Português | English

Cartas

PAVARINI: nota triste!

PAVARINI: nota triste!

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From:  PAVARINI: nota triste!

To: contato@caiofabio.com

Cc: ana@caiofabio.com

Sent: Monday, September 03, 2007 15:20

Subject: Nota triste

 

Caio querido,

 

Que Deus sustente vocês nesse período de apreensão em relação à saúde de seu pai. Conte c/ minhas orações.

 

Postei essa noite no meu blog e achei que você deveria saber. Sua galeria de admiradores ficou um pouco menor na semana passada. O pastor paranaense Quisleu Panuci Lourenço faleceu num acidente perto da cidade de Ponta Grossa, (PR).

 

O álbum dele no Orkut traz algumas palavras extraídas de um livro ou mensagem sua. No entanto, o que despedaçou meu coração de vez foi saber que o filhinho dele de 5 anos também morreu no acidente. Nome do garoto: Caio Fábio.

 

http://pavablog.blogspot.com/2007/09/nota-triste-4.html

 

 

Big abraço p/ você e p/ Adriana.

 

 


------------------------------------------
Sérgio Pavarini

 

______________________________________________________________

 

Resposta:

 

 

Amado Sérgio: Graça e Paz!

 

 

 

Quisleu Panuci Lourenço — encontrá-lo-ei em Glória!

 

Se me amava, o amor já o fez encontrar meu Luk.

 

Aqui... — dor. Lá, festa. Um santo, dois santos...

 

Preciosos são aos olhos do Senhor!

 

Cada diz mais a experiência do viver e do morrer me estão misturadas...

 

Certamente que a morte de meu filho me transportou existencialmente [de fato me catapultou] para uma dimensão em mim presente, porém, latente; e que, depois daquilo, cresceu e se tornou um crer-ver-sentir permanente.   

 

É um estar aqui-lá o tempo todo!

 

Sempre tive uma relação forte com as crianças. Muito mais delas para mim. Fui dedicado aos meus filhos como crianças. Mas, mesmo assim, o amor que das crianças recebi e recebo até hoje me é comovente. Pois, extrapola em muito tudo o que eu faça por merecer...

 

Das crianças só recebo Graça!

 

E muitos pais queridos também puseram e põe em seus filhos o nome que eu não tive coragem de colocar em nenhum de meus filhos: o meu nome.

 

Temia que meu nome lhes fizesse mal; que lhes fosse pesado; que lhes impusesse muitas cobranças e demandas; e tudo o mais que você sabe... Mesmo assim o tal do “D’Araújo” pesa muito sobre eles; embora os ajude muito também, especialmente em batidas policiais, quando o guardinha vê os documentos e pergunta: “O que você é pro reverendo?” Nessa hora eles gostam.

 

O Caio Fábio que foi já está fora de perigo!

 

Nós ainda andamos com todo cuidado...

 

Obrigado pelo carinho de sua nota.

 

Meu pai melhora a cada dia. Louvado seja Deus. No entanto, é um dia depois do outro...

 

Receba meu carinho!

 

 

Nele, que deixou Lázaro morrer...; pois, Nele, mesmo quem morre existe em Ressurreição,

 

 

 

Caio

 

03/09/07

Manaus

AM