Português | English

Cartas

PENSEI QUE MEU PROBLEMA ERA SEXO BOM, MAS NÃO É (I-II)

PENSEI QUE MEU PROBLEMA ERA SEXO BOM, MAS NÃO É (I-II)



-----Original Message ----- From: SOU PASTOR, MAS QUERO SEXO BOM COM MINHA MULHER To: contato@caiofabio.com Sent: Friday, October 08, 2004 9:01 AM Subject: PRECISO APRENDER! Mensagem: Rev. Caio, Deus te abençoe grandemente, e permaneça firme na graça do Senhor. Seu trabalho não é vão no Senhor. Querido, estava lendo uma carta enviada para você, com o tema: "Sou pastor e sofri abusos sexuais na infância" Ele está contanto sobre os abusos que sofreu por obreiros de confiança do pai, que é(era )pastor.. Mas na sua resposta algumas frases tiveram minha maior atenção... Por exemplo: "Ela pode se desinibir a fim de aprender o prazer. Talvez o problema dela seja ausência de prazer, visto que quando uma mulher aprende a ter prazer, muito prazer, ela mesma “ataca” o marido todas as noites, e para o total deleite deles." Esta parte do texto é que me provocou. A pergunta é: como ajudar, ensinar a mulher a ter prazer? Tenho 35 anos, casado, pastor também, e quero a cada dia melhorar minha vida no casamento, na vida sexual e familiar; e olhe, seus ensinos neste site, são incríveis, por isto estou procurando arrancar o véu da religiosidade que foi implantado pela igreja em minha alma. Gostaria de saber sobre isso. Outra parte do texto foi quando você respondeu sobre sexo oral. "Os lábios da mulher fácil destilam mel, e a sua boca é mais macia do que o azeite. Ensina a tua mulher a ser assim também: molhada e doce. Ora, isso vai, juntamente com a Palavra, te guarda da mulher que só quer uma aventura, e te salvará das cantadas da língua da mulher sedutora." Como ensinar? (rs) Parece até brincadeira, mas para mim, é muito sério (rs). Como tratar as deficiências? Você disse: "Portanto, se você dois se unirem e tratarem suas deficiências sexuais—seja a extrapolação (sua), ou a negação (dela)—logo você se sentirá bem melhor, e ela vai descobrir o quê esteve perdendo todo esse tempo." Em Cristo, (Rev.) OBS: Estarei aguardando a resposta no site. Creio que é por aqui que você envia; não é? Um beijo no coração. ___________________________________________________________ Resposta: Meu amigo pastor: Graça e Paz! Como desinibir sexualmente uma mulher? Ora, primeiro o homem tem que desejá-la muito. As mulheres sabem quando estão sendo apenas usadas e quando estão sendo saboreadas com todo prazer e encanto. Portanto, a primeira coisa, é como o homem vê a mulher. No filme "Don Juan de Marco", apesar de ser caricato, ele bem expressa a psicologia da sedução. Os homens mais sedutores são aqueles em cuja piscina do brilho dos olhos, a mulher se vê refletida como sendo linda e absolutamente desejável. O maior encantamento de uma mulher é se enxergar como objeto de desejo ardente, e que reflita para ela um significado que atribua valor essencial e estético a ela. A segunda coisa é começar de leve, e com todo carinho. E sem pedir permissão e sem diálogo. A tal da permissão acaba em discussão moral e teológica na cama, broxando os dois. E o dialogo sexual verbal é a morte do entendimento sutil, carinhoso, progressivo, simples, determinado, e carinhosamente desejoso e incendiado. Portanto, vá entrando na floresta com a sabedoria de um mateiro amazônico. A terceira coisa é aprender a arte de deixar a mulher confortável. Os homens em geral são muito grossos. Nenhuma mulher gosta de satisfazer um homem rápido, grosso, egoísta e "pratico". A arte do sexo é como a arte da música ou da pintura, ou mesmo como a construção de uma poesia. Tem ser coisa a coisa, com calma, provando combinações, ensinado a tela a aceitar a tinta, o piano a se fundir com o músico e a música, e o papel a acolher a poesia. No caso de uma mulher casada, na maioria das vezes, as relações sexuais com o marido não são satisfatórias em razão dos desgastes do casamento no dia a dia. Além disso, se a mulher é crente e o marido é pastor, dado ao moralismo e ao espírito excessivamente pudico das consciências religiosas, em geral, cria-se entre eles uma muralha de inibições e de pudores aprendidos. Nesse caso, a tarefa tem que ser muito mais paciente e determinada. Mas cabe ao homem ir quebrando os paradigmas e fazendo isto com soberania apaixonada e desejosa, embora extremamente paciente e reverente para com o significado de cada nova experiência, a fim de ambos possam encontrar a dês-inibição. Sobre ensinar a mulher a ser sexualmente livre como a adultera de provérbios, sinceramente, é isto que penso. As mulheres casadas deveriam buscar os seus maridos com o despudor das mulheres adulteras. Mulher sábia é aquela que é como a adultera seria para o marido dela, e que é a garota de programa de todas as noites dele. Mulher sexualmente sábia é aquela que trocou o pudor pela liberdade; e que expressa essa liberdade com total espontaneidade para com o seu marido. Ouço as pessoas dizerem que há muito sexo no mundo. E não é verdade. O que há é muita propaganda sexual e muito sexo casual. Mas, infelizmente, os casais, em geral, transam muito pouco. Os mais freqüentes, na média, transam duas ou três vezes na semana. Há quem faça de 15 em 15 dias. E há aqueles que transam uma vez no mês. Sem falar que a maioria está na base do "de vez em quando"...e isto de modo bem espaçado mesmo. Na minha opinião sexo tem uma imensa importância em qualquer relacionamento conjugal. Mas também sei que o espírito da religião é um dos maiores broxantes que há na Terra. Assim, a fim de poder aproveitar as delícias sem medo e sem culpa, o cara tem que se libertar da pudicícia religiosa, e saber que dentro do casamento a lascívia é apenas desejo, e que a concupiscência é uma necessidade, e que o macho tem que ser como um cavalo alado: animal e anjo! Busque sua mulher todos os dias. No início ela vai estranhar. Não faça um congresso com ela a fim de decidir a questão. Literalmente, vá comendo pelas beiradas, que quando ela menos sentir, você já estará no caroço da manga. No início pode ser que ela, sendo tímida, estranhe. Mas depois de um tempo ela vai querer todos os dias. E você vai descobrir como é bom ter uma companheira sexualmente idônea e ativa, sendo completamente livre com você, e você com ela. O melhor meio é começar como as crianças, explorando as partes, conhecendo-as, tocando de leve, provando, sentindo o gosto de cada parte, estimulando todo o corpo, brincando de prazer, e fazendo isto com leveza e doçura. Devagar ela irá se abrir como um lírio, e você provará o néctar mais puro, e que escorre da fonte da alegria. Receba meu carinho e orações! Nele, em quem o homem e mulher são um mistério de comunhão, Caio __________________________________________________________________________________ 30/11/04 Por favor, leia minha carta, obrigado. Rev. Caio, pastor, amigo, irmão, e creio que agora mais que nunca. Não sei se o senhor lerá esta carta, mas preciso contar a você minha vida, (parte dela) e pedir sua ajuda, orientação, palavra, bronca... Analisando com teus olhos. Sou pastor, já te escrevi uma carta antes, perguntando sobre como fazer sexo bom com minha esposa (o tema que o Sr, deu foi esse: “sou pastor e quero sexo bom com minha esposa, algo assim... ) Mas o que escrevi é apenas a ponta do iceberg. Não contei tudo. Sou casado há 18 anos. Eu e minha esposa estudamos teologia juntos. Depois fomos para o ministério. No primeiro pastorado que tive fui chamado de ladrão. Larguei a igreja e fiquei uns 7 anos longe. Nesse tempo minha mulher deixou de se interessar de vez por coisas de igreja. Hoje não quer nem ouvir falar. Eu voltei a pregar. Um pastor me convidou. Eu fazia tudo. Pregava, fazia a gestão de tudo. Logo me escolheram para ficar no lugar do outro. Fui uma confusão... Fiquei, mas nada dá certo. E minha mulher não quer nem passar na porta. O que ela quer mesmo é ir pra bares e tomar umas cervejinhas com os amigos, ou sair pra noite. Eu vou às vezes. Mas não gosto de ficar lá. Sexo? Ela não gosta. Diz pra eu ser rápido. Ela até goza... Mas é assim como muitos homens: apressado... Então eu tenho que acabar. Já pensou? Eu quero... Ela não quer. Nunca me procura. E quando procurou... umas 15 vezes em quase duas décadas de casamento... ainda me disse para eu ser “rápido”. Eu procuro. Mas me canso. Parece que ela não me deseja. Diz que não agüenta mais essa vida de pobre. Que ela quer se separar. Que prefere um velho, mas que seja rico, e que não goste de sexo. Ela diz que eu posso transar fora, com quem eu quiser, desde que não seja com ela. Você acredita? Minha mãe diz que eu devo me separar. Que não adianta. Mas eu tenho medo. Tenho medo do que vai acontecer. Tenho medo que um outro homem faça ela gostar de sexo. Por que? E eu? Vou ficar arrasado. Eu e ela nos separamos uma vez, logo depois de casados. Ele então teve uma coisa com um cara da igreja; e eu com uma menina, também da igreja. Mas depois voltamos. Voltamos! Só que pisei na bola com ela. Me envolvi com uma moça depois que voltei com ela. Ela soube. Eu confirmei. A igreja soube. Eu mesmo me exclui dos cargos que tinha. Ela jogou verde; e eu cai. Hoje vivo me masturbando direto. Faço aquilo que você diz no site: “...entra em site erótico, depois dá uma passada aqui no site do Caio para aliviar espiritualmente...” De fato entro também em bate papo, e às vezes fico conversando... excitado... Conheço pessoas. Converso por telefone. Mas quando as mulheres dizem que querem vir para me encontrar, aí eu gelo; pois, não quero isso. E são mulheres bonitas. É que fica complicado. Algo me trava. Um dia fiz isso. Viajei e encontrei uma garota. Foi a coisa mais difícil. Estava no quarto com a mulher...(uma linda garota ), mas não tive tesão... E para satisfazer a garota foi doloroso, horrível. Isso já faz anos. Caio, cansei de me masturbar, cansei de filme erótico, cansei da “internet”. Quero transar, fazer amor. Viver com a mulher amada. Hoje estou deixando as atividades na igreja até o fim do ano. Não quero mais ser pastor. Não consigo. Não tem jeito. Acho que nunca fui chamado, pois nunca deu certo. Para quê insistir nisso? Bom ajude-me. O que fazer? Um beijo no coração! Em Cristo, _________________________________________________________________________________ Resposta: Meu querido amigo: Graça e Paz! Sua própria carta lhe diz a verdade, e com as suas próprias palavras. Você sabe a verdade. Não se engane. Não adianta lutar contra a verdade no coração. É inglório buscar ser feliz contra a natureza do próprio ser. Ninguém é feliz contra si próprio. Para amar alguém ou muitos, tem-se que amar a si mesmo. Não dá para amar sem amor. Assim, meu amigo, saiba: sua mãe tem razão. Sim, seu casamento não existe mais. Sua esposa quer outra vida. Você quer outra vida. Você só não quer admitir. Não agüenta enxergar que foi um equivoco.Teme que tenha perdido tempo. Sofre com a idéia de que possa não ter sido verdadeiro. Enfim... Sofre até com a idéia de que alguém possa servi-la na cama melhor do que você—provavelmente marido de uma mulher que também se sentiria melhor servida por você do que pelo ex-marido dela, e que, agora, hipoteticamente, bem serve à sua mulher. Ou seja: não tem nada a ver com ninguém ser “melhor do que ninguém”. Assim, meu irmão, lhe digo com carinho e clareza: se as coisas são como você diz, não insista na idéia de ser “pastor”. Você primeiro tem que encontrar a você mesmo. Tem que dar uma chance a si próprio de se conhecer. De saber quem você é. Como pode haver um pastor onde há um homem que luta para ainda saber o que quer para a vida? Ser pastor, verdadeiramente, é um estado de consciência, é uma atitude, é um jeito de ver, de ser e de existir. Portanto, quando é, é; e não deveria jamais haver ordenação formal para tais coisas, mas apenas confirmação formal de coisas que já tivessem sido autenticadas por si próprias, na vida; e mediante a produção natural de frutos. É pelo fruto que se conhece a árvore. Dê seu fruto, o fruto de você mesmo em Cristo, e, então, você começará a saber quem você é. Essa idéia de “pastor” como sendo uma pessoa especial é mentirosa. Cada um é quem cada um é. E que cada um o expresse não mediante performances, mas mediante a geração de frutos de justiça, misericórdia e bondade para com o próximo. Aí, meu amigo, aparecerá seu dom. E ele terá dos homens apenas confirmação. Os homens só podem confirmar. Eles não podem firmar. Fique livre desse peso e cuide se sua alma. Esse tipo de “ministério” pode acabar com a alma humana. Quanto à sua esposa, pelo amor de Deus: ouça o que ela está gritando. Sim, ela está gritando. Ouça. Ela não tem obrigação de desejar você. Desejo, pela sua própria natureza, é desejo; ou seja: é capricho da vontade, e, na maioria das vezes, acontece à revelia. Assim, não é questão de ser bom ou ruim de cama ou do que quer que seja. É apenas uma questão de encontro, de ser ou não ser. Não existe fracasso naquilo que não pode ser determinado pela razão, mas apenas pelo coração. Desse modo, não é nada “pessoal”, não tem nada a ver com ser bom ou ruim de cama, mas apenas tem a ver com química existencial, psicológica, física e mental. É apenas mais uma demonstração de que ninguém pode pretender saber qual é o mistério do caminho de um homem com uma mulher. Ela pode amar você como irmão e amigo, e nunca vir a ser capaz de desejar você como homem; e essa não é uma limitação sua, mas apenas uma contingência da existência—contingência de um encontro que nunca encontrou vocês! Você pode insistir em não deixa-la livre. Mas, provavelmente, venha a ser pior. Se você ainda se sente jovem, saiba: ela também se sente. Nesse caso, o que provavelmente venha a acontecer é que ela acabe por se envolver com alguém, e ainda saia dessa história como “adúltera”, sendo que ela vem implorando a você pela separação; e apenas você não consegue ouvir e entender isso. Sei que parece duro. Mas, meu amigo, não é. É apenas claro. Portanto, não leia isso como “bronca”. Não tem branca. O que há é clareza. E sei que você vai me entender. Receba meu carinho! Cuide de sua alma! Nele, Caio