Português | English

Cartas

PASTOREANDO A MOURA TORTA!...

PASTOREANDO A MOURA TORTA!...

Pastoreando...

 

----- Original Message -----

From: PASTOREANDO A MOURA TORTA!...

To: Contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, December 31, 2009 3:13 PM

Subject: Sou mulher de pastor em angustia...

 

Há muito tenho querido escrever, mais sempre estamos tão atarefados com o vai e vem das coisas fazem calar o coração...

Faz alguns anos que tenho não só vivenciado como também presenciado uma situação bastante difícil.

Sou esposa de pastor e pastora também; e estou vivendo uma crise muito séria em meu casamento, que a cada dia vem se agravando.

Tenho sofrido uma pressão violenta, pois não estou sabendo com me dar com esta situação.

Meu esposo é pastor de uma igreja que não anda nada bem. Crise financeira... Problemas os membros... Daí você pode acrescentar mais uma lista de dificuldades...

Caio, eu tenho muita pena dele...

Olha que este sentimento é muito ruim...

Quando você olha para uma pessoa com pena...

Me sinto mal em ver...

É assim que me sinto...

Já tive raiva, ódio, ressentimento, mágoa, indiferença... Mas pena acho muito ruim...

Não sei se me faço entender...

E isso só vem se agravando...

Amo muito meu esposo; e não gostaria que ele estivesse nesta situação...

Mas sabe o que mais me deixa chateada?...

É o fato de que ele canalizou tudo isso para dentro de casa, do nosso relacionamento...

Infelizmente quem sofre com tudo isso sou eu e minha família...

Não há mais diálogo...

E aquela conjugalidade que você tanto fala não existe...

Sei que eu tenho contribuído com isso, pois, tenho me fechado em meu mundo...

Tenho medo de ser agredida com palavras...

Qualquer atitude mais ríspida dele me afasta cada vez mais.

Sexualmente o desejo muito... Amo muito... Mas as palavras ferem muito... E eu estou certamente doente!...

As constantes acusações de seus fracassos atribuídos a mim me causam muita dor...

Sabe aquela historia de tenho que achar um culpado?... Pois é!...

Ele me critica muito...

Diz que sou frigida, que ele não tem mulher...

Mas pense em um homem que canaliza suas frustrações para o sexo!...

Quanto mais frustrado mais sexo ele quer...

Nada contra isso... Pelo contrario, nos damos muito bem sexualmente... Temos química...

Mas diante de tantas dificuldades confesso que estamos sendo prejudicados.

Não sei se você entende?... Ser esposa de pastor é muito complicado, sempre temos que sorrir, mesmo que seja aquele sorriso amarelo, quando não temos que manter a aparência para que igreja veja que estamos bem...

Quando a esposa do pastor é muita ativa, logo a taxam de Jezabel, que usurpa a liderança do marido...

Quando é muito passiva, é uma morta que não sabe de nada...

E por ai vai...

Fora as outras situações humilhantes que temos que passar...

Haja Cruz!

Mas tudo isso não me tira de maneira nenhuma a vontade de servir ao Senhor...

Amo a obra de Deus e estar em Sua casa.

Mas estou com bem... Não estou deprimida... Também não posso nem me dar o luxo disso... Penso que se eu ficar assim as coisas vão ficar piores...

Caio, o motivo que realmente me fez escrever esta carta é por que hoje você tem acesso a muitos líderes, pastores, nesta nação...

O meu esposo o admira muito assim, como eu.

Nos diga alguma coisa...

Como nós muitos precisam de ajuda...

Você tem experiência das coisas...

Caio, os pastores e famílias de pastores estão sucumbindo...

Este é um apelo de uma esposa de pastor, pois, esta é a minha primeira vocação...

Estou sofrendo terrivelmente e vivo debaixo de muita pressão...

Creio que o alerta tem que ser feito aos homens, aos pastores, pois são sacerdotes de seu lar...

Publique isso se julgar necessário e importante...

Que o Senhor continue lhe abençoando!

A alegria do Senhor tem sido minha força...

Um grande abraço!

___________________________

Resposta:

 

Minha querida amiga: Graça e Paz!

 

Como não saberia qual é o drama de uma mulher de pastor evangélico se eu mesmo não apenas cresci na “igreja” como também sou filho de pastor, como também sou pastor, e, além disso, casado com uma mulher maravilhosa que tem um dom pastoral por ela praticado já há mais de 25 anos agora?...

Além disso, como não saberia qual o drama de uma mulher de pastor se passei a vida toda ouvindo esposas de sacerdotes evangélicos contando os seus dramas?

Não foi também por isto que passei 25 anos de minha vida organizando “congressos para pastores e esposas de pastor”?...

Assim, sem falar que aqui no site milharas das pessoas que escrevem são também esposas de pastor — digo a você que tenho uma idéia do drama vivido pela maioria das mulheres de pastor em “igrejas viciadas”?...

O que tenho a dizer a você é simples:

Na “igreja” é assim mesmo; e não há meio de que seja diferente; posto que o “sistema” está organizado para que assim seja; portanto, não havendo qualquer chance de mudança; pois, nesse caso, mudança seria como pretender que uma cobra andasse em pé ou como pretender que um homem voasse por si mesmo, sem aparatos...

Quem serve a um grupo como empregado do grupo, tem que saber como são as regras ou os modos de tal convívio!

Desse modo [na “igreja”] ou a pessoa fica e aceita que a coisa é desse jeito mesmo; ou, então, a fim de ter uma vida sadia, a pessoa sai do esquema e começa outra coisa totalmente distante do esquemão; ou, então, apenas leva uma vida simples, sem “igreja”, mas fazendo parte de uma comunhão de fé com irmãos que não vejam no dom pastoral um dom sacerdotal e mediador, conforme a “igreja” na pratica o faz, e, além disso, também conforme a maioria dos pastores gosta, e, por isto, aceita; e, em alguns casos, até pensa que há algo errado quando a vida não caminha entre fofocas e lutas pela presença do pastor em tudo...

Quem casa com um “pastor evangélico” de linha pentecostal ou mesmo tradicional, porém vivendo no e do “sistema”, tem que saber que está se casando num casamento tipo “islâmico”, no qual a mulher é a 1ª mulher de um harém sem sexo [a maioria das vezes], mas cheio de esposas e até de esposos ciumentos e caprichosos...

O que notei é que seu amor pelo seu marido está se tornando em pena, o que, como você mesma sabe, é uma droga!

Já o seu marido anda cansado de tudo, mas, assim mesmo, não tem em mente nada além de agüentar...

No caso do seu marido ele está encurralado no tal do sustento pastoral, o qual é outra droga quando quem paga é a “igreja bruxa”...

O que resta a vocês é sentarem e avaliarem que vida vocês querem ter... E mais: verem também o que vale o casamento e família de vocês...

Ora, se vocês concordarem que a família vem primeiro em relação à “igreja agremiação” [...], então é estabelecer as regras [duvido que a “igreja” vá aceitar] de convívio entre vocês e a comunidade [dá angustia chamar isso de comunidade]; ou, então, é deixar e começar algo novo, diferente e sobre as bases do convívio proposto no Evangelho; ou seja: com gente que não torture o seu guia na fé, a fim de que a vida dele não seja um peso [...], mas uma alegria de serviço em amor.

Quanto ao mais [creia], caso vocês se amem mesmo, tudo voltará ao lugar; mas é fundamental que o vinculo de vocês seja amor mesmo.

Recomendo a você e ao seu marido a leitura do www.caiofabio.com todos os dias; e mais: sugiro que iniciem escrevendo a palavra “pastor” no campo “Pesquisa”, pois vocês acharão centenas de cartas sobre o tema...

Receba meu carinho e minhas orações por sabedoria na vida de vocês; e mais: oro por genuína conversão de vocês ao Evangelho da Graça de nosso Deus e Salvador Jesus, o Cristo de Deus, o Cordeiro Eterno da Criação.

 

Nele, que é o Único Pastor de nossas almas,

 

Caio

2 de janeiro de 2010

Lago Norte

Brasília

DF