Português | English

Cartas

PASTOR, CUIDADO COM SEU GRITO NO TELHADO

PASTOR, CUIDADO COM SEU GRITO NO TELHADO

-----Original Message-----
From: Anna Karenina
To: contato@caiofabio.com
Subject: Gritando no telhado ...

Oi Caio !

Não resisti e estou aqui escrevendo de novo.

Acabei de ler o texto que você escreveu hoje.

Nos faz pensar, como tudo o mais que você escreve; mas eu também li, e estou ruminando, o texto "A Doença de Véu."

É realmente muito sério!!!

Você tem noção das consequências que isto vai trazer para todos nós?!

Falo de mim, pois, há muito tempo ando cansada, quebrada pela religiosidade em que a igreja vive (começando por mim).

Quando comecei pensar que o Cristianismo pode ser tornar como Israel; que foi um dia o povo escolhido para refletir a bondade dELE ... me deu uma tristeza e um medo.

Isso porque não posso continuar entendendo tudo isto, e permanecer a mesma, e aceitar as mesmas coisas!

A doença do véu pode ser a que vai nos matar ou nos fazer vivos, mas vegetativos.

Mas há cura, e é isto que você e uns poucos tem tentado gritar nos telhados.

Não sei nem porque te escrevo; afinal, Deus é responsável por Si mesmo, e não precisa que ninguém o justifique.

É que de repente comecei a pensar e vejo você de novo. Lembro de você como dos profetas, que diziam: "Jerusalém será arruinada, nem tudo está bem!.... Não confiem nestas profecias destes profetas que dizem paz, prosperidade!..."

É, Caio!

Você precisa de muitas orações mesmo!

Posso estar viajando, mas há dias que estou ruminando neste texto e nas Escrituras ... e "sinto" que Deus pode ter alguns planos ousados para você neste ministério...

Bem, não há o que temer; se Ele te escolheu.

Deus sempre sabe de nosso coração, de até onde estamos dispostos a ir por Ele.

Uma vez você disse algo sobre ter dado “a sua cara” ao movimento evangélico no Brasil...

Não sei o que ficou resolvido em você em relação a isto...

Mas vejo Deus colocando você para mostrar a cara d'Ele -Graça-, não para os "infeis", mas sim, para os “fieis” verdadeiramente infieis. Dureza, hein...

Bem o tratamento que os judeus deram a Cristo e sua mensagem não nos deixam com ilusões.

Mano, tem jeito não?!

Os Dons e a vocação são irrevogáveis!

Vamos orar por você e por todos nós.

Estou incomodada do Bem!

Beijos para o seu pai e para você.

Obrigada por tudo !

_______________________________________________________________________________

Resposta:


Todos dizem: "É assim mesmo!"

"Mas não é assim entre vós" — disse o Senhor!

A leitura das Cartas do Apocalipse nos deixa claro que Deus não tem nenhum compromisso com grupos que se auto-intitulam "de igreja”.

Ele pode ficar “fora”, como disse aos de Laodicéia.

Ele pode remover o candeeiro como de aos Efésios.

Ele pode vir como um ladrão de noite.

Ele pode tudo o que disse que pode a todas as igrejas.

Meu Deus!

Isso é tão claro!

Quem nos cegou tanto a mente?

Se há um povo cego no mundo, esse povo somos nós!

E a cegueira é o “véu” da religião — tenha ela o nome que tiver!

Minha esperança não existe entre os homens. Não estou trabalhando por resultados humanamente aferíveis. Minha herança cai em lugares amenos, não no chão dos poderes deste mundo.

Mas somente uma coisa pode me parar entre os homens agora: a morte.

Sou referência humana para as coisas?

Não! Deus me livre!

Mas a Palavra é a verdade, e é acerca dela que estamos falando.

Todos temos que nos converter.

Se não o fizermos, veremos muitos do oriente, do ocidente, do norte e do sul, tomarem assento com Abraão, Isaque, Jacó, Pedro, Paulo e todos os demais apóstolos, enquanto nós ficaremos de fora com nossos “apóstolos”, nossos “profetas”, nossas “verdades”, nossas “torres” eclesiásticas, nossas “missões”, nossos “eventos” cheios de soberba e vazios de Deus, e nossas falsificações do “nome” de Jesus e do Evangelho.

Se Jesus entrou no Templo de Jerusalém e expulsou os cambistas com o azorrague, o que você acha que Ele faria diante desse bazar de camelôs alucinados que vendem blasfêmia em nome de Deus?

Meu Deus, é uma questão sem questão.

É simples.

Todos somos indesculpáveis, mas principalmente os pastores.

Tiago disse que nós não deveríamos nos considerar “mestres”, pois, nesse caso, estaríamos sob muito maior juízo.

E não esqueçamos o juízo sempre começa pela casa de Deus.

E filhos recebem disciplina, conforme Hebreus. Mas se estamos sem disciplina, é porque não somos filhos, mas bastardos.

Eu hoje dou graças a Deus por tudo o que me aconteceu.

E por quê?

Será que eu andava insincero com Deus?

Eu sei que não!

Mas fico feliz que Ele tenha me tirado do “circo” para eu não ter nunca mais que tentar defender os palhaços.

Perdi a minha vida para ganhá-la!

E hoje estou sem barganhas a fazer!

Se Deus quiser que eu morra de fome pregando a verdade, então, morrerei de fome!

Se Ele quiser que ninguém mais me ouça, então, que eu morra gritando no deserto!

Mas Ele sabe que não tenho outra mensagem senão a mesma: o Evangelho!

Não há espaço em minha alma para uma única dúvida acerca disso!

Sei que sou um pecador —o principal—, mas sei que a Palavra é Fiel e Verdadeira, e digna de toda aceitação!

Por isso, não me calarei jamais.

Há alguma presunção minha quanto a isto?

Deus sabe que não!

Quem me dera nenhum desses assuntos houvesse para serem tratados!

Mas não sou inocente de nada que aqui confesso.

Digo o que creio, e digo com disposição de enfrentar todos e qualquer um pela defesa do Evangelho de Cristo.

Deus precisa de minha ajuda? É claro quer não!

Mas ai de mim se não disser a verdade que sei!

Cada um viva com suas próprias convicções.

Essas são as minhas!

 

Um beijão,

Caio

(2003 - 1º ano do site)


Minha querida Anna: Que bem me fez seu e-mail!

De fato, tenho pedido a Deus que não me deixe correr em vão!

Tudo o que escrevo aqui é fruto de convicção, coisa de vida ou morte.

Em outras palavras: para deixar tudo como está, sinceramente, eu já estaria morando na Floresta.

É de lá que eu gosto; e lá eu vivo muito melhor.

Mas se é para ficar aqui; e se é para ministrar a Palavra, então, que seja a Palavra.

Israel, nos dias de Jesus, teve seus principais representantes chamados por Jesus de “filhos do diabo”; e Jesus lhes disse que eles queriam “satisfazer-lhe os desejos” do diabo; que eram os desejos patrocinados pelo espírito de controle, poder, e morte (João 6-9).

Nem fiquem me dizendo: nosso pai é Abraão, pois, destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão—dizia o Senhor.

Não somos bastardos, temos um pai, que é Deus—afirmavam eles.

Jesus, todavia, não se impressionou.

E lhes deu apenas duas opções.

1. Se vocês são filhos de Abraão, pratiquem as obras da fé conforme Abraão.

2. Se vocês são filhos de Abraão, acolham-me, pois Abraão viu os meus dias e regozijou-se.

A nossa situação, todavia, é pior que a de Israel.

Jesus havia dito aos judeus: "Eis aqui quem é maior que Abraão!"

Ou seja: se os judeus eram filhos do diabo por traírem a Abraão, manipulando-lhe a “herança”, os oráculos, a revelação e a fé, como estamos nós, ao fazermos algo muito pior com o Nome Daquele que é maior que Abraão?

Sin-ceramente, é só ler Romanos 9 e 10. Se Deus não poupou a ramos naturais, irá poupar a nós, que somos o enxerto da oliveira brava?

O Cristianismo entrou, desde 332, num buraco sem fundo. E os cristãos parecem não enxergar isso; nem mesmo os mais esclarecidos.

Todo mundo quer nivelar por baixo.