Português | English

Cartas

PENITENTIUS TEOLOGICUS

PENITENTIUS TEOLOGICUS

-----Original Message----- From: Penitentius Teologicus Sent: sexta-feira, 10 de outubro de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Estou num presídio de ensino teológico Mensagem: Eu estou estudando teologia, e vivo só para isso. Estou passando por uma batalha espiritual, e todos os dias eu me pego pensando no que eu estaria fazendo agora. É difícil viver onde eu vivo, estou aqui para ser moldado, sim! Mas está machucando demais. Quero aprender realmente a Palavra do Senhor; por isso eu ainda não fui embora, mas penso sim, em ir embora. Mas sei que terei que arcar com as conseqüências. Aqui você é vigiado, é muito chato. Você é controlado, até o penteado de seu cabelo é controlado. É um processo que está sendo difícil de agüentar, tanto para mim como para minhas colegas. Preciso de um apoio de alguém espiritualmente experiente. Que Deus te oriente. Deus te abençoe *********************************** Querido amigo: Campos Verdejantes Para Você! Onde você está? Parece o presídio Talavera Bruce, no Rio. Se for um “Seminário”, deve ser um remanescente teológico da antiga FEBEM. Está mais para “sanitário” ou “sanatório”, que para “seminário”. Seminário é lugar de sêmen. Ou seja: de semente. Portanto, deveria ser um “sementário”, não um “sementério”. Cemitério é o lugar das sementes mortas. A morte que tras vida não é esse. A morte que produz muito fruto foi a daquele que morreu para que tivéssemos Vida! Se eu fosse você faria as “trouxas” e rumava para casa. Como você acha que vai aprender a Palavra num lugar que nega a Palavra? A Palavra liberta, ensina a pessoa a ter uma consciência, a decidir com o coração—ou seja: de dentro para fora—, e a ser livre de modo maduro, responsável e misericordioso com as mentes mais fracas. O lugar onde você está parece fazer o contrário: são professores neuróticos—de consciência adoecidamente fraca, como a dos fariseus—, e que assumem o infernal papel de ensinar às pessoas a Escritura em Tábuas de Pedra, não como Cartas Vivas, no coração (II Co 3). Quem se “escandaliza”, saiba e não duvide, é fariseu! Eles é que geram o “escândalo” acerca do qual Jesus falou—aquele que, em sendo gerado, faz os “pequeninos” tropeçarem”. É o "escândalo" deles aquilo que escandaliza os "pequeninos". Há muitas casas de ensino teológico que não são nem hospícios e nem presídios. Procure um desses lugares! Quanto a “arcar” com as conseqüências, não tema. Nenhuma conseqüência será pior do que ficar aí sem vontade. Leia o texto de Mateus 23: 1-39: *************************************************** Então falou Jesus às multidões e aos seus discípulos, dizendo: Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e fariseus. Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam. Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; mas eles mesmos nem com o dedo querem movê-los. Todas as suas obras eles fazem a fim de serem vistos pelos homens; pois alargam os seus filactérios, e aumentam as franjas dos seus mantos; gostam do primeiro lugar nos banquetes, das primeiras cadeiras nas sinagogas, das saudações nas praças, e de serem chamados pelos homens: Mestre. Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi; porque um só é o vosso Mestre, e todos vós sois irmãos. E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus. Nem queirais ser chamados guias; porque um só é o vosso Guia, que é o Cristo. Mas o maior dentre vós há de ser vosso servo. Qualquer, pois, que a si mesmo se exaltar, será humilhado; e qualquer que a si mesmo se humilhar, será exaltado. Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque devorais as casas das viúvas e sob pretexto fazeis longas orações; por isso recebereis maior condenação. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós. Ai de vós, guias cegos! que dizeis: Quem jurar pelo ouro do santuário, esse fica obrigado ao que jurou. Insensatos e cegos! Pois qual é o maior; o ouro, ou o santuário que santifica o ouro? E dizeis: Quem jurar pelo altar, isso nada é; mas quem jurar pela oferta que está sobre o altar, esse fica obrigado ao que jurou. Cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar que santifica a oferta? Portanto, quem jurar pelo altar jura por ele e por tudo quanto sobre ele está; e quem jurar pelo santuário jura por ele e por aquele que nele habita; e quem jurar pelo céu jura pelo trono de Deus e por aquele que nele está assentado. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Guias cegos! que coais um mosquito, e engulis um camelo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque limpais o exterior do copo e do prato, mas por dentro estão cheios de rapina e de intemperança. Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo, para que também o exterior se torne limpo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos, e dizeis: Se tivéssemos vivido nos dias de nossos pais, não teríamos sido cúmplices no derramar o sangue dos profetas. Assim, vós testemunhais contra vós mesmos que sois filhos daqueles que mataram os profetas. Enchei vós, pois, a medida de vossos pais. Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno? Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas: e a uns deles matareis e crucificareis; e a outros os perseguireis de cidade em cidade; para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que mataste entre o santuário e o altar. Em verdade vos digo que todas essas coisas hão de vir sobre esta geração. Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste! Eis aí abandonada vos é a vossa casa. Pois eu vos declaro que desde agora de modo nenhum me vereis, até que digais: Bendito aquele que vem em nome do Senhor. *************************************************** Agora veja: 1. Lei 2. Aparências 3. Jactância 4. Fachada 5. Propriedade da Verdade como Pedra 6. Incapacidade de reconhecer o Novo 7. Missão como Clonagem de exterioridades 8. Impossibilidade de ver a vida como Graça e Misericórdia 9. Fidelidade a Deus como mensalidade financeira 10. Orações que ocultam a indiferença E coisas semelhantes a essas, são matérias obrigatórias no curso ministrado pelos fariseus e saduceus. Portanto, querido amigo, creio que você está sendo guiado e ensinado por aqueles a quem Jesus dirigiu tais palavras. Apenas responda uma pergunta: eles se parecem com a descrição acima? Fico muito a vontade para falar por duas razões: não sei quem você é, e tampouco onde você “estuda”. Portanto, de minha parte, não há preconceito. Há apenas a confiança de que você esteja falando a verdade. Sei, no entanto, que se é como você diz, aí não ensinam a Palavra, mas a letra da Escritura, de conforme a hermenêutica dos fariseus e dos saduceus; ou seja: daqueles que se assentam na “Cadeira de Moisés”. Que Deus a ilumine e revele a Palavra ao seu coração. Nele, Caio