Português | English

Cartas

PASTOR, ESTOU TRAINDO MEU MARIDO!

PASTOR, ESTOU TRAINDO MEU MARIDO!

----Original Message----- From: Estou traindo meu marido! Sent: domingo, 24 de agosto de 2003 To: revcaiofabio@terra.com.br Subject: Preciso urgentemente de uma palavra de fé! Rev. Caio Fábio, Estou vivendo uma situação que nunca imaginei viver na minha vida. E espero receber o seu conselho, como de uma pessoa que imagina o que estou vivendo. Não tive coragem de contar para ninguém o que está de fato acontecendo. Por favor, me ajude! Bem, para começar tenho apenas 23 anos. Me converti aos 20. Vinha de um relacionamento conturbado. Sofri muito... Depois da conversão dediquei toda minha vida a um Deus que, até então, eu não sabia que existia. Minha vida era pregar e falar de Seu amor... Durante todos esses anos sempre pedi a Deus que, se fosse Sua vontade, tirasse do meu coração o amor que sentia por aquele rapaz. Amei-o por muito tempo. Orei por sua conversão. Tornei-me uma grande amiga de seus familiares, que também acabaram por se converter. Finalmente, após entender que não deveria mais ter esperanças naquele relacionamento perdido, decidi esquecê-lo; e conheci um outro rapaz. Era um homem de Deus, com grande caráter. A partir de então começou a surgir um “novo amor” em meu coração. Eu o admirava por ele ser quem ele era. Nos casamos; mas, desde então, minha vida com Deus foi afundando, e eu fui perdendo minha fé. O meu marido começou a mudar e a me tratar mal. Eu deixei de o amar. Casei-me achando que o amava verdadeiramente, mas quando fomos afetados por problemas em nosso casamento, pensei em divorciar-me, várias vezes. Ele não era mais o homem que eu havia conhecido. Muito bem, o pior ainda estava por vir. Eu continuava sonhando com aquele meu ex-namorado; e toda vez que o via sentia um estremecer em minhas pernas. E já fazia 4 anos! Até que ele se converteu e veio me pedir perdão por tudo que havia acontecido entre nós. Disse-me também que ainda me amava, mas sabia que agora a situação era diferente; afinal, eu havia me casado. Não pude negar, e disse a ele que a situação em meu casamento não estava boa e que ainda sentia que o amava; mesmo depois de tanto tempo longe dele. No final das contas, ficamos juntos. Traí meu marido e agora não consigo mais olhar para ele. Não sinto mais nenhum tipo de amor pelo meu marido já faz algum tempo. Viajo e não sinto a mínima falta dele. Tenho vontade de me separar. Arrependo-me de ter me casado. Sei que o Senhor odeia o divórcio e o adultério, mas não quero viver com um homem pensando em outro. Não seria justo para ele nem para mim. Quero voltar a viver como antes; recuperar a minha fé; e ser novamente uma mulher de Deus. O que eu faço? Por favor, preciso de uma palavra de fé... ****************************** Resposta: Minha querida irmã: Paz! Deus odeia o Divórcio, pois, odeia o abandono! Deus não odeia o Divórcio porque ache que o “casamento” seja mais importante que a vida. Deus instituiu o Sábado. E os profetas muitas vezes disseram a Israel que o Sábado Santo do Senhor tinha que ser santificado. Mas quando o Sábado se tornou maior que o homem na consciência religiosa de Israel, o que Jesus fez? Violou o Sábado a fim de salvar o homem! O homem não foi feito para o Sábado, mas sim o Sábado para o homem! É a mesma coisa com o Divórcio! É a mesma coisa com o Adultério! É a mesma coisa com toda a Lei! Afinal, toda a lei se resume num único mandamento: amar a Deus sobre tudo e todos; e ao próximo como a nós mesmos! Então, o que tenho a dizer a você? Bem, sou claro e sem rodeios. Portanto, não se escandalize comigo. Direi a você o que diria a minha filha. Aliás, tenho filhos mais velhos que você! Bem, posso até falar, mas sei que você sabe a verdade em seu próprio coração. O conflito vem da falta de coragem de fazer o que a consciência da verdade diz em nós. Ouça a você mesma! ****************************** Traí meu marido e agora não consigo mais olhar para ele. Não sinto mais nenhum tipo de amor pelo meu marido já faz algum tempo. Viajo e não sinto a mínima falta dele. Tenho vontade de me separar. Arrependo-me de ter me casado. Sei que o Senhor odeia o divórcio e o adultério, mas não quero viver com um homem pensando em outro. Não seria justo para ele nem para mim. Quero voltar a viver como antes; recuperar a minha fé; e ser novamente uma mulher de Deus. O que eu faço? ****************************** Na minha opinião você sabe qual é a resposta para cada uma dessas questões. Mas vou dizer o que penso. Se você não ama o seu marido—e pela pouca experiência que tenho, digo a você que muito provavelmente você nunca o amou como homem, mesmo!—; então, divorcie-se dele! Mas não prolongue essa morte e nem a torne indigna. Se você quiser ter alguma chance com a pessoa que você pensa amar desde a adolescência, então, também não se separe por causa dela; digo: do rapaz! Vocês dois não conseguirão ser felizes, e nem ter paz para amar um ao outro, se o “caso” de vocês for a “causa” de sua separação. Não creio que você esteja tendo um “caso” apenas porque o “cara” voltou. Vocês só estão tendo esse “caso” porque seu casamento já era sentido por vocês dois—digo: você e seu marido—, como um engano. Se ele trata você mal, só há duas opções: a) ele sente que você se casou com o caráter dele; não com ele—e odeia isso, mesmo que inconscientemente; b) ele também sabe que se enganou ao casar-se com você; talvez até esteja ansioso pela separação; e, quem sabe, pode estar vivendo uma angústia semelhante a sua. Tenho apenas mais duas coisas a dizer. 1. Não traga um filho, sob hipótese alguma, para dentro desse conflito. Portanto, não fique grávida. 2. Separe-se de seu marido sem a “presença” do outro; depois, caso não seja apenas um “caso”, mas sim um caso de casamento; então, case-se em paz; e tente ser feliz. Honestamente, ouvindo apenas o seu lado; não dispondo de nada a não ser as suas informações; e assumindo que elas sejam verdadeiras; é apenas isso que tenho a lhe dizer. Espero ter sido útil. Um abraço carinhoso, Caio