Português | English

Cartas

OBRIGADO POR TUDO: Marcelo Gualberto

OBRIGADO POR TUDO: Marcelo Gualberto

-----Original Message----- From: Marcelo Gualberto Sent: quinta-feira, 23 de outubro de 2003 09:18 To: contato@caiofabio.com Subject: Gratidão Querido Pr. Caio Há muito tempo estou querendo entrar em contato com você. Prometi a mim mesmo que iria registrar de alguma forma o que disse à você quando nos encontramos no aeroporto em São Paulo (você se lembra?) Quero registrar a minha gratidão por tudo que você fez por mim. Minha mãe me ensinou a ser agradecido e não posso deixar de, seguindo este ensinamento, dizer a você muito obrigado. Muito obrigado por ter me convidado para trabalhar na Vinde. Muito obrigado por sempre aceitar os meus convites para pregar em Belo Horizonte. Muito obrigado por ter ido jantar comigo no restaurante Chinês e me ouvir e aconselhar por mais de duas horas. Muito obrigado por me receber no hotel em Águas de Lindóia e me aconselhar não sair da IPB. Muito obrigado pela honra do convite para ser preletor no plenário e seminários em vários congressos do Vinde. Muito obrigado, mas muito obrigado mesmo, por ter me chamado no final do Congresso Vinde/MPC de 1994, deixando sob a minha responsabilidade a celebração da Ceia. Minha mãe estava presente e ali, para ela, foi minha ordenação ao pastorado. Um ano depois ela faleceu e só em 1996 é que eu fui ordenado pela IPB. Muito obrigado pela disposição em realizar, juntamente com a MPC, os memoráveis Congressos em Guarapari. Muito obrigado por ter acreditado em mim. Durante todo este tempo chorei muito por tudo o que aconteceu. Li a sua entrevista para o CBE2 e resolvi que precisava falar tudo isso com você agora. Quem sou eu para julgá-lo. Você teve e tem seus problemas como eu tenho os meus. Apenas reconheço o quanto você foi importante na minha caminhada. Louvado seja Deus pela sua vida. Agora é seguir em frente porque para trás não tem mais jeito. Um abraço, Marcelo Gualberto ******************************************* Meu amado Marcelo: Ler sua carta é ouvir sua voz, sentir seu jeito e perceber sua alma: doce e prática! Receba meu beijo e minha amizade! Estou sempre aqui, e sempre o mesmo, apenas mais velho um pouco. Digo: velho não na idade, mas na “compressão dos processos”! “Arquivo compresso”—cabe muito num espaço menor! Um beijo na esposa. Na sua mãezinha eu darei quando chegar lá! Nele, Caio