Português | English

Cartas

O QUE EU FAÇO ACERCA DO DIA DAS BRUXAS?

O QUE EU FAÇO ACERCA DO DIA DAS BRUXAS?

-----Original Message----- From: Ricardo Sent: sábado, 1 de novembro de 2003 12:52 To: contato@caiofabio.com Subject: O QUE EU FAÇO ACERCA DO DIA DAS BRUXAS? Mensagem: Oi Pastor! Gostaria que o senhor colocasse no NOSSO site uma opinião sobre o "dia das bruxas". Na escola dos meus filhos celebraram esse dia, o que me causou, além de grande humilhação—por ter que engolir uma tradição norte americana—, indignação, pois quase todas as crianças foram maquiadas de bruxas, mortos, diabos, etc... uma verdadeira apologia ao bizarro e ao obscuro. Será que não estão ensinando valores invertidos às nossas crianças? Pretendo reclamar à direção da escola, e gostaria de saber sua opinião. Que o NOME o guarde com carinho! Um abraço!!! *************************************************** Ricardo, meu amado: Paz! Falo a você como amigo, pai vivido e pastor rodado. Não esquente a cabeça! Não trate isso como coisa do diabo, pois, assim, virara coisa do diabo na sua cabeça e na de seus filhos. Não ajuda em nada. O que ajuda é achar ridículo, e manifestar isso com bom humor; tipo: Puxa vida, agora vocês vão ter que ir de esdrúxulo pra escola? Que coisa?! Isto é o máximo. Passar disso é emprestar energia à festa de fantasias. Ninguém ali está pensando no diabo, mas só em curtição. As únicas pessoas no Evangelho a quem Jesus chamou diretamente de “filhos do diabo” não estavam vestidas de “Dia das Bruxas”, mas de fariseu (Jo 8). Literalmente, não é a roupa que faz o homem, mas o homem quem faz a roupa. A gente veste aos olhos de Deus aquilo que veste o nosso coração. E tudo o que você não precisa é fazer seus filhos ficarem com medo disso. Você tem que ajudá-los a verem “nas coisas” serem apenas o que “as coisas são”. O que passar disto, será você reforçando aquilo que você pretende combater. E creia: o Sangue de Jesus tem poder. Seus filhos estão cobertos de males verdadeiros, e que não se escondem em fantasias, mas em realidades do dia a dia. Um grande beijo. Nele, Caio