Português | English

Cartas

PECO E NÃO SINTO DESCONFORTO

PECO E NÃO SINTO DESCONFORTO

-----Original Message----- From: PECO E NÃO SINTO DESCONFORTO To: contato@caiofabio.com Subject: QUERO AJUDA! Mensagem: Oi Pastor, Escrevo para dizer que me sinto confortável em pecar; ou seja:não me sinto mais incomodado; parece ser normal; não tenho um pingo de "vergonha na cara". Tenho 25 anos, sou solteiro, já tive relações com uma namorada, e com outras mulheres; mas quando digo “pecado”, é porque não sou em nada diferente das pessoas que vivem perto de mim; e gostaria de fazer diferença; mas sem ser um extra-terrestre, nem uma pessoa falsa... Mas em tudo eu sou igual, tanto nos palavrões, quanto no proceder. Quando encosto a cabeça no travesseiro, sei que falhei mais um dia, e me sinto triste... Mas quanto mais o tempo passa, menos eu sinto essa tristeza...parece que eu nunca conheci Deus; embora, em 1992 tenha sido “vocacionado”, quando um pregador conhecido pregou; e achei que Deus me chamava para fazer diferença. Desculpe-me a confusão, mas eu não sei me expressar; e ainda carrego as raízes de um "cristianismo tradicional" e "americanizado"; e é difícil admitir que sou safado. Sinto que preciso mudar. Beijos, ____________________________________________________________ Resposta: Meu amado filho: Você não se desviará do Caminho! Bem, um evangélico já diria que você está desviado. Mas desviados são os que nunca foram do Caminho; e quem nunca foi do Caminho não se aflige com as coisas "naturais" que você faz, como todo qualquer outro homem-moço de 25 anos. É também obvio que ninguém que tenha nascido nos últimos 30 anos se sente pecando quando transa com a namorada; e nem quando fala palavrão. Isto só acontece quando o "evangelho americano" está funcionando como super-ego do indivíduo...nesse caso...tudo isto é pecado. Quem dera os safados do mundo tivessem a coragem de se declarar como você, visto que todo “cara de pau”, todo “safado” e todo “sem vergonha”, jamais faz a confissão que você fez. Ao contrário, os safados não têm nada a confessar; e, em geral, não se sentem defraudando ninguém nem quando chupam os ossos da vítima. Dizer a você que "não faça mais isto" não é meu papel; até porque eu não creio que fosse lhe ajudar em nada, mas tão somente aprofundar a sua culpa; e, assim, aumentar seu desejo; e, por conseguinte, fazer você enfrentar a culpa com mais desejo compulsivo; e, assim, ir ficando cada vez mais com essa sensação de cinismo. O que tenho a lhe dizer não tem nada a ver com conselhos morais. Tenho apenas a lhe dizer coisas que têm a ver com a sabedoria e o bom-senso. Primeiro os palavrões. Há palavrão e palavrão. Palavrão não é a palavra em-si-mesma, mas a energia com a qual ela é carregada. De tal modo que os piores palavrões que já ouvi na vida foram: "Meu amado", sendo usado antes de se enfiar a faca-espiritual da língua na alma do irmão; ou ainda: "Precisamos orar por ele..." seguido de todas as indiscrições acerca da vida do "objeto da oração". Os fariseus não falavam palavrão, mas Jesus disse que a boca deles era um sepulcro aberto! É obvio, por todas as razões do mundo, que feliz é aquele que usa bem as palavras. E num universo de tantas palavras, melhor é usar as melhores, e pronunciá-las para a edificação; e isto não tem nada a ver com ficar com voz boba de crente, e nem com jeitão estereotipado... Quando as palavras torpes vêm carregada com sentimentos torpes, elas nos entorpecem os sentidos. Quanto ao sexo, o ideal é que se o pratique livremente com quem a gente ama. É assim, e só assim, que o sexo é mais que uma transa. Portanto, busque caminhar nessa direção; e faça isto sabendo que a multiplicidade de parceiras sexuais, ainda que sucessivas, acabam por fazer mal também ao homem, visto que dilui a referencia afetiva dele, e a confunde com desejo; realidade essa que no homem ocorre de modo muito mais animal que na mulher. Todavia, é no Caminho que tais mudanças acontecem; não fora Dele. Assim, se você foi chamado para as Bodas do Filho do Rei (Mt 22), venha; pois o que se requer de você não é perfeição, mas o estar "vestido com as vestes de justiça", que é a fé na justiça de Jesus em nosso favor. De fato, é apenas sem culpa que paramos de viver pecando. Portanto, é porque eu já sou perdoado que posso caminhar sem os pesos das culpas que apenas me remetem mais profundamente para o que não quero, mas que se torna algo compulsivo para mim em razão da própria culpa; visto que a Lei aumenta o pecado. Assim, ande com Deus apesar de tudo. Não pare no Caminho. Leia a Palavra. Dê a você mesmo a chance de ser impregnado pelo Evangelho. Confie que está tudo Pago; e, estranhamente, essas pulsões irão diminuir...até chegarem ao estado de pacificação; especialmente depois que você conhecer também uma mulher que você ame, e que trará genuína satisfação a você. Eu creio no Espírito Santo; e creio no poder da Palavra; e creio que Deus mesmo cuida de Seus filhos quando eles, apesar de serem quem são, não desistem do Caminho, sabendo que quando somos infiéis, Ele, todavia, permanece fiel; visto que não pode negar-se a Si mesmo. Só sei uma coisa: você vai conhecer a Verdade! Nele, que é o Caminho e nos ensina a Verdade na Vida, Caio