Português | English

Cartas

O QUE SENTI COM O LENNON NO CAMINHO DA GRAÇA

O QUE SENTI COM O LENNON NO CAMINHO DA GRAÇA



----- Original Message ----- From: O QUE SENTI COM O LENNON NO CAMINHO DA GRAÇA To: contato@caiofabio.com Sent: Tuesday, May 31, 2005 10:41 PM Subject: Último Domingo Caio, Que lição de quebra de estereótipos, no último encontro!!! Lembro que quando aprendi a religião, comecei a achar que existiam dois tipos de músicas. Uma da igreja e outra do mundo. Uma de Deus e outra do diabo. Veja que visão mais ridícula!!! Tenho até vergonha hoje de ter pensado assim. Quando desisti da religião, foi porque não estava me sentindo bem dentro da religião... Pelos estereótipos que aprendi; era como se eu tivesse desistido de Deus. Quando desisti, institui em minha vida que nunca mais iria fazer algo que não me fizesse bem. E nisso insisto até hoje. Voltei a ouvir todas as músicas que me faziam bem. E “Imagine” é uma delas... Além da música... Descobri que beber um bom vinho ou uma boa cerveja celebrando harmonia, amor e amizade fazia muito bem. É muito melhor do que beber santa ceia carregada de hipocrisia. Entendi que a maior dificuldade do homem é encontrar o ponto de equilíbrio. Para buscá-lo é necessário sempre estar questionando as próprias atitudes e os próprios valores. Puxa! O Caminho está me fazendo muito bem!!! Interessante... Senti sempre uma segurança em prosseguir no estilo de vida que me fez bem. Nunca deixei de acreditar na verdade e no amor. Percebo que as pessoas que as buscam, são pessoas felizes. Lembro-me de uma frase de Ghandi. “Tiranos, líderes e reis se estabelecem. Mas a verdade e o amor sempre triunfam”. É bom saber que existem pessoas que estão “no caminho” acertando e errando; mas experimentando, e querendo viver a verdade, o amor e harmonia. Estou muito grato!!! E dentro do meu coração sinto em você um bem-aventurado, por estar promovendo isso. Que esse amor, felicidade e harmonia que você está semeando, se reverta em paz e tranqüilidade plena na sua vida, Caio. O Mestre é o teu inspirador... Uilson Azevedo Brasília-DF ____________________________________________ Resposta: Amado Uilson: Graça e Paz! De fato aquela foi uma noite muito especial para muita gente, tendo havido inclusive o testemunho de algumas curas maravilhosas. “Imagine!” Lennon jamais imaginaria que sua letra era puro Apocalipse 21. No tempo abençoado em que estive com os irmãos do Café com Graça, no Rio, pude ver isso acontecer muitas vezes. Como lá a pessoa do teclado era o Fernando Merlino, que vive da música, sendo uma dos mais respeitados tecladistas do meio, de vez em quando a gente partia para uma musica “não-religiosa” que levava uma verdade, não importando quem era o autor. Deus é o autor de toda verdade! Meu desejo é que as pessoas percebam que a revelação de Deus está em toda parte. Agora mesmo, antes de ler a sua carta, eu estava vendo um documentário na Discovery, e pensava que tenho sido tão abençoado vendo esse canal, que, se contado, ninguém acreditaria no meio cristão. O Evangelho não esmaga culturas de vida. Nem tampouco sabota a alegria do coração. Aquele a Quem seguimos comia e bebia com quem gostava de estar com Ele. E mandou que Seus discípulos comessem e bebessem de tudo em cada casa em que entrassem. Sonho com a chegada do dia em que todos os seres humanos verão a vida com os olhos de Jesus. Enquanto isto, almejo ver muitos discípulos de Jesus serem libertos dos grilhões da religião, os quais têm aprisionado o povo de Deus desde sempre, sendo essa uma das maiores obras do diabo na Terra: a criação do Cristianismo, aniquilando o Caminho do Evangelho de Jesus como vida para os cristãos. Foi o Cristianismo — em todas as suas versões— o poder que fez a fé em Jesus ser isso no que ela se tornou, historicamente falando. No entanto, desde o início, as sementes da religiosidade judaica logo tiveram o poder de germinar dentro da igreja de Jerusalém. Fora de lá, no mundo greco-romano, os discípulos lutavam contra a tentativa de alguns que buscavam fazer um sincretismo filosófico entre o ensino de Jesus e o gnosticismo, e outras filosofias gregas. No entanto, quando a fé no evangelho virou Cristianismo, em 332, então, houve o inicio da fusão das coisas que hoje se vê de modo caricato, e que estão mais que presentes entre nós. Aliás, elas pretendem ser “nós” e querem que nós sejamos “elas”. Ora, o que temos? Temos a sacralização do templo como lugar, a dicotomia entre o material e o espiritual, o filosofismo dos credos e confissões de fé, o sacerdotalismo profissional, o uso do sagrado como moeda de troca entre Deus e os homens, e a transformação da igreja em representante oficial de Deus na Terra. Tudo isto é influencia e hibridização do templo de Jerusalém, e dos diversos templos greco-romanos; e também influência do sacerdotalismo judaico e do também pagão; das filosofias gregas, como o Gnosticismo e o Aristotelismo; e, sobretudo, de influencia romana, especialmente no que tange à oficialidade que a “igreja” assumiu para ela própria como representante de Deus na Terra. E o pior é que tudo isso foi levado a sério, e é até hoje. Eu fico perplexo! É dessa frankistenianização que procedemos, historicamente falando. Ora, agregue-se a isso uma fortíssima dose de Teologia Moral, e, também umas pitadas de Carisma sem Caráter, e, sem dúvida, você chega ao que temos: essa religião que diz que Jesus é o maior e o único, mas que vive em estado de ódio e medo, numa luta angustiada contra o diabo o dia todo, temendo que o humor de Deus mude à tarde, e, tentando viver uma existência de formalidades espirituais e litúrgicas, enquanto pagam todas as dívidas que descobrem ter com Deus, não conseguindo, em razão disso, saber o que Jesus quis dizer quando afirmou que veio para que tivéssemos vida, e vida em abundancia; e menos ainda conseguindo entender por que o Seu Mestre comia e bebia com todos, especialmente com “pecadores”, enquanto eles têm medo até do que comem e bebem sozinhos. Desse modo, o que deveria ser A Boa Nova passou a ser O Grande Terror. Coma, beba, cante, dance, leia, ria, brinque, ame, beije, trabalhe, pregue, ensine, fale levezas, veja filmes, nade livre, mergulhe fundo, pule de cabeça, beije a água fria, celebre o vôo da águia e da rolinha, veja a seleção jogar, interceda pelos aflitos, faça pé-pé, caminhe, salte, sente-se, levante-se, parta o pão, e tome o vinho—sempre do mesmo modo interior, posto que todas as coisas, tanto a morte como a vida, as coisas do presente ou do porvir, as alturas e as profundidades, os verdadeiros saberes, a verdade, sempre são de Deus. Deus é vida, por isso a vida é de Deus! Eu creio que em muitos a consciência do Evangelho se imporá sobre a ignorância, e por isso também creio que ainda veremos uma multidão de gente boa de Deus vivendo conforme o Evangelho, não conforme os “evangélicos”, e, assim, sendo sal que dá gosto à Terra, e luz de bondade que ilumina o mundo. Tem sido um privilégio andar com você no Caminho. Beijão gostoso! Ah, procure na Amazon.com um DVD chamado Baraka! É a coisa mais bela que já vi sobre a riqueza da cultura humana. Essa mesma cultura que será introduzida pelas 12 portas da Nova Jerusalém como louvor ao Cordeiro, cuja luz, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. Vejo você no domingo lá na reunião do Caminho. Nele, em quem todas as coisas são puras para os que têm coração limpo pela gratidão, Caio