Português | English

Cartas

OBRIGADO MEU AMIGO HEREGE

OBRIGADO MEU AMIGO HEREGE



----- Original Message ----- From: OBRIGADO MEU AMIGO HEREGE! To: contato@caiofabio.com.br Sent: Monday, June 06, 2005 9:42 AM Subject: Amo muito você e o seu site.... Olá Caio! Me chamo Diego, tenho 20 anos, e moro em Vitória da Conquista, uma cidade no interior da Bahia. Gosto muito de visitar o seu site. Tenho aprendido muito através dele. Muitas coisas foram mudadas dentro em mim. Consegui me lançar nas Garras da Graça de Deus. Percebi o quanto é simples e como é fácil se achegar a Deus. Muitas coisas que vi em teu site, me fizeram me tornar cada vez mais questionador. Mas, à medida em que isto acontece, percebo que me achego ainda mais perto de Deus, pois uma das coisas mais importantes para mim é conhecê-lo na íntegra. Hoje não busco milagres, procuro conhecer o Deus dos milagres. Só quero mais e mais conhece-LO e me lançar no Seu amor. Agradeço a Deus por existirem pessoas como você. Às vezes, até tachado de Herege por ser sincero e dizer a verdade; mas, como dizia nosso velho amigo Paulo, (I Corínthios 11:19: E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós.) Não sei se estou certo na exegese; se não estiver, me corrija. Um abraço... Pode ter certeza que estará incluído nas minhas orações. Do seu amigo herege Diego Áquila Nele, Em quem somos um. ____________________________________________________________ Resposta: Amigo Diego: Graça e Paz! Infelizmente a interpretação está errada. Mas não se entristeça, pois tudo o que você discerniu sobre o Evangelho da Graça é de fato o que importa e faz diferença. No texto de I Coríntios 11: 19 o que há é uma recriminação em relação ao espírito mundano e mesquinho da igreja, que se dividia em grupos de poder, fazendo com que somente os que tivessem o seu próprio grupo de poder é que fossem os “aprovados” e “aceitos” no meio. Ora, a “ceia” estava “rolando” nesse clima; e Paulo diz que naquele espírito de divisão, partidarismos, facções, e desigualdade, mesmo que se reunissem em nome de Jesus, com certeza não era da comunhão do Senhor que eles estavam gozando; posto que Deus se manifesta somente em meio à comunidade humana que se reúne em amor, verdade, justiça, misericórdia e solidariedade. O que todos precisam saber é que o Evangelho é um espírito, pois assim como Deus é espírito, a Palavra é espírito e vida. Portanto, exegeses ajudam. Todavia, quem compreendeu o espírito do Evangelho, mesmo quando erra na exegese, não era no espírito, especialmente nas compreensões que passa a ter da vida. Quanto a eu ser por alguns, HOJE, chamado de herege, enquanto digo as mesmas coisas de SEMPRE, não me preocupo. Eu não mudei no creio. Eles é que mudaram. E como eles são a “maioria”, dizem que eu sou o “herege”. Nada novo na história! Jesus foi chamado de herege, de endemoninhado, de louco, de samaritano maluco, de agente de Belzebu, de blasfemo, de desencaminhador do povo. Paulo foi acusado de estar advogando um existir libertino e promotor de “mundano proceder”, isso apenas por crer na Graça, e não negociar nada em relação à Cruz de Cristo. Hoje a gente lê as epistolas de Paulo e pensa nelas como Escrituras Sagradas. No entanto, nem ele pensava que estava escrevendo “Escritura Sagrada” — escrevia apenas uma carta verdadeira e inspirada pela verdade na qual ele cria com seu entendimento —; nem tampouco eram as suas cartas textos vistos e aceitos unanimemente como inspirados pelos seus contemporâneos, especialmente muita gente de Jerusalém, e que confessava a Jesus como Messias de Israel, mas não como o Cristo de todos os homens, e que também havia cancelado e matado a Lei, juntamente com os pecados, na Cruz. Assim, o que hoje até os que são hereges contra o ensino de Paulo chamam de “Escritura inspirada”, um dia já foi visto como libertinagem e excesso de liberdade. Mas como eles não entendem até hoje o que Jesus ensinou e Paulo pregou, eles apenas aceitam as “figuras” como inspiradas (Jesus como Filho de Deus), mas negam, na pratica, o ensino deles; e a prova é esta: eles sabem que o que digo é conforme a Palavra, mas não querem nem se dar ao “trabalho bereano” de examinar nas Escrituras. No entanto, mesmo sendo visto de modo muito “relativo”, “controverso” e “polêmico”, Paulo jamais arredou o pé do lugar, quando se tratava do Evangelho da Graça, e da Suficiência Absoluta da Cruz como realizadora da satisfação divina de Justiça Justificadora; posto que o maior ato da Justiça Divina é a Graça do Perdão. Assim, amigo querido, que discutam angustiados acerca de se sou ou não herege. Eu peço apenas que seus filhos, parentes e amigos dêem testemunho da Graça de Deus que lhes alcançou a vida, através de minha vida, nos últimos 30 anos. Ou seja: não tem ninguém que hoje me acuse de heresia que honestamente não diga que já foi ajudado pela Palavra que saiu de minha boca; e se não quiserem, suas esposas e filhos o dirão. Assim, eles sabem que digo a verdade conforme o Evangelho. Sim, disso eles sabem. Eles só não querem admitir ou não têm a coragem de abraçar; pois sabem que des-constrói todo o sistema deles; do qual vivem; e pelo qual as pessoas são controladas por eles; visto que lhes falta entendimento e consciência da Palavra a fim de poderem guiar pela autoridade; e não pelo controle e pela dominação. Quanto ao mais, Deus sabe quem prega a verdade do Evangelho; e quem é que vive de manipulação, leis, controles, fetiches, imposições sádicas, e tiranias...— tudo fruto do fato de que não pregam com entendimento, posto que a Palavra não lhes atravessou a consciência; portanto, não se transformando em vida neles; sendo, no máximo, uma doutrina estéril e infrutífera em suas existências. Jesus ensinou que a “doutrina” Dele só é verificável como verdade se der fruto na vida. Do contrário, não é verdade se na verdade não libertar o ser, conforme o que Ele disse que o Evangelho faria. Fique firme! Semana passada passei por Vitória da Conquista. Fui direto do aeroporto para Itaobim, no Vale do Jequitinhonha. Um grande e carinhoso beijo! Nele, em Quem a verdade liberta e realiza o bem da alma, Caio