Português | English

Cartas

PAPAI É GAY! QUE RAIVA DELE!

PAPAI É GAY! QUE RAIVA DELE!

 

----- Original Message -----

From: PAPAI É GAY! QUE RAIVA DELE!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Sunday, March 22, 2009 8:59 AM

Subject: Meu pai : Homossexual e Soro positivo

 

Querido e amado Caio,


Quanta honra falar com você e quanto anseio em ser respondida o mais brevemente possível!
Bom, a princípio gostaria de lhe falar que se fosse discorrer aqui o quanto você é querido, o quanto suas mensagens ainda da época da VINDE e do PARE E PENSE, mesmo sendo eu  uma menina fez sentido na minha vida (lembro de muitas delas como se fosse neste exato momento) e o quanto o seu site tem sido edificante para mim ainda hoje, certamente, passaria horas e horas e elas ainda seriam curtas para tal.
Sendo assim gostaria de ir direto ao assunto. Estou passando por uma das piores situações que qualquer ser humano, talvez, poderia vivenciar. Há aproximadamente, 25 anos atrás, quando eu ainda tinha cinco anos de idade e minha irmã três, nossos pais se separaram. Na época, lembro-me que foi doloroso e que sempre que as pessoas perguntavam a ela (minha mãe) o motivo da separação ela dizia que ele era um homem muito calado (de fato o era) e que isso dificultou a relação. Apesar de ele ter ficado morando num outro estado, sempre veio nos visitar, sempre ligou nas datas especiais, sempre nos assistiu financeiramente, enfim, agiu de forma “politicamente correta". Porém, ele nunca foi muito carinhoso e nem teve muita liberdade de comunicação conosco. Sempre, apesar de passearmos, viajarmos juntos, a relação pai-filho não era tão próxima, percebia assim, que minha mãe tinha razão ao afirmar que eles não continuaram juntos pelo fato dele ser muito sério e calado. Vale ressaltar, que a mãe dele (minha avó) sempre afirma que ele é assim por que o seu pai também o era.
Mas, Caio, durante todo esse tempo, nunca soubemos de nenhum relacionamento dele com uma outra pessoa. Ele dizia que tinha namoradas esporádicas, mas que não queria nada sério. Sempre achamos (eu e minha irmã) isso estranho e só agora descobrimos o porquê.

Ele, há pouco mais de um mês nos avisou que está contaminado pelo vírus da AIDS. Que contraiu  há, aproximadamente, quatro anos atrás. Foi aí, e somente aí, em meio a dores, que minha mãe nos deu uma outra terrível notícia: que ele era homossexual e que por isso ela o deixara. Caio, você não tem noção de como tudo isso está sendo impactante, principalmente, para mim. Estou vivendo um misto de sensações: Ao mesmo tempo em que fico com pena e preocupada por conta da sua doença, sinto também um certo rancor...Poxa! Antes de se casar ele já sabia que era homo, então por que ele enganou minha mãe? (apesar de ele ter dito que o casamento foi uma tentativa – frustrada - de resolver seu problema sexual).

Pastor, tenho vivido dias terríveis, com os mais variados tipos de pensamentos e revoltas....Por favor , como você sempre faz, me auxilie nessa hora, me dê uma palavra, algo, que possa ao menos me ajudar a viver nesta tempestade de problemas!

Todos os dias, como sempre faço, estarei olhando o seu site, na esperança de que esta carta seja respondida.

 

Em Cristo,

 

___________________________________

Resposta:

 

Minha querida filha na esperança do Evangelho: Graça e Paz!

 

Os tempos eram outros…

A hipocrisia era imensa…

Se hoje é, imagine então…

A grande maioria dos homossexuais do passado se casava e tinha filhos…

A razão era de duas, uma:

Ou para tentar ver se o casamento “curava a pulsão” [caso dele], ou para encobrir a situação, oferecendo o casamento como “atestado de normalidade”.

Ainda hoje no meio religioso, especialmente católico e evangélico, o mesmo continua acontecendo, e, entre esses, de tais grupos, a incidência de casamentos dessa natureza é enorme; ou seja: casamentos como “busca de solução” ou como “guarda-roupa para o gay”.

A esmagadora maioria dos evangélicos acima dos 35 ou 40 anos, que me escrevem reportando o mesmo problema de seu pai, casaram-se também por causa da esperança de que o casamento os afastasse do “mal”, ou, então, na expectativa de que, casados, não seria molestados pelas cobranças e desconfianças que um solteirão não complexado gera no meio religioso; especialmente com tanta mulher quase tarada dando em cima da “homem/picanha” em estado de desperdício dentro da “igreja”.

Estou apenas dizendo a você seu pai é seu pai; e que precisa de toda misericórdia e amor.

Ele errou. E errou, sobretudo, em razão de que o erro coletivo o levou ao seu erro individual. Refiro-me a ter casado para esconder-se do problema.

Perdoe seu pai.

Seu grande privilegio nesta vida será perdoá-lo; pois, minha querida, não ter tido a companhia dele foi horrível, mas não acolhe-lo agora seria infinitamente pior depois; digo: para a sua alma.

As coisas nem sempre são assim... como você disse: “Por que então casou se sabia que era…?”

Veja que ele é gay e fez assim. E os heterossexuais que, na igreja, casam sem amor apenas para poderem transar, sendo que anos depois, ou logo depois, resolvido o problema da transa, porém sem liga e sem amor, acabam pulando a cerca e fazendo coisa pior?

Existem duas hipocrisias em questão aqui.

Uma é a de quem se esconde. A outra é a do sistema que obriga a pessoa a se esconder.

Para Jesus, no Evangelho, culpa maior é a de quem exerce o poder coletivo a fim de criar os hipócritas em razão do medo.

Ou seja: seu pai tem culpa, mas culpa maior é a do sistema religioso que induz a pessoa à mentira e não à verdade, seja ela qual for.

Leia os links abaixo, todos eles.

PERDÃO: ENCARNAÇÃO DA GRAÇA!

SEM PERDÃO NÃO HÁ SALVAÇÃO!

O PERDÃO COMO DES-CRIAÇÃO

PAULO: O PERDÃO LIBERTA

Agora, me responda:

Se você fosse gay, como gostaria de ser tratada pela sua família?

Ponha-se no lugar de um gay e responda!

Ora, após honestamente se por no lugar… e responder com verdade, então, digo a você, conforme Jesus ensinou: “Vai tu, e procede de igual modo para com ele”.

Afinal, o que quereis que os homens vos façam, fazei vós a eles — foi e é o eterno ensino de Jesus.

Chegou a hora de você crescer como filha, como mulher, como discípula e como ser humano no mundo!

Não perca a chance que o amor de Deus está dando a você quanto a crescer em e no amor.

Você pode amar o seu pai com o amor que você quer que Deus ame você?

Quem ama cobre multidão de pecados não só na vida daquele a quem se ama, mas na nossa própria vida.

Filha, este é o Evangelho; e é isto que posso e devo dizer a você.

Receba meu amor no Senhor!

Dilate seu coração.

Aprenda com a bondade de sua mãe.

Sua mãe teve dignidade à qual José se propôs no caso de Maria ter transado com os vizinhos de Nazaré.

Bendita seja a sua mãe.

 

Nele, que ama seu pai, e o chama de meu filho,

 

 

Caio

23 de março de 2009

Lago Norte

Brasília

DF