Deus de ponto final... Não sei se vamos conversar um dia...e nem se vai responder a este e-mail...mas quero lhe dizer que o senhor para mim sempre vai ser um referencial de fé...de cabeça pra cima...de um verdadeiro homem de Deus... Aceita este desabafo! Nele, que nos ama inefavelmente... Amigo ____________________________________________________________ Resposta: Meu querido amigo: Paz e Esperança! Quem diz a última palavra é Jesus. É Ele quem pergunta: "Quais são as últimas notícias?"—como o fez a Cleópas e ao amigo, que andavam em depressão, perdidos de si mesmos e de todas as esperanças propostas; e que, para eles, haviam sido derrotadas numa Sexta-Feira sangrenta, em Jerusalém. "És tu o único que estiveste em Jerusalém e não sabes o que aconteceu?"—indagaram, quase ressentidamente, os dois discípulos. "Quais?"—perguntou o ressuscitado. Jesus é que tem sempre as “Últimas” para contar! E pobre daquele que pensa que pode decretar a morte daquilo ou daquele a quem Deus não disse: está morto! Creio nisto desde que creio em Jesus. A fábrica de esperança habita o coração. E só fracassará quando o coração desistir de crer, e mergulhar no cinismo. Não nasci para isto, para crer e ter esperança. E, em Cristo, tal possibilidade—de desesperança—não existe para mim. Conforme disse Deus, em Zacarias, "vós sois cativos da esperança". É assim que me sinto: preso pela esperança para sempre. E minha oração é que tais cadeias nunca se quebrem, pois, paradoxalmente, minha salvação é essa prisão aos benditos grilhões da esperança. Nunca acreditei que as coisas que os homens criam devam permanecer; apenas porque um dia foram criadas. Há tempo para todo propósito debaixo do sol. Tempo de construir. E tempo de derribar o que se levantou. A vida vai assim...viaja em espiral que cresce em graus, não na linha do horizonte, mas com inclinação ascendente... É como um pequeno vento espiralado, com potencial de tufão...e que sai do chão com uma propensão vertical...mas corre, espiralado, esperando para ir fazendo a sua ascendente; e segue fazendo rodopios; e nada se repete igual, mas tudo volta com antigas semelhança; e é aí que a gente vê se cresceu...se na nova volta da vida a antigos-novos-pontos a gente transforma a tribulação em perseverança, experiência, e esperança. Assim, de um modo ou de outro, as coisas voltam...e nós é que temos que saber qual será a nova resposta...agora...mais adulta. Suas dores ministeriais têm o poder de des-romantizar a sua alma. Cuidado! "Ministério" é uma coisa. Serviço a Deus e ao próximo, é outra bem diferente! Lamento que você tenha levado o caso para a justiça. Nós fomos chamados para receber a justiça, quando erramos; e para não exercer a justiça em nosso favor, quando estamos certos. Cristão fazem justiça aos outros, nunca para si mesmos! Mas isto são águas passadas... Agora é levantar a cabeça e olhar firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus. Quando a Fábrica de Esperança pegou fogo, em maio de 1995, a mídia me perguntou se o sonho havia sido queimado pelas chamas. Eu disse que aquilo ali era só um prédio enorme, e que a verdadeira fábrica de esperança existia em chamas, no coração. Se queimaram a sua "fabrica de esperança"; ou, caso você mesmo tenha ateado fogo nela; não se abale. O mundo inteiro tem espaço para todas as fábricas de esperança que você puder construir. Quando o material—não de prédios, mas da vida—é ouro, pedras preciosas, e material nobre; o fogo apenas lhes faz bem. Somente madeira, feno e palha é que se vão...mas quando há material nobre na edificação...ele sempre fica... e fica melhor, mas depurado, mas na essência de si mesmo. E isto não perece nunca! Me procure assim que puder aqui no Café. Nele, que nos chama a uma imperecível herança, Caio ____________________________________________________________ Querido Caio, O objetivo de lhe escrever foi apenas um ato de 'desabafo' de consciência, pois eu sabia exatamente o que iria me responder. Foi incrível! Quando morava no interior do Brasil, trabalhei ativamente no processo da produção da rapadura. Fiz parte de cada etapa intensamente. Do trabalho árduo no canavial, e todo o processo de transporte da cana para a moenda; nessa prensa a cana é moída; da garapa até o tacho, num fogo constantemente alimentado; e, por fim, horas e horas mexendo... e vendo a garapa entrar no ponto de melaço; e por fim...a rapadura! Eu sei o quanto custa uma rapadura! Sabia...que suas palavras seriam de esperança pra minha alma e de minha família! Obrigado! E que o doce mover de Deus esteja sobre sua vida e de todos que andam em amor à sua volta. Nele...sempre Nele... Amigo