Português | English

Cartas

Ouço muito falar de avivamento, e minha igreja vive se prepa

Ouço muito falar de avivamento, e minha igreja vive se prepa

-----Original Message----- From: Maria Lucia Sent: terça-feira, 21 de outubro de 2003 09:13 To: contato@caiofabio.com Subject: Pastor Caio: Gostei muito da sua resposta dada à Carta:Falso avivamento, como não participar? Mensagem: Bom dia Pastor Caio!!! Gostei muito da sua resposta dada à Carta: Falso avivamento, como não participar? Ouço muito falar de avivamento, e minha igreja vive se preparando e esperando por um. Isto me encheu tanto a paciência, que disse um dia que não quero nenhum avivamento. Prefiro muito mais um Deus normal, do que ficar horas cantando a mesma música, dar risada sem parar por muito tempo e principalmente ficar caído no chão. Eu, pessoalmente, não gosto disto e não entendo Deus assim. Cresci tendo um Deus amoroso, sóbrio, brincalhão, que nos fazia aquietar quando falava, mas que nos ouvia falar quando precisávamos. Um Deus que me ama, e vai se revelar a mim, porque me ama e porque eu o desejo profundamente. Não o estou “caçando”, mas busco a companhia Dele, a presença; busco ouvir a voz Dele, porque já não sei mais viver sem Ele. De minha igreja saiu um grupo de irmãos muito amados que abriram uma nova igreja do "mover". Nesta igreja, se canta às vezes por quase duas horas a mesma música, que o meu filho de 15 anos, carinhosamente chama de mantra, porque elas são repetitivas e com letras que muitas vezes não dizem nada. Mas isto pra eles é o mover... Cair quando alguém impõe as mãos é o mover, dar risada é o mover. Já ouvi dizerem que Deus não pode trazer o avivamento pra nossa igreja porque os cadeiras são fixas, não poderão ser removidas e as pessoas não terão aonde cair. Francamente pastor, não me consta que Deus se deixe barrar por cadeiras, muito menos por pessoas, também não me consta que tenhamos todos que cair. Acredito que se possa cair sim, debaixo da unção de Deus (pessoalmente não gostaria de experimentar isto, sinto muito, mas é assim que sou). Mas sem nenhuma indução ou mesmo empurrões. Penso que Deus muitas vezes ao olhar para nós, se entristeça. Porque buscamos fatos, movimentos, queremos ver o que Deus faz. E nesta busca de ver, nos perdemos Dele. Creio que é tempo de voltar ao primeiro amor. A querer estar junto Dele, ter Jesus bem dentro do coração, e isto sim multiplicar-se em vida que nascerá da morte da velha vida, e atingir a muitos. E sem sensacionalismo, porque eu não acho que Deus precisa de marketing. Ele é, e isto basta. Não precisa fazer, e continua sendo. Sempre será. Sou grato à Deus por sua vida. O senhor é precioso.Tem sido benção muito grande pra mim. Tenho aprendido muito e me sinto parte de uma grande família, que diariamente precisa estar junto, falar, compartilhar, dividir. Assim me sinto cada vez que visito o seu site e o faço todas as manhãs antes de começar a trabalhar, e à tarde também, quando tenho uma folga no trabalho. Que Deus o continue a abençoar muito. Que os seus sonhos, tal e qual o da toga, continuem a ser confirmados. Deus é fiel, e o honrará. Um abraço grande Mara ******************************** Minha amada: Paz! Que bela carta! Eu também cairia numa boa se houvesse garantia de levantar e permanecer numa ótima comigo mesmo, com meu próximo e com Deus! Mas cair por cair, acho que há tombos mais gostosos! Pode ser até “pegando jacaré”, num tombo da onda do mar...pura delícia esse tombo. No mais: nunca vi Jesus caído, nem Paulo e nenhum dos apóstolos. Meu problema é que sou fixado em Jesus como meu eterno e imutável paradigma! Um beijão, Caio